(pt) Uruguai: Pode e deve render mais - VISTA CIRCULAR OSL - 25 de julho de 2013 (ca) [traducción automática]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 1 de Agosto de 2013 - 16:03:53 CEST


Como em todos os anos, a responsabilização destaca a contradição entre as prioridades do 
governo e as necessidades específicas de nosso povo. Se a lei orçamentária define questão 
de política de cinco anos, a responsabilidade refere-se a eventuais ajustes, alterações 
parciais ou adições podem ser feitas a partir do parlamento. É claro, então, que o jogo 
decisivo nesta área é jogado com o projeto econômico para cada período. Apesar da luta 
orçamento neste cenário terreno fértil para avançar reivindicações de cada setor da 
imprensa popular, tanto aqueles que decidem sobre onde ir recursos públicos do estado e 
também em particular, que esta entrega é a última antes da proibição eleitoral, segundo a 
qual, tecnicamente, nada pode ser alterado até 2015. É por isso que a responsabilidade é 
de grande importância para os vários sectores do popular estão mobilizados.

Para o movimento sindical luta pela maior orçamento é um slogan levantado em uma cruz 
pelas várias alianças. Os planos do governo em termos de prestação de contas tem uma 
correlação com as diretrizes salariais propostos pelo Poder Executivo como parâmetros para 
placas salariais na próxima rodada de diretrizes de negociação coletiva que além de ser 
insuficiente para os trabalhadores são uma visão para os empregadores que querem ir mais. 
As diretrizes representam convenções executivo para três anos, e dos reajustes anuais e 
semestrais como acima. Além das duas alternativas propostas reajustes para estas dependem 
do comportamento da economia no desempenho geral, e em particular o sector. Nunca claro 
que agora temos de perceber de que lado da balança é o governo.

Existem várias reivindicações muito justas e que cada setor está adicionando para travar 
ajustes na tripartido e bipartido, algumas das mais se destacam são os dos trabalhadores 
do comércio e serviço pedindo um mínimo de 15 mil dólares para trazer as diesmilpesistas 
que são o salário médio no setor, além de reivindicar as horas normais de negócios, a Lei 
de telecentro, prémios para noite e licenças especiais, profissionais de pesca que lutam 
por seus empregos e de recuperação de salário, o metalúrgico que vão pela Lei de 
Responsabilidade empregadores e, no caso troféu de forte união de construção, os que lutam 
acordos coletivos rurais, as condições de trabalho, trazendo à tona a alegação da 
existência de uma lista negra anti-sindical e grandes produtores triagem de resíduos 
agrícolas, que rejeitam o Decreto do Conselho Departamental que exclui os seus carros com 
cavalos para a liberação de materiais recicláveis, os trabalhadores da indústria química, 
que exigem um setor específico da Lei de Saúde Ocupacional e sindicatos educação que nos 
obriga a fazer dimensão separada.

As guildas de educação, os professores e os professores lutam subiu em chamar de maiores 
dotações orçamentais para a educação para aumentos salariais e, entre outras coisas, a 
construção de mais escolas para acabar com a superpopulação de alunos por sala de aula. 
Longe de prejudicar o processo de aprendizagem como o governo eleva a partir dos meios de 
comunicação, pensamos que esta greve vai se espalhar estudantes do ensino uma lição de 
vida importante, dignidade e luta. Mas nem todos pensam da mesma forma, certos líderes 
eminentes a gritar que os sindicatos de ensino "perderam os códigos" e "fazer patoteriles 
atitudes", disse que eles não têm o apoio ou os próprios PIT-CNT coordenadores, alguns dos 
quais são os seus colegas muito atuais, que tiveram de deixar a intersecção se distanciar 
e não ficar preso. Mas desde que ficou preso quando a 28 de junho tentou, sem sucesso, 
desviar-se de um pódio colocar a educação a 2 quadras antes Towers Executivo, onde ele 
estava para chegar. Mais uma vez, os atuais líderes pertencentes ao mainstream, 
trabalhando fora da convenção com o bombeiro para tentar acabar com as reivindicações dos 
trabalhadores que se deslocam. Felizmente, graças a todos os colegas que se preocupam com 
a educação e levar a cada dia, nós transferimos as expectativas na luta para a educação do 
povo não é vendido, e defendeu.

