(pt) Culmina encontro de anarquistas em Cuba

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 17 de Julho de 2015 - 18:38:56 CEST


Os anarquistas cubanos concluíram domingo passado (7 de junho) a Segunda Jornada Primavera 
Libertária de La Habana, um encontro auspiciado pelos coletivos independentes Taller 
Libertario Alfredo López, El Guardabosques e a Locación Cristo Salvador. ---- De 29 de 
maio a 7 de junho, as e os participantes majoritariamente jovens ensaiaram o que chamam 
"um espaço aberto a processos e dinâmicas antiautoritárias e anticapitalistas" onde 
elementos como a "horizontalidade", "aprendizagem mútua" e "responsabilidade" estiveram na 
base. ---- Cumpriram com o programa de cinco dias de trabalho e discussões 51 
participantes de Cuba, Alemanha, República Dominicana, Holanda, Estados Unidos, Espanha, 
Canadá e França. ---- Ademais, desde México, Estados Unidos e Argentina, se enviaram 
colaborações.

Com a intenção de desenvolver um encontro que incluíra temas transcendentais para estes 
coletivos, críticos do atual ordenamento institucional cubano, a jornada esteve articulada 
por cinco linhas gerais.

O primeiro eixo de trabalho se referiu às criações antiautoritárias. Aqui se apresentaram 
experiências artísticas em Cuba e no mundo, que foram fruto de um processo de trabalho 
coletivo horizontal e a margem das instituições.

Também, a nova cena de relações inter-estatais entre Cuba e Estados Unidos, reiniciadas em 
17 de dezembro de 2014, teve sua correspondente análise entre os ácratas cubanos.

"Desconhecemos os termos desta negociação. Trata-se de um golpe de efeito que contribui a 
uma mentalidade milagreira e nos deixa como espectadores passivos", avaliam integrantes 
doTaller Libertario em uma apresentação.

"Nos preocupa, ademais, que se gerem novas oportunidades para que o capital explore "mais" 
e "melhor" a nossa gente; que intensifique o conformismo, a insignificância e a miséria, 
por obra de mais consumismo, mais depredação ao meio ambiente e mais invasão da cultura 
para massas", acrescentaram.

Nos debates criticaram-se também as medidas econômicas da atual reforma que vive o 
arquipélago e se avaliaram seus custos sociais.

Por sua parte, o coletivo El Guardabosques expôs as relações das empresas que integram a 
Coalizão Estadunidense de Agricultura por Cuba com práticas lesivas ao ambiente, 
contrárias a legislações protetoras do meio ambiente e dos trabalhadores e promotoras de 
cultivos transgênicos.

Ligadas ao grupo que agora faz loby em Washington para levantar o bloqueio imposto a Cuba 
desde 1962 e ampliar os intercâmbios no setor do agro, estão a American Farm Bureau 
Federation, American Soybean Association, National Corn Growers Association e a 
International Dairy Foods Association, entre outras.

Também foram debatidos assuntos relacionados com o gênero, raça, orientação sexual, 
modelos de alimentação, discriminações e autoritarismos.

Realizou-se a apresentação de várias publicações independentes como o fanzine de arte 
"Carne Negra", o boletim ambientalista "El Guardabosques" e o número cinco em versão 
impressa do periódico anarquista cubano "Tierra Nueva".

A primeira edição desta Jornada teve lugar no ano passado.

De acordo com o historiador e ativista social Mario Castillo, estas experiências 
conseguiram "estabelecer vínculos com valiosas pessoas que fazem parte de outros 
circuitos, que podem ser muito proveitosos para o trabalho social e a ampliação dos 
espaços e as perspectivas libertárias no contexto cubano".

Fonte:

http://news.caribseek.com/index.php/caribbean-islands-news/cuba-news/item/100066-culmina-encuentro-de-anarquistas-en-cuba.

Tradução > Sol de Abril

Conteúdo relacionado:

http://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2015/05/29/cuba-programa-da-2a-jornada-primavera-libertaria-de-havana/

http://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2015/07/10/culmina-encontro-de-anarquistas-em-cuba/


More information about the A-infos-pt mailing list