(pt) France, Alternative Libertaire AL #243 - Leia: Alain Bihr e Roland Pfefferkorn "Dicionário da desigualdade" (en, fr) [traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Terça-Feira, 25 de Novembro de 2014 - 08:28:29 CET


Mais de 400 páginas e 500 entradas escritas por 215 estudiosos de humanidades e ciências 
sociais (sociologia, economia, filosofia e direito, geografia e estatística, etnologia e 
antropologia, e até mesmo na medicina e matemática): o dicionário escrito sob a direção de 
Alain Bihr e desigualdade Roland Pfefferkorn parece particularmente bem equipado para se 
pronunciar sobre o assunto. ---- Acontece que já o primeiro dicionário de seu tipo 
(pode-se até aproximar os domínios de dicionário de Manouchian coletiva publicada em 2012, 
em Syllepse). Encontra-se também que o livro foi escrito para atender a uma dupla 
princípio da multidimensionalidade e multi-disciplinar. Em outras palavras, a análise da 
desigualdade social requer a mobilização de trabalho de diversas áreas distintas de 
pesquisa científica. E estudar a sua aplicação a ser coberto em todos os campos da 
expressão prática. As desigualdades entre as classes sociais e entre os sexos (ou gênero), 
Desigualdades (ou classes de idade) e as desigualdades sócio-espaciais, as desigualdades 
entre os grupos raciais (ou entre nacionalidades dentro de um estado) como as 
desigualdades entre os grupos dos Estados em todo o mundo: examinar as desigualdades 
induzidas necessariamente por esta dupla orientação multidimensional e multidisciplinar, a 
perspectiva internacional pode atestar a coerência estrutural das políticas neoliberais 
exercidas no Sul como no Norte (de onde a existência de entradas geográficas, como 
"Brasil", "China" e "Índia").

Essa consistência permite finalmente compreender as desigualdades sistêmicas que, apesar 
de sua especificidade que é, obviamente, não é negar, interagir uns com os outros, a ponto 
de co-produção e determinar mútua e reciprocamente. Como tal, ele irá ver imediatamente a 
entrada "intersetorialidade", escrito pelo filósofo Elsa Dorlin. Este conceito, proposto 
no final de 1980 pelo advogado americano Kimberle de Crenshaw e autorizada no âmbito dos 
estudos de gênero, sugere a "relação entre as relações de poder" (p. 207) que descreve 
exatamente a situação pessoas simultaneamente passando por diversas formas de dominação. 
Alain Bihr e Roland Pfefferkorn expor claramente na apresentação introdutória ao seu 
dicionário: contexto que rege a composição do seu trabalho se encaixa na "onda de 
políticas neoliberais", que têm ajudado a quebrar a espinha de (p. 5) os países do Sul a 
partir das antigas vítimas do terceiro mundo dos programas de ajustamento estrutural 
previsto pelo Banco Mundial e pelo FMI, para arruinar a economia dos Estados Soviética 
comando de repente convertido ao capitalismo selvagem e enfraquecer as políticas de 
protecção social rasgadas Alta luta no Norte, em nome da desregulamentação do capital e da 
desregulamentação do mercado.

Mas também é um resultado da regressão social causada pelo neoliberalismo que o 
entendimento hegemonia simbólica da desigualdade só prisma marxista das classes sociais 
tem sido questionada em nome do advento de novos sujeitos políticos de contestação 
desejosos "complexidade do problema. Isso significa que o problema da desigualdade não 
pode ser reconhecido sem as discussões que existem como objeto de conhecimento e controle 
objetivos científicos como os movimentos sociais fazem. Não haveria definitivamente há 
consenso na análise da desigualdade, uma vez que já chamando o questionamento das relações 
de poder, também exige atores coletivos envolvidos para discutir a respectiva 
especificidade, sem subestimar qualquer de suas interações ou suas intersecções. A partir 
deste ponto de vista não pode ser identificado através da entrada "anarquismo", escrito 
por Irene Pereira essa multiplicidade de formas de dominação de uma seção genérica e 
crítica radical da autoridade hierárquica, quando a perspectiva tradicional marxista 
prioriza-se a analisar as desigualdades por sobrevalorizar como "contradição principal" o 
único campo econômico. Deve ser entendido, a desigualdade social capturado em sua 
cobertura multidimensionalidade um fato social total e merecedor plural para liberar com 
base em levantamentos de campo e conceituações de natureza sistêmica. O sistema de 
desigualdades e refere-se à consistência das relações sociais desiguais contra os quais a 
igualdade, então, se aplicam à idéia reguladora como sempre que é praticamente negado. 
Este postulado fornece o sentido de luta comunista libertário ea desigualdade Dicionário 
Alain Bihr Roland Pfefferkorn e, portanto, representam um sacramento especial para furbish 
seus braços, onde a compreensão mais cientificamente rigorosa da realidade permite melhor 
lutar politicamente para realização possível.

Franz B. (AL 93)

? Dicionário desigualdades, sob a direção de Alain Bihr e Roland Pfefferkorn, Armand 
Colin, 2014, 440 páginas 29 euros.


More information about the A-infos-pt mailing list