(pt) São Paulo, Br, A PLEBE nº 80 - Jan/Fev-2014 FOSP/COB-ACAT/AIT

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 7 de Fevereiro de 2014 - 18:48:42 CET


Órgão de Divulgação da Federação Operária de São Paulo (Fundada em 1905) ---- NEM PARTIDO, 
NEM PATRÃO! @ Ligada a Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT-IWA) Caixa Postal- 
1.693 / /CEP- 01009-972 - São Paulo/SP - E-mail: profosp  bol.com.br -- 14º FEVEREIRO 
ANTIFASCISTA ---- 6 de fevereiro de 2000 - Edson Néris da Silva passeava de mãos dadas com 
seu companheiro Dario Pereira, na Praça da República, quando foram surpreendidos por um 
grupo de skinheads, denominado Carecas do ABC. Dario conseguiu escapar, mas Edson foi 
espancado barbaramente a chutes e golpes de soco-inglês Faleceu a caminho do hospital, em 
decorrência da várias hemorragias internas.  ---- Esse fato levou a um forte repudio 
social e se desenvolveu um movimento de protesto anti- fascista, hoje em sua 14ª edição, o 
FEVEREIRO ANTIFASCISTA. Mas as agressões não pararam e continuam até hoje.

16 de Janeiro de 2014 - A mãe do adolescente Kaique Augusto dos Santos, 17 anos, 
encontrado morto no sábado (17/01/2014), no centro de São Paulo, acredita que o filho foi 
assassinado em um crime de natureza homofóbica. "Eu tenho certeza que ele foi vítima de 
preconceito.  A forma que ele foi encontrado, sem dentes, muito machucado, todo 
desfigurado, com uma barra de ferro na perna, foi uma crueldade. Eu só quero que a polícia 
diga quem foi que matou meu filho", disse Isabel Batista.

O corpo de Kaique foi  encontrado na avenida Nove de Julho. O caso foi registrado na 2ª DP 
(Bom Retiro) como suicídio. Os parentes conseguiram localizar o corpo de Kaique no IML 
somente na  manhã de terça-feira  (14/01), tratado como indigente.

FARCISMO 
                                                                                      (A 
GRANDE MENTIRA DO CAPITALISMO!)

Oficialmente se considera que o fascismo surgiu na Europa entre as duas Guerras Mundiais. 
Claro, temos de lembrar, o capitalismo enfrentava grave crise com o crescimento mundial do 
sindicalismo revolucionário.  Terminada a guerra, em 1918, a revolução social eclode em 
vários países da Europa. Rússia, Alemanha, Bulgária, Espanha, Ucrânia. Se estabelece o 
governo bolchevique, que se declara comunista e estabelece uma ditadura - que diziam ser 
do proletariado.

A burguesia se apavora e resolve apoiar um movimento que se insinuara através da 
Inquisição nas escolas da Igreja, que passaram a cultivar, além da religiosidade 
exacerbada, conceitos moralistas de respeito a hierarquia social, as autoridades, ao 
clero, o amor a pátria, e a intolerância contra a diferença. Era o inicio da nova 
Inquisição e a perseguição contra OS NOVOS HEREGES, os socialistas, anarquistas, 
comunistas, sindicalistas - que se juntaram aos velhos, os judeus, os negros, os 
homossexuais, os ciganos, etc.

Essas escolas, criadas apos a Comuna de Paris, em 1871, na Francia,  se desenvolveram 
rapidamente nos países latinos, em especial em Portugal e na Espanha, onde nasceu o 
Integralismo. A designação FASCISMO, surge na Itália, com o apoio da casas da nobreza, com 
a adesão de um ex-militante do Partido Socialista italiano, Mussolini, que apos aderir aos 
valores integralistas cria o Partido do Fascio(feixe). Na Alemanha o Partido Socialista 
dos Trabalhadores Alemães decide mudar de nome e de programa, passando a chamar-se Partido 
Nacional-socialistas (NAZI, como corruptela), começa a ascensão de Hitler. Nos U$A, a KU 
KLUX KLAN, já era forte, apoiada no rancor pelo fim da escravidão em 1865.

Todo esse movimento fascista mundial, foi lançado contra o movimento socialista dos 
trabalhadores, que vinham conquistando a Redução da Jornada de Trabalho para 8 hs/dia 
desde o inicio do século XX. As tentativas de revolução são derrotadas na Europa e na 
América. No México a revolução entra numa fase de reforço do Estado. Os grandes movimentos 
grevistas na América do Sul, em especial no Brasil , no Chile, no Peru e na Bolívia, que 
chegaram a conquistas históricas - como a REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO - terminaram 
sendo derrotadas pelo avanço da repressão estatal, que criou Campos de Concentração (como 
o da Clevelândia, no Brasil), deportou  centenas de militantes, e destruiu os sindicatos 
livres impondo a criação de sindicatos ligados ao Estado e por ele controlado.

Com o ressurgimento do movimento social planetário, renovando e defendendo a luta dos 
trabalhadores, a corja fascista se reapresenta com novas aparências, mas com as mesmas 
velhas ideias. Se vendem como apolíticos, moralistas e nacionalistas. Seu lema "mulher, 
futebol, e cerveja" ilude aos jovens desinformados, estimulados a atacar e matar para 
criar o terror nos meios operários e dividir os trabalhadores. São apenas lacaios da 
burguesia e devem ser combatidos diariamente, em todos os lugares, em nome da liberdade e 
da igualdade. Novamente a FOSP, nos juntamos a todos os antifascistas para defender a 
liberdade de cada um, para a construção de uma sociedade solidaria e justa. A luta continua!

CONTRA O FASCISMO, O RACISMO, O MACHISMO, A XENOFOBIA E O PRECONCEITO HOMO FÓBICO!

PELO DIREITO A DIFERENÇA! & PELO DIREITO A IGUALDADE!

DEVERES IGUAIS, DIREITOS IGUAIS!

CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DO MOVIMENTO SOCIAL!

PELA AMPLA LIBERDADE DE ORGANIZAÇÃO, EXPRESSÃO, MANIFESTAÇÃO E TODO TIPO DE ROLE! 


CALENDARIO DE ATIVIDADES PREVISTAS

- DIA 1« DE FEVEREIRO (SABADO) PALESTRA-COMICIO-DEBATE ANTIFASCISTA NO CENTRO CULTURAL 
VBERGUEIRO A PARTIR DAS 14 HS. (na sequencia Reunião Aberta da Coordenação Estadual da 
FOSP, para organizar as próximas atividades conjuntas)

- dia 22/ 02 ATO-COMICIO ANTIFASCISTA NA PRAÇA RAMOS DE AZEVEDO A PARTIR DAS 10  hs.

SINDICATO LIVRE OU FASCISTA?

A partir de seu surgimento, com a revolução industrial,  o proletariado urbano cresce, a 
medida que o capitalismo e a industrialização se expande. Desde então os trabalhadores - 
produtores da riqueza social - submetidos a condições degradantes (jornadas de 16 hs 
diárias, sem descanso semanal ou ferias, recebendo salários que mal davam para viver)  - 
sentiram a necessidade de se agrupar, para defender seus interesses e reivindicações 
frente a exploração capitalista. Essas associações (TRADE UNIONS, na Inglaterra e 
SYNDICAT, na Franca), uniões de produtores (WORKERS/Inglês, OBREROS/espanhol/, 
OPERAI/italiano) Rapidamente se expandiram e procuraram se unir numa grande organização 
internacional, fundada em 1864, a Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT/IWA). 
No Brasil, desde o inicio do século XX, foi notória a expansão do movimento operário. 
Devido a forte influencia latina historicamente o movimento criou sindicatos 
revolucionários, a partir de Associações De Apoio-Mutuo, e, em 1906 fundou a Confederação 
Operaria Brasileira (COB), com forte influência anarcosindicalista. Porem, a partir dos 
anos 30, durante a ditadura de Getúlio Vargas (o ESTADO NOVO, 1935-45) foram impostas leis 
proibindo os sindicatos livres, criando o Imposto Sindical e os sindicatos oficiais, 
atrelados ao Estado.

Tudo isso como fruto direto de uma legislação criada pelo fascista Mussolini, na Itália, 
com a Carta del Lavoro - modelo usado para a CLT em 1931. Para disfarçar esse fato 
reconheceu, como leis na CLT, as conquistas alcançadas pelos sindicatos revolucionários, 
liderados pela COB, nas grandes Greves Gerais de 1917 e 1919.

Esse e um problema que perdura ate hoje! E nos afeta, a  todos, a cada dia. Esses 
aparelhos sindicais, como repartições mantem uma forte estrutura burocrática, centralista, 
corporativa, vertical e reformista (pelegos, crumiros, carreiristas), que usam o sindicato 
como escola de políticos e trampolim eleitoral. Com isso se assenhoram dos cargos  e das 
mamatas para conservar o poder e manter a classe trabalhadora desorganizada, de pendente e 
com as mãos atadas.

Isso mostra como os sindicatos oficiais de origem fascista, controlados pelos partidos 
políticos, dividem e desorganizam os trabalhadores. A nossa missão deve sempre ser a 
defesa de nossos interesses, nossas vidas e o futuro de nossos filhos. E, para isso só ha 
um jeito assumir a responsabilidade de retomar a nossa organização sindical, desde os 
locais de trabalho e moradia, reorganizar os sindicatos livres e as federações  regionais 
e a COB.

- LUTE CONTRA O FASCISMO E PELO SINDICATO LIVRE!

- COB/AIT, SUA ARMA DE LUTA CONTRA A EXPLORAÇÃO!


More information about the A-infos-pt mailing list