(pt) Italy, Alternativa Libertaria / FdCA - ESTAMOS TAMBÉM CHARLIE - NÃO AO FASCISMO ISLÂMICA E aos que financiem, NO QUE PARA CONSTRUIR UM FUTURO DE ÓDIO (en, it) [traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 25 de Janeiro de 2015 - 09:31:49 CET


Estamos também Charlie, mas em nosso próprio caminho. ---- Defendemos como anarquistas e 
libertários o direito de sátira e irreverência de qualquer verdade religiosa pressupunha, 
reivindicamos o direito de todos a praticar a sua religião ou seu ateísmo em plena luz do 
dia e sem medo, nós nos recusamos a ammantarci de um relativismo que serve pobres apenas 
para esconder o colonialismo e a suposta superioridade da cultura europeia e, 
especialmente, de armas, lutamos em todo o mundo para afirmar a dignidade e os direitos 
das classes oprimidas, além de etnia e religião. ---- Charlie e nós não aceitamos que, em 
nome de religiões liberdade retomar o seu papel na sociedade mortal. Nunca podemos aliar 
com fascistas e imperialistas, com racista e intrigantes de consciências. Nós temos a 
coragem de dizer que os direitos são universais, de todos e para todos, e nossa luta 
anti-capitalista nunca vai estar do lado de fascistas e nacionalistas de todos os matizes, 
muçulmanos ou judeus, católicos ou ortodoxos. Há muitas rachaduras produzidos pelo 
imperialismo do capital para a hegemonia para nos atrair para um lado ou para o outro. 
Nosso trabalho, como sempre, é estar do nosso lado e lutar pela nossa classe, que não tem 
religião ou nação.

Denunciamos isso cada fascismo, mesmo a islâmica, mas não vamos esquecer o cinismo com que 
é braço armado dos assassinos dos editores do Charlie Hebdo, assassinos que estão em ação 
em áreas curdas, a Kobanê, armados pelo Ocidente e pelo liberal estados do Golfo, como a 
Turquia, ou nas guerras que destruíram o Afeganistão eo Iraque, a questão palestina 
resolvido nunca deliberadamente, para a destruição da Síria e da Líbia, conjuntos de fome 
na Somália, Nigéria, Mali, Chade, o papel contra-revolucionário foi nas chamadas revoltas 
árabes. Áreas inteiras do planeta são destruídos e caçado em um caos sistêmico útil apenas 
para o grande capital. Os países da Europa, os EUA e os países periféricos do Oriente 
Médio, principalmente a Arábia Saudita, por quarenta anos finanças fascismo islâmico, 
treinar soldados e promover a guerra contra os componentes seculares e socialistas que 
impedem a contribuição para a reconstrução social com base nos direitos universais, 
propinano seu relativismo cultural, a fim de não reconhecer esses direitos.

O que aconteceu é uma séria ameaça para as lutas sociais que ocorrem em toda a Europa. O 
etnicização dos fenômenos sociais e sindicatos será maior. Os proletários da Europa e os 
imigrantes islâmicos que tentam custo de sua própria vida para escapar talvez até por 
fundamentalismos são as vítimas mais afetadas pelo o que aconteceu. Gerações de homens e 
mulheres trabalhadores, estudantes, homens e mulheres que procuram como nós para construir 
uma vida melhor e mais livre, será pregado suas origens étnicas e culturais, experiências 
como inimigos e visto com desconfiança por seus vizinhos, por professores de seus filhos, 
de seus companheiros de trabalho.

Mas as futuras lutas terão todos. Deve evitar o conflito étnico, é essencial para 
reconstruir a frente da classe de paradigmas religiosos e étnicos, vamos ter de fazer um 
esforço para evitar a monstruosa que é desencadeada em termos dramáticos da luta entre os 
pobres. Tudo está preparado para movimentar milhões de europeus em posições reacionárias 
com grande alegria da capital, a crise e os fenômenos de minas de reestruturação estão 
espalhados em uma sociedade muito líquida.

Continuaremos nossa internacionalista luta para defender os interesses da nossa classe, 
para uma sociedade que nós queremos e comunista libertário, secular, onde a religião está 
contido na privacidade de cada indivíduo que tem fé e que ela não se torne a razão de 
condução as atrocidades e hoje futuro, sempre lutar religião como identidade de marca, o 
que confirma que a liberdade passa por uma sociedade secular e plural.

Libertarian Alternativa / FdCA

12 de janeiro de 2015

http://www.fdca.it/int/noisiamocharlie.htm


More information about the A-infos-pt mailing list