(pt) Uniaoan Arquista UNIPA - Causa do Povo nº 70 - O Eleição estatal 2014: NÃO VOTE! LUTE! (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 26 de Julho de 2014 - 08:12:17 CEST


"O sufrágio universal é a exibição ao mesmo tempo mais ampla e refinada do charlatanismo 
político do Estado; um instrumento perigoso, sem dúvida, e que exige uma grande habilidade 
da parte de quem o utiliza, mas que, se souber servir-se dele, é o meio mais seguro de 
fazer com que as massas cooperem na edificação de sua própria prisão." ---- Mikhail 
Bakunin ---- O levante de Junho de 2013 também expressou a indignação da população com a 
política eleitoral encampada pelos partidos burgueses e reformistas sejam eles de direita, 
esquerda, governistas ou paragovernistas. ---- No entanto essa polarização entre "direita 
e esquerda" no atual contexto perde cada vez mais seu sentido visto que o bloco governista 
(PT/PCdoB) vem implementando todas as medidas neoliberais e anti-povo da direita ruralista 
e das frações da burguesia brasileira que FHC/PSDB não conseguiu.

O bloco governista (PT/PCdoB) e o bloco histórico da direita brasileira (PSDB/DEM) não 
representam projetos de classe diferenciados, representam uma disputa interna da própria 
burguesia e suas frações. Em 2002 a burguesia nacional percebeu que um governo de um 
partido de base popular/sindical (PT/PCdoB) poderia implementar melhor e mais rápido as 
reformas e medidas neoliberais que estas elites precisavam para o seu desenvolvimento 
econômico, que nada diz aos trabalhadores em geral. Este é um desenvolvimento conservador 
que manteve as riquezas na mão da burguesia nacional e aplicou medidas cosméticas em 
relação aos problemas estruturais do país como desigualdade, superexploração do trabalho, 
concentração de terras.

Em contrapartida temos setores reformistas que não estão no governo, mas que reproduzem a 
lógica do governo no movimento social (estudantil, popular, sindical) e por isso são 
paragovernistas (PSOL, PSTU, PCB), que jogam o jogo das eleições burguesas. Apesar de 
intervir e dirigirem alguns movimentos e sindicatos, a centralidade da luta para estes é a 
disputa eleitoral, e para vencer as eleições burguesas vale de tudo, até se aliar ao PCdoB 
em 2012 em Belém como PSTU e PSOL fizeram, ou se aliar ao DEM em 2012 no Amapá como o PSOL 
fez, ou ainda chamar o voto em Dilma numa campanha "Derrotar Serra nas urnas e Dilma nas 
ruas" como o PCB fez em 2010. Exemplos de sujeira não faltam.

A abstenção eleitoral, que aumenta a cada eleição burguesa, é classificada pelos 
reformistas e pela direita como 'alienada' e desimportante. Como não querem abrir mão de 
suas estratégias de conciliação de classes, preferem fechar os olhos para a realidade de 
que as trabalhadoras e trabalhadores não confiam mais na farsa eleitoral.

O que está em jogo é a capacidade de organização da classe trabalhadora

Nesse ano o boicote às eleições burguesas deve expressar o descontentamento popular e ser 
parte da preparação de uma luta dos explorados e oprimidos contra o sistema, uma campanha 
de boicote que ajude a desenvolver a experiência e organização autônoma de classe.

O boicote eleitoral é importante. Mas ele é apenas a negação do sistema. Os explorados e 
os oprimidos precisam também ter uma ação positiva, lutar por direitos econômicos e 
políticos. A GREVE GERAL é a palavra de ordem de construção. Devemos fazer não somente a 
divulgação do "Não Vote!", mas o "Lute" deve significar a adesão ao método da greve geral 
e uma pauta de reivindicações que deve ser levada aos bairros de periferia, fábricas e 
campos para criar um forte movimento de protesto. Essa é a tarefa dos COMITÊS "NÃO VOTE, 
LUTE!"

Por isso a UNIPA conclama os anarquistas e revolucionários do Brasil para construírem os 
comitês locais da campanha "NÃO VOTE, LUTE!" ligados a uma política nacional de propaganda 
e agitação, decidida democraticamente e aplicada segundo o princípio da responsabilidade 
coletiva. Essa campanha visa realizar as tarefas negativas e positivas apresentadas acima.

Construa essa campanha em seus bairros, zonas, municípios. Entre em contato através do 
email: unipa  hush.com


More information about the A-infos-pt mailing list