(pt) Grécia, 5 de julho: Não ao neoliberalismo, não a social-democracia

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 11 de Julho de 2015 - 12:09:25 CEST


A seguir, texto baseado num editorial do Atenas Indymedia, escrito por ocasião do 
referendo de 5 de julho. ---- O 5 de julho é uma data crucial para a classe trabalhadora 
na Grécia. Na verdade, o resultado político do referendo extrapola em muito a aceitação ou 
não das medidas que querem impor, a permanência ou não na zona do euro, mesmo na mesma 
União Europeia. O resultado do referendo determinará em grande parte o marco político e 
sob que circunstâncias sociais e políticas terá a luta de classe e social a partir de 6 de 
julho. ---- O medo que buscam cultivar os soberanos e os meios de desinformação com as 
filas - existentes ou fictícias - em frente aos caixas eletrônicos e supermercados, e com 
sua campanha terrorista, respondemos com a organização política e social de nossa classe e 
com a luta de massas e coordenada. A presença do povo na conjuntura atual é mais 
necessária do que nunca, assim que o referendo seja realizado, se possível antes de 
domingo, estejamos nas ruas, nas praças, nas manifestações. O povo tem que estar presente 
para responder de uma forma combativa o slogan da burguesa "ficamos na Europa", e para 
evitar a propagação da atmosfera de terror, visando a vitória do "sim" no referendo e no 
fundo a vitória do totalitarismo neoliberal. Essa vitória será desastrosa para o povo, e 
extremamente benéfica para os assassinos e chantagistas da União Europeia, do Banco 
Central Europeu e do Fundo Monetário Internacional. O povo tem a obrigação moral de 
converter o "não" do referendo em um "não" combativo ao novo memorando que estará baseado 
nas propostas que o governo grego já apresentou à Troika.

Dizemos um "não" claro à continuação da política dos memorandos, à miséria e a escravidão 
dos de baixo. Exigimos a imediata abolição de todas as leis impostas pela Troika. Dizemos 
não ao pagamento da chamada dívida. Dizemos não à política da União Europeia, do Fundo 
Monetário Internacional e da Banca transnacional. Dizemos não a qualquer memorando ou 
acordo similar denominado memorando, pacto ou acordo. Dizemos não à política de vigilância 
permanente e de eliminação dos direitos humanos, da própria vida. Dizemos não a qualquer 
totalitarismo: seja do neoliberalismo como da social-democracia.

O texto em castelhano:

http://verba-volant.info/es/5-de-julio-no-al-neoliberalismo-no-a-la-socialdemocracia/

Conteúdo relacionado:

http://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2015/06/30/grecia-as-filas-em-frente-aos-caixas-eletronicos-apos-o-anuncio-do-referendum-e-o-valor-da-vida-humana/

http://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2015/07/04/grecia-5-de-julho-nao-ao-neoliberalismo-nao-a-social-democracia/


More information about the A-infos-pt mailing list