(pt) Anarkismo.net: O novo ministério para o aliado de ocasião by Bruno Lima Rocha

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 12 de Maio de 2013 - 12:10:39 CEST


Afif já encarnou o rótulo de camaleão da política, as imagens apenas materializam o 
conceito do ex-apoiador da ditadura agora travestido de vice-governador dos Bandeirantes e 
ministro de quase nada no Planalto. ---- Impressiona como o padrão de alianças da política 
brasileira tende a se reproduzir. No primeiro governo Lula, caciques do Partido Social 
Democrático (PSD), ainda a ocupar a legenda e posição udenista do PFL – antes de virar DEM 
– formavam a linha de frente da oposição. Oito anos depois, Gilberto Kassab, herdeiro 
político de Serra na prefeitura de São Paulo, alça vôo próprio, racha os udenistas, 
consegue uma leva de migrantes partidários e agora conquista para seu correligionário um 
ministério. ---- O país dos absurdos continua com a criação de uma nova pasta, 
especificamente para acomodar o aliado de última hora. A Secretaria de Micro e Pequenas 
Empresas (SMPE) é conformada por uma transferência de atribuições.

Antes estas funções pertenciam ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio 
Exterior (MDIC) a julgar pelo baixo orçamento destinado (apenas R$ 7,9 milhões), não tinha 
relevância estratégica para o governo. Seguimos o padrão brasileiro. Na 2ª 06 de maio a 
presidente discursara em São Paulo para a federação do setor reconhecendo as micro e 
pequenas empresas como responsáveis por mais de 11 milhões de postos de trabalho. Se este 
reconhecimento fosse fruto de uma relação de forças para a política econômica do Planalto, 
a pasta jamais viria a existir. Bastaria aumentar as atribuições e a capacidade de 
realização da rubrica dentro do MDIC e estava tudo resolvido. Para compreender o 
argumento, é só fazer um paralelo com os orçamentos respectivos do Ministério da 
Agricultura, Pecuária e Abastecimento com seu primo pobre, o Ministério do Desenvolvimento 
Agrário (MDA).

Detalhe é que Afif continua o mesmo operador com passado malufista, apoiador da ditadura e 
que concorreu para presidente em 1989 pelo antigo Partido Liberal (PL). O líder 
empresarial paulista não modificara uma linha de seu discurso e postura pela diminuição do 
tamanho do Estado e nas denúncias de elevada taxa tributária. Joga de camaleão na política 
profissional, mas mantêm a posição na defesa dos interesses de seu setor de classe. Também 
nunca renegou seu passado pró-ditadura.

Como tampouco o Estado brasileiro alivia a tributação para o setor, a nova pasta é serve 
apenas como vitrine - através do SEBRAE - para Afif e o PSD, entrando no balaio pela tal 
da governabilidade. O vice-governador de Alckmin não é o primeiro arenista a entrar no 
governo de Dilma e, infelizmente, o 39º ministro da ex-guerrilheira é apenas mais um 
aliado de ocasião reforçando o pior da política brasileira.

Bruno Lima Rocha

Related Link: http://www.estrategiaeanalise.com.br


More information about the A-infos-pt mailing list