(pt) Coletivo Anarquista Bandeira Negra* - Professores de todo o país entram em greve em defesa da educação pública (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 28 de Abril de 2013 - 11:08:42 CEST


Professores do país todo paralisam suas atividades entre os dias 23, 24 e 25 de abril em 
defesa do cumprimento da Lei do Piso Nacional da Rede Pública de Ensino e em defesa de uma 
educação de qualidade. A mobilização conta com uma grande adesão nacional. Ao todo, 22 
estados aderiram às paralisações. No dia 23 de abril (terça-feira), milhares de 
professores das redes estaduais e municipais foram às ruas por todo país, demonstrando a 
indignação frente a estados e municípios que descumprem ou distorcem a aplicação da lei do 
piso nacional. ---- A luta por um piso nacional da carreira do magistério é uma 
reivindicação antiga do professorado brasileiro e foi conquistada no ano de 2008. A 
mobilização pela efetivação da lei do piso põe em xeque qualquer esperança de que as 
conquistas virão apenas da institucionalização das demandas do povo.

Mesmo o piso sendo lei nacional, diversos governadores, inclusive o governador do estado 
do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, que enquanto Ministro da Educação promulgou a lei do 
piso, entraram com o pedido de inconstitucionalidade da lei alegando que muitos estados e 
municípios não teriam condições financeiras para pagá-lo.

A não aplicação imediata da lei obrigou professoras e professores de diversas regiões do 
país a manterem-se lutando pela efetivação do direito conquistado. Em Santa Catarina, o 
governo de Raimundo Colombo aplica a lei, que deveria ser um piso, como uma espécie de 
complementação salarial dos professores em início de carreira e que recebiam vencimentos 
inferiores ao valor do piso. Os mais de 60% dos professores que estão em estágios mais 
avançados da carreira não receberam o reajuste. Evitar a distorção da lei e reivindicar a 
descompactação da tabela salarial do magistério estadual são as principais pautas do SINTE 
(Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina).
A adesão à