(pt) Anarkismo.net: A rearticulação conservadora by Bruno Lima Rocha (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 22 de Março de 2013 - 21:30:00 CET


A senadora Kátia Abreu (PSD-TO) representa os interesses dos produtores do agro, com 
ênfase nos grandes proprietários, sistemistas de fato da grande cadeia do Agro, esta com 
posições ainda mais confortáveis dentro do governo de coalizão. ---- O Brasil vive um 
momento de avanço conservador e isso é inegável. O abismo ideológico é notado em uma 
aliança de direita de novo tipo, gestada no interior do governo de coalizão. ---- Logo que 
o pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) foi indicado para assumir a 
presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, li certos comentários que me 
pareceram pertinentes. Para além da crítica aos neopentecostais, alguns colegas docentes 
elaboravam a idéia de uma rearticulação conservadora, mais ideológica do que política, mas 
muito aguerrida em pautas específicas.

A aliança teria dois alicerces. Um deles é o conservadorismo popular, explorado ao máximo 
pela legião de pregadores da teologia da prosperidade metidos em política profissional. 
Outro alicerce é o do latifúndio, setor econômico fundamental para a balança comercial 
brasileira e sempre vitorioso quando disputa uma pauta contra os defensores do meio 
ambiente e agricultura de pequena escala.

A evidência para a aliança conservadora em nível ideológico apareceu em artigo da senadora 
Kátia Abreu (PSD-TO), publicado na Folha de São Paulo de sábado, 16 de março. A também 
presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA, equivalente ao sindicato nacional 
de produtores rurais) escreve um libelo relacionando o pensamento do italiano Antonio 
Gramsci com a proposta de redação do artigo 159 do Código Civil. Neste, segundo Abreu, 
estaria o intento de reviver o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos, elaborado no final 
de 2009 e de pronto descartado por Lula.

No texto proposto para o código civil, seria criado um novo paradigma quanto à posse da 
terra, superando o senso comum ao menos nos temas dos conflitos agrários. Para Abreu, a 
redação proposta, ao não aplicar a retirada imediata dos ocupantes (chamados pela senadora 
de invasores), retira os poderes de pronta-resposta da polícia para “tornar nulo o 
estatuto da reintegração de posse. E, junto com a anulação, o direito de propriedade”.

Ultrapassa o espaço deste artigo, responder palavra por palavra do texto, mas vale 
destacar que Kátia Abreu usa os termos “infiltração nos meios de comunicação” e “quebra 
gradual dos valores cristãos”. Trata-se de linguagem perigosa e terminologia alarmista, 
parecendo saudosa da Guerra Fria e da ditadura. Como o latifúndio não brinca e nem faz de 
si mesmo uma caricatura, é preciso tratar o embate com a gravidade necessária. O país 
passa por uma rearticulação conservadora e é isso tem de ser levado em consideração.

Bruno Lima Rocha

http://www.anarkismo.net/article/25196
Related Link: http://estrategiaeanalise.com.br


More information about the A-infos-pt mailing list