(pt) UNIPA, O estatuto do torcedor, a criminalização das torcidas organizadas e a elitização do futebol (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 16 de Junho de 2014 - 09:11:37 CEST


O discurso oportunista do governismo de que a luta contra a Copa do Mundo no Brasil não 
representa o povo brasileiro é totalmente falso. O discurso oficial é de que o "povo ama 
demais o futebol" e por isso não se contraporia a Copa. ---- Por outro lado existe um 
discurso, dentre os supostos conscientes, de que o futebol seria "o ópio do povo" e de que 
o processo de desalienação das massas populares passaria pela negação do futebol, nada 
poderia ser mais falso! ---- O futebol latino-americano, desde seu inicio teve influência 
de distintas correntes classistas dos trabalhadores das mais diversas matrizes teóricas. 
Diversos times que nasceram da influência direta do classismo e hoje são apenas grandes 
empresas. ---- Mesmo com o desenvolvimento da mercantilização do futebol, este continuou a 
ter ligação com a politica. A luta da Democracia Corinthiana contra a Ditadura 
Civil-Militar reflete esse processo a nível nacional. Casos semelhantes ocorreram pelo mundo.

Recentemente o levante popular no Egito expôs de modo sintomático o papel das torcidas 
organizadas. Em um contexto em que as organizações sindicais e estudantis se encontravam 
na ilegalidade, as torcidas organizadas cumpriram um importante papel nas mobilizações 
populares.

Ainda que como menor intensidade o levante popular do ano passado teve um papel importante 
das torcidas organizadas, em algumas cidades torcidas rivais se encontram para combater o 
inimigo comum: o Estado.

A desorganização das organizadas


Foto da faixa da Ultras Resistencia Coral. Torcida de esquerda do Ceará. Registrada nas 
manifestações do dia 19/06/2014. Faixa proibida nos estádios pelo estatuto do torcedor.

O descontentamento dos torcedores está ligado ao processo de elitização dos estádios e 
criminalização das torcidas. A criminalização das torcidas é proveniente do Estatuto do 
Torcedor que, de modo semelhante ao que a Carta Sindical fez aos sindicatos, tutelou as 
torcidas a juízo do Estado.

Assim, o discurso de construção dos estádios padrão FIFA somou-se com o propósito inicial 
do Estatuto do Torcedor que era de elitizar o futebol ao restringir/limitar/criminalizar 
as torcidas que são o complemento do futebol e fazem parte da cultura popular brasileira.

A construção desses estádios teve por proposito impedir o acesso do povo ao futebol, basta 
notar que umas das principais características destes foi a eliminação das "gerais", espaço 
popular no qual o ingresso custava apenas 1 real. Hoje os ingressos além de muito caros se 
adequam ao horário do fim das novelas, elitizando mais ainda os estádios.

Em Junho do ano passado, apesar de toda a rivalidade, vimos várias organizadas unindo-se 
para combater o Estado e sua politica de elitização dos estádios via Copa do mundo. A 
única maneira de derrotarmos o Estatuto do Torcedor e a crescente elitização dos 
estádios/mercantilização do futebol é com a união das organizadas contra o Estado.

FUTEBOL PARA O POVO!

NÃO VAI TER COPA!


More information about the A-infos-pt mailing list