(pt) Federação Anarquista Uruguaia - Solidariedade com o povo venezuelano - contra todas as formas imperiais, e os Yankees! (ca) [traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015 - 13:26:15 CEST


Lá não tem sido suficiente um Prêmio Nobel da Paz e as bordas artificiais mais populistas 
para cobrir ou apenas fazer-se o rosto endurecido pela batalha incessante do imperialismo 
norte-americano. Obama, o homem da paz, deixa porta entreaberta ou deixa de pagar a 
atenção nos Estados Unidos. Controle multifocalidade e atenção dos Estados Unidos para o 
que acontece no mundo não permite fuga aparente em grande escala, mesmo com o compromisso 
político militar concentrada no Oriente Médio, Rússia, China. ---- Venezuela foi declarado 
um inimigo dos Estados Unidos, por decreto do próprio Obama. Muitas perguntas surgem 
buscando retórica sobre como este governo que tem incorporado a sua história em guerras 
contra os povos em todo o mundo, pode desafiar e sair como garante de um processo de 
diálogo e ainda com o aliado do governo colombiano.

Claro interessados no petróleo e na bacia do Orinoco, naturalmente muito interessado em 
america do norte controlar novas alianças que integram os países do Caribe com os 
subsídios para que o governo venezuelano quer promover como novos parceiros de negócios. 
Claro interessado em tudo o que pode significar uma diminuição dos recursos energéticos na 
China. Mas para chegar a esse deveria nutrir várias ações. As ações a serem direcionados 
para onde eles têm os piores problemas: o campo ideológico.

Eles têm feito com todos os tipos de sabotagem e conspirações de qualquer âmbito. Pouco 
surpreso quando falamos sobre a presença norte-americana na América do Sul este com a 
seriedade de, e muito menos na Venezuela, que permanece na memória não só do sequestro do 
ex-presidente Hugo Chávez fechou impressão digital yankee, uma longa jornada bastante 
interferência por adidos diplomáticos, culturais e militares de todos os tipos, fundações 
e ONGs truta bancando a oposição e os etceteras mais conspiratórias e assassinos que essas 
histórias merecem.

Tudo parece indicar que, nesta fase tem muito mais as relações e ações entre o direito da 
América Latina e os EUA. Falamos sobre o latifundiário rançosa direita e detentor dos 
meios de comunicação; o direito de não tolerar ou permitir que o progresso em matéria de 
direitos humanos, a impunidade que investe todos os territórios do passado e do presente. 
As sondas que quer que o neoliberalismo nos anos 90, eles são os únicos que criticam e 
tentam destruir o desenvolvimento social, auxilia a pequena política de cuidados de saúde, 
a continuidade intransigente da privatização, em sua forma mais radical. Eles têm bastante 
ir para a lei de imprensa na Argentina e detenção de torturadores e plano Condor genocida. 
Eles se ressentem e muito levantamentos da produção agrícola, para tocá-los um centésimo 
mesmo acumular milhões por dia.

E não há como se nada sem recolher piolines sobre o seu passado recente e bem lembrado 
Obama, o executivo norte-americano, declarado inimigo não apenas a Venezuela, mas é 
oferecido como um fiador para as negociações. As negociações entre os partidos do governo 
e do direito de golpe guarnição e observadores como os EUA e Colômbia. Eles não vão 
procurar outra coisa que avançar eleições nacionais ou ativar um mecanismo de 
desestabilização e requebrado constante pela inteligência CIA. Nada melhor intervir a 
partir daí, de seu seio onde o confronto populares também leva para as ruas.

E há algo que os EUA não querem, e não menos, poderíamos até dizer que é o centro da 
questão. Apenas interessados para alimentar uma administração Obama distinta petrolífera 
do Orinoco?, Contra o que e quem deve dar a última e definitiva batalha?. Preocupação sem 
dúvida a partir do ângulo ideológico é a resistência à dependência US irrestrito dizer 
diferentes blocos políticos formados nesta área. Bloco mesmo a partir da mesma estrutura 
capitalista eles querem mais independência dos Yankees. Isso é precisamente o que incomoda 
o governo da Casa Branca, em Washington. Quer ter seu quintal à vontade e em linha com a 
sua estratégia de polícia do mundo e ter as riquezas desses lugares sem a resistência de 
seus subordinados.

Eles podem não como as pessoas reivindicando sua soberania e auto-determinação. Soberania 
que não suporta espaço para a interferência assassina da história negra das políticas 
imperiais da CIA e dos EUA. Não há lugar para ele com um povo forte, com poderes com a 
memória. Não há espaço para conformidade e sim para a resistência. Isto é indicado pelos 
medidores de opinião que mesmo o mais correspondem a CNN, New York, Washington e indicam 
que haveria uma rejeição unânime quase total da população venezuelana a uma intervenção 
colonial americano. Há algo ali, algo ocorreu que pode ser visto, não tem muito tempo de 
conteúdo para a opressão e saque.

Porque é um imperialismo norte-americano inimigo claro, que lembram o nosso povo da 
memória imediata-se mais cedo. E é exatamente o que agora está fora para defender, na 
Venezuela, apesar de críticas mais robustos pode dizer que é um punhado, um punhado de 
conquistas populares, por força do próprio movimento popular. Eles também chave para a 
capacitação abaixo e nos bairros da classe trabalhadora.

Chega de intervenção dos EUA na América Latina!.

Contra tudo o imperialismo, e os EUA!.

Por processos populares destinadas a partir de baixo para a construção de uma nação forte!.

Acima da luta !!

Fonte: http://federacionanarquistauruguaya.com.uy/


More information about the A-infos-pt mailing list