Outra luta pela moradia orçamento é o lugar onde a Federação das Cooperativas de Ajuda 
Mútua (FUCVAM) além de ser um debate nacional através da promoção de habitação, está 
mobilizada para exigir principais itens do orçamento para resolver o déficit habitacional. 
Paralelamente a este aumento nos pedidos de carteira de terrenos disponíveis para a 
construção de moradias e não abusivo regulação Unidade de Reposição, que constituem 
algumas das posturas mais importantes que compõem toda a plataforma de luta que é 
transportado. Claro que a luta habitação não param por aí, é conhecido por todo o status 
dos assentamentos, muitos dos quais estão lutando pelo acesso à educação básica e 
regularização de suas terras e casas.

Mas as reivindicações e lutas contra o projeto político em curso também ouviu o interior, 
várias marchas e várias medidas em defesa dos recursos naturais foram sentidos rejeição 
entre outras coisas, a mineração que, infelizmente, traz novas formas para as 
multinacionais exploram nossos solos são enrriquezcan desencadeando a poluição e os 
sistemas naturais de desequilíbrio promovido pela mineração a céu aberto. O megaminería 
também envolve a construção de estradas através dos nossos prados e portos erocionan 
nossas costas. Claro que, nos planos do governo não está presente sidelurgica reavivar a 
indústria, de modo que o apoio à mineração em lógica pensei que este post está truncado da 
pia. A isso se acrescentam os agrotóxicos utilizados pela indústria da soja está instalado 
em "nossos" Campos ainda trouxe a podridão tributários utilizados pela SBI para o consumo 
diário de água em nosso país. Mas aqui também resistem e lutam tanto Montevidéu e do 
interior do país para acabar com estes mega-projetos de capital.

Contra tudo isso, e para a mudança social verdadeiramente transformadores, não há outra 
solução senão a organização ea luta do nosso povo. Nada vai nos dar, esepcion de migalhas, 
mas acumular forças para tornar a nossa exige um poderoso instrumento de pressão para 
encontrar saídas decentes. No orçamento de luta abaixo da média que começa a colocar a 
saúde à habitação ou social começa a adicionar à educação. Nós levantamos os setores obter 
realizadas percentagens privilejiados receitas do Estado como o aparelho militar e 
repressivo todos os gastos do Estado, como os salários impensadas suculentas dos 
legisladores que estavam circulando de assinaturas juntamente com medo das corporações 
educação com a finalidade de nivelar os salários dos parlamentares para os salários dos 
professores. Há também propostas para aumentar os impostos sobre o capital, ou seja, para 
o grande lucro dos empresários, que são os únicos que estão se beneficiando do que nunca 
com o crescimento econômico. Eles não são idéias malucas que conhecemos, são posturas que 
tocam aspectos-chave da análise do produto-fundador e pesquisa responsável. Além disso, em 
certa medida perguntas como estas têm sido e são ainda hoje alguns dos discursos 
progressistas, como "imposto sobre grandes propriedades", "pagar mais para ganhar mais", 
etc, etc. mas, neste caso, não vai além das referências a propaganda eleitoral.

As lutas atuais que estão sendo realizados por trabalhadores, cooperativas habitacionais, 
estudantes e aposentados, lutas pela terra, contra a mineração e mega-multinacionais a céu 
aberto, a luta contra a impunidade, pela verdade e pela justiça, greve da educação, todos 
nós comprometemo-nos a redobrar os nossos esforços para tornar reais oportunidades de 
organizações sociais de participação e luta popular que enfrentam as muitas problemáticas 
e necessidades em constante busca de soluções coletivas. Unindo Forças unidade de programa 
que propõe a confluência quadros mobilizações e organizações sociais que buscam 
articulações territoriais de coordenação bairro e mesas braços zonais aumenta o amplo 
espectro de forças sociais de suas organizações de base. Falamos de construção do poder 
popular de baixo para avançar para a conquista dos direitos que o nosso povo demanda. 
Porque a única luta que você perde é o único abandonado.


Uma quebra pára o governo elevou os conselhos salariais.
Um círculo de solidariedade luta pela guilds educação.
Para intensificar a luta pela terra para a construção de condições de habitação.
A rejeição de mineração a céu aberto e mega corporações prochectos.
Para fortalecer as organizações sociais para avançar para a mudança social.

COM ORGANIZAÇÃO E LUTA!
PARA O SOCIALISMO E LIBERDADE!

ORGANIZAÇÃO SOCIALISTA LIBERTÁRIO

Link Relacionado: http://www.osl-uruguay.weebly.com


More information about the A-infos-pt mailing list