(pt) França, Nem Estados, nem fronteiras, tudo o que é humano é nosso!

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 8 de Junho de 2016 - 09:49:12 CEST


Moção do 74º Congresso da Federação Anarquista [francófona] reunida em Rennes nos dias 14, 
15 e 16 de maio de 2016 ---- Ainda hoje, homens e mulheres são perseguidos pelo simples 
fato de que eles atravessaram as fronteiras. ---- Não somente nega-se a eles o que se 
permite aos capitais e às mercadorias, mas faz-se de forma sórdida. ---- Eles e elas são 
caçados/as, estigmatizados/as, criminalizados/as, fichados/as, espancados/as pelas forças 
policiais, rejeitados/as pelas instituições, acusados/as de terrorismo pelos indivíduos 
sempre animados de encontrar um pretexto para maquiar seu racismo, e às vezes 
conduzidos/as à morte sem escrúpulos pelos governos. ---- Nós acusamos o Estado de tratar 
essas pessoas com a última das crueldades, condenando-os à miséria. Nós acusamos o Estado 
de pôr a vida delas em perigo.

Nós acusamos em particular o Estado francês, pela proclamação do estado de urgência, pela 
manutenção de vergonhas hediondas outrora reservadas à extrema-direita, por uma repressão 
cada vez mais violenta, de confirmar abertamente as escolhas racistas que forjam a ideia 
de nação.

Nós acusamos o Estado de organizar o racismo, criando a confusão entre imigrantes e 
terroristas jihadistas, e de instrumentalizar para legitimar suas guerras imperialistas e 
também sua política discriminatória na França contra pessoas suposta ou realmente muçulmanas.

Nós acusamos também todos os cúmplices do racismo, quer seja por ódio verdadeiro, por 
compromisso egoísta ou ainda por covardia, submetida às ordens iníquas que lhe são dadas.

A Federação Anarquista faz questão de reafirmar de forma clara e definitiva seu apoio 
incondicional aos/às imigrantes.

Além das ações de campo que nós organizamos ou daquelas em que nós participamos, nós 
informamos a todas as pessoas que têm coragem de se levantar contra essa crueldade cínica 
que nós pomos a sua disposição nossa força militante, quer dizer, nossos instrumentos 
(jornais, rádio), nossos espaços, nossas capacidades de acolhida de pessoas, e que nós 
estamos prontos a apoiar toda iniciativa de luta ao lado de todos/as os/as imigrantes.

Tradução > Mateus Brandão

https://noticiasanarquistas.noblogs.org


More information about the A-infos-pt mailing list