(pt) France, Alternative Libertaire AL #235 - Leia-se: Leonardo Padura Fuentes, "O homem que amava os cães" (en, fr) [traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 10 de Março de 2014 - 14:46:09 CET


O que é esse homem misterioso que anda por estas duas borzois na praia de Santa Maria del 
Mar? ---- Esta questão coloca-se de forma incansável Ivan não é a pretexto de um discurso 
sobre a paixão para os caninos, mas o ponto de partida para uma história sobre a história 
magistralmente encenado em O homem que amava os cães, pavimentada 750 páginas. Em um 
estilo que é ao mesmo tempo simples e poderosa, Leonardo Padura traça a carreira de Ramon 
Mercader, agente de Moscou que matou Trotsky, o seu envolvimento na Guerra Civil Espanhola 
para o desfecho fatal no México em 1940 e ainda mais tarde. A história leva-nos nos 
bastidores, abissal, assustador e emocionante, a história do século XX, está aqui 
ficcionada mas ricamente inspirada por fatos e pessoas reais. Dividido em três áreas e 
narrativa temporal deste livro nos convida a segui ao longo de três personagens: Ivan 
cubano veterinários anos 70 desiludidos ao início dos anos 2000, Trotsky, sua expulsão da 
URSS até seu assassinato, e Ramon Mercader . Até que o destino dos dois primeiros 
cruzamentos, tragicamente, o homem com o machado.

Mais do que um romance histórico, O homem que amava os cães se lê como um thriller 
emocionante - embora saibamos o fim desde o começo - onde se segue passo a passo o 
desenvolvimento da mecânica mortal eo destino implacável para remover o ex-chefe do 
Exército Vermelho. Mas este livro é antes de tudo um intenso debate político sobre a 
degeneração totalitário da URSS. Entre os crimes cometidos pelos serviços secretos 
soviéticos no mundo, expurgos políticos durante os processos de Moscou e da situação 
cubana contemporânea incontáveis ​​ecoa o desvio stalinista são múltiplas, cansativa, 
quase sufocante. Usando um profundo, rico escrita, o autor narra a força destrutiva da 
mentira ideológica e capacidade de distorcer a maior utopia humana da história moderna que 
trouxe a Revolução Gloriosa dos soviéticos. Esta entrada no abismo da história nos faz 
sentir com horror o que era as terríveis conseqüências da aquisição de Stalin, seja no 
momento dos factos ou hoje. Passagens sobre manobras obscuras do comunista durante a 
Guerra da Revolução Espanhola e, como tal, são extremamente esclarecedor.

Mas o autor não quer dizer concurso com Trotsky e seus comparsas. Porque ao longo da 
história surge marca d'água que pergunta incômoda: deriva estalinista que não foi escrito 
nos genes do poder autoritário dos bolcheviques? É a esta pergunta retórica que tenta 
responder à comunismo libertário.

JR (AL Alsácia)

Leonardo Padura Fuentes, o homem que amava os cães , Metailie, 2011, 670 p., € 13,30


More information about the A-infos-pt mailing list