(pt) FARJ Novo Libera #159 - Jornada nacional por soberania alimentar outubro de 14 a 18

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Terça-Feira, 22 de Outubro de 2013 - 10:57:40 CEST


Soberania alimentar: ---- Soberania alimentar tem a ver com direito a preservar os 
recursos naturais, produzir e a se alimentar. Comida sã e saudável, cultura camponesa, 
sistemas locais de produção, industrialização e comercialização, necessidade de politicas 
públicas de apoio a produção e abastecimento de alimentos. ---- "Para que um povo seja 
livre ele precisa ser soberano. Por isso nosso Plano camponês defende a soberania 
alimentar, energética, genética e hídrica" O governo não investe em créditos e terras para 
o campesinato, mesmo assim produzimos mais alimentos que o agronegócio: ---- Para o MPA 
alimentação saudável não pode ser um privilegio para quem tem dinheiro, todas as famílias 
necessitam de alimento em quantidade equalidade. O agronegócio que domina a maioria das 
terras do Brasil utiliza e tem todo o apoio do governo não produz alimento para o povo, 
não podemos continuar sendo enganados!!!

O que ameaça a sociedade
- O governo não apoia a reforma agrária e a produção de alimentos saudáveis;
- Cada Brasileiro consome por ano 5,2 litros de agrotóxico, o uso dos venenos e defendi-
do pelo agronegócio e pelas multinacionais;
- Esse ano foram plantados no Brasil cerca de 67 milhões de hectares com sementes trans-
gênicas! Os transgênicos são altamente perigosos para a saúde humana e a natureza;
- Mais de 3mil brasileiros foram mantidos como escravos por latifundiários em 2012;
- O Brasil possui 27 milhões de hectares plantados com soja ,9,6 milhões de hectares com
cana 6,7 milhões de hectares com Pinus e eucalipto;
- O Brasil é o segundo país no mundo que mais concentra terras nas mãos de poucas
pessoas;

As Multinacionais e o agronegócio

As empresas multinacionais do agronegócio tentam vender a ideia de que o uso de tec-
nologias que elas comercializam (adubos químicos, venenos, maquinas pesadas, sementes
transgênicas...) podem acabar com a fome no mundo. Esse é o discurso usado desde a
segunda Guerra mundial, no entanto todos os dias cerca de um bilhão de pessoas acordam
e vão dormir com fome.

Mesmo produzindo menos da metade dos alimentos, o governo investe
em créditos e terras para o agronegócio:

Agronegócio= povo com fome !!!

Papel do campesinato

O papel histórico da agricultura camponesa e produzir alimentos saudáveis, através de uma
agricultura sustentável, diversificada, geradora de trabalho e com objetivo do 
abastecimento popular.

Lutamos por uma agricultura sem veneno, sem exploração das famílias produtoras e con-
sumidoras, por um espaço de vida de qualidade no campo e na cidade.
Para isso é fundamental que possamos unir as lutas do campo e da cidade realizando
grandes mobilizações de massa para que possamos reivindicar nossos direitos a saúde
educação, moradia,transporte público e direito a alimentação saudável sem agrotóxico e
livre de transgênicos.

Estamos nas ruas hoje lutando contra o Agronegócio que só leva fome e miséria para o povo
lutamos por mudanças no modelo de produção e distribuição de alimentos, somos camponeses
gostamos e queremos continuar morando e produzindo no campo.Nossa luta é para que povo
brasileiro possa ter alimentos saudáveis. Só o campesinato pode produzir alimentos de 
qualidade e baratos!!! CAMPO E CIDADE JUNTOS NESSA LUTA

Lutamos por...

Plano Camponês: que em curto e médio prazo o governo crie Políticas de estrutura-
ção da Agricultura camponesa, com a realização da reforma agrária. Subsídios para produ-
ção de alimentos com a criação linhas de crédito que sejam pagos com alimentos. Programa
de industrialização e mecanização camponesa. Política publica que possibilite a transição
para a agroecologia. Fim do fechamento das Escolas no campo.Criação da Conabrás 100%
estatal;

Legislação sanitária específica para a agricultura camponesa: que permita
a adequação das agroindústrias familiares e comunitárias, ampliando o abastecimento de
alimentos a partir do local;

MPA realizará jornada nacional por soberania alimentar em outubro

O Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) é um movimento camponês, de caráter nacional e
popular, de massa, autônomo e de luta permanente, constituído por grupos de famílias campone-
sas. Seu principal objetivo é a produção de comida saudável para as próprias famílias e também
para todo o povo brasileiro, garantindo assim, a soberania alimentar do país. Além disso, 
busca o
resgate da identidade e da cultura camponesa, respeitando as diversidades regionais.
O MPA integra a Via Campesina, articulação internacional de movimentos camponeses, e
junto com outros movimentos e setores da sociedade luta, por um Projeto Popular para o
Brasil. Atualmente, o movimento está organizado em 17 estados do Brasil.
Entre os dias 14 a 18 de outubro o MPA realizará manifestações em todo o país, o ele-
mento principal da jornada é o dialogo com a sociedade sobre a soberania alimentar, que
é fundamental para a qualidade de vida do povo no campo e na cidade, serão realizadas
assembleias, marchas, ocupações em cerca de 15 estados brasileiros tendo o dia 16 ( data
que se celebra o dia internacional da soberania alimentar) como dia D da jornada.

Para Raul Krauser da coordenação nacional do MPA a soberania alimentar é um direito
popular que é negado pelo estado brasileiro "entendemos como soberania, como a con-
dição de cada pessoa ter acesso a uma alimentação saudável em quantidade e qualidade...
alimentos que estão inseridos no contexto climático e cultural de cada região, no então
oque vemos e a aversão do governo pela soberania, governo esse que garante que trans-
nacionais como Monsanto, Pepsico , Nestlé, dentre outras empresas controlem e decidam
quem vai comer ou não todos os dias". Afirmou Krauser.

O MPA e um movimento nacional que organiza as famílias camponesas de todo o brasil
  a mais de 15 anos, defende o fortalecimento da agricultura camponesa, e a agroecologia
como modelo de produção contrapondo as ações do agronegócio, afirmando que a
função fundamental da agricultura e produzir alimentos com qualidade e que estejam ao
acesso do povo.

Para esse ano o Movimento planeja grandes ações no nordeste brasileiro, região essa que
vem sendo brutalmente invadida pelo agronegócio " o nordeste constantemente vem
sido bombardeado pelas ações das transnacionais, os plantios de comodittes, os agrotó-
xicos e o apoio incondicional do estado e governos para o agronegócio vem assassinado
comunidades camponesas diariamente, a jornada nacional por soberania alimentar vem
para exigir um basta a essas ações que privilegiam poucas empresas ao passo que milhões
de famílias no campo e na cidade são privadas de necessidades básicas, como terra, agua,
alimento e moradia" Afirmou Maria Kazé da coordenação nacional do MPA .

Contatos de imprensa: comunicação  mpabrasil.org.br
  (27) 9766-8270 Bruno Pilon
  Acompanhe as noticias da jornada pelo site www.mpabrasil.org.br


More information about the A-infos-pt mailing list