(pt) Brazil, Anarkio.net: A-Info #17 Fevereiro 2013 - Ainda sobre o compromisso ... (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 24 de Fevereiro de 2013 - 14:07:19 CET


Chegamos em 2013 e muito distante está qualquer esboço sério de ruptura com o sistema de 
exploração e opressão atual. A quem devemos atribuir tal situação? E como muda-la?
Primeiro seria muito fácil atribuir todos os males do mundo a terceirxs, aos grandes e 
abstratos gangsteres do império do capitalismo, aos grandes estados sanguessugas, as 
instituições religiosas que “cordeirizam” as revoltas individuais e coletivas. Tudo isso 
tem sua grande parcela de culpa nesse processo de manutenção do sistema. Mas existe uma 
coisa que podemos fazer e isso causa um diferença enorme: é a não adesão ao modelo! --- A 
maioria das pessoas (que é uma minoria convenhamos, ou já teríamos uma revoltar popular 
incontrolável!) que se dizem “revolucionárixs” (ao menos externam uma rebeldia sem sentido 
que pode ser captada, cooptada ou coagida por qualquer grupo ou segmento que saiba usar 
tais bonecos falantes rebeldes) não entendem porque se rebelam, tentam meios que a 
história mostra serem paliativos e que no fim só favorecem a um reformismo moroso e 
evolutivo, sentenciando gerações e gerações a escravidão direta ou mal disfarçada.


Pois sendo objetivo, a questão é muito simples, estamos fazendo a manutenção do sistema 
sem ao menos abalar seus alicerces. Mensalmente nos submetemos com nossa “rebeldia” ao 
controle social sem pestanejar em busca de “sobreviver” e não nos preparamos para a luta. 
Não adianta só escrever, só pichar um muro, só customizar um visual, sair a noite em 
esquadrões antifa, não adianta fazer manifestações de rua ou ocupar casas se não estiver 
junto à isso um compromisso e esse organizado em conjunto bem sintonizado de grupos e 
coletivos dos mais diversos conhecimentos e experiências, sem ter uma consciência das 
consequências e estar apto a se colocar disposição da revolução quando ela, que na verdade 
você assuma que tem que faze-la e não esperar que algum “iluminado” diga a direção.
A revolução é o resultado do compromisso em não aceitar mais as condições de exploração e 
opressão que nos submetem. Cada um tem o estopim disso dentro de si, mas querem acende-lo 
com coisas que não são inflamáveis como partidos, religiões ou até com esportes, que pouco 
inflamam para logo depois se apagarem em meio as estruturas reformistas.
Um combustível altamente inflamável é o anarquismo, pois não é contido por ninguém e 
funciona cada vez melhor com mais e mais pessoas. É incontrolável  mas organizável e esse 
compromisso de organização é necessário que cada um o tenha para que aja iniciativa. Ser 
anarquista sem iniciativa, é algo tão contraditório como com anarcocapitalismo: são duas 
coisas que não existem. Se é anarquista é contra o capital e logo não pode ter como 
referência o meio explorador e opressor que é o capitalismo. Se se diz anarquista e não 
faz nada, me desculpe, tu não passa de umx folgadx parasita que se esconde atrás do 
anarquismo porque acha que pode ficar folgando enquanto que xs outrxs trabalham e lutam.
Disso tudo resumo que é necessário iniciativa e compromisso, sem eles, acordaremos todos 
os dia para manter sistema funcionando como estamos fazendo.
Organizadxs, lutamos!


More information about the A-infos-pt mailing list