(pt) France, Alternative Libertaire AL #246 - Leia: Alain Brossat, "Podemos falar com o inimigo?» (en, it, fr) [traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 7 de Fevereiro de 2015 - 15:49:33 CET


"Este livro questiona o estado de inimizade política nas sociedades contemporâneas. O jogo 
do que é auto-designado hoje como " democracia " é manter a negação de conflitos e 
divisões através do estabelecimento de um regime de fluxo geral, onde todos os solavancos 
são solúveis em uma comunicação bem regulado. É para nos convencer de que não é apenas 
"parceiros sociais" simplesmente separados por mal-entendidos ou diferenças de rendimento 
para compartilhar o sentido de interesse comum. (...) Ao propor um cruzamento de 
diferentes figuras em que a questão surgiu da relação com o inimigo, as práticas de 
inimizade (...), este livro tenta retornar ao pensamento político contemporâneo que 
chatear pergunta: em que condições e com que propósito é que podemos falar com os nossos 
inimigos - ou devemos abster-se de fazê-lo? " (nota do editor)

Com Podemos falar com o inimigo? Alain Brossat continua sua reflexão salutar, conceitos 
filosóficos e políticos, em torno infinitamente rehashed (para novlang se tornar a 
quinta-essência de nossas sociedades contemporâneas capitalistas neoliberal) que são 
"democracia", "humanos homem "e" cultura "e fazê-lo rapidamente: tudo que é suposto para 
mais ou menos" óbvio "e do consenso, da direita para a esquerda (" (... ser cauteloso, 
sempre)! à esquerda da esquerda "incluído). É um eufemismo para dizer que Alain Brossat é 
um filósofo da dissidência. Apoiando o seu trabalho em um diálogo constante com Michel 
Foucault (entre muitos outros), e, para usar suas próprias palavras, "além", ele está 
entre os que não poupará nada nem ninguém na busca de pensamento e uma ação crítica 
abrindo possíveis futuros revolucionários. Basta dizer que, nestes tempos de negação do 
pensamento e regressões Brossat ler, conversar com sua pesquisa é uma necessidade 
absoluta. No momento em que chafurda ultramédiatique políticos de todo o espectro 
político, e não apenas em época de eleição (que Deleuze disse que "nós[vai] tem muito 
tempo" ), devemos concluir com ele para as nossas lutas de hoje ' hui e futuro: "Nós não 
comunicar com o inimigo que lutar.»

Marco C.

Alain Brossat, podemos conversar com o inimigo? , preto e vermelho edições, 92 páginas, 7 
euros.

Leia o blog Silêncio que fala uma longa passagem, e sobre o livro, um texto Joachim 
Dupuis, Silêncio das Sereias.

http://www.alternativelibertaire.org/?Alain-Brossat-Peut-on-parler-avec


More information about the A-infos-pt mailing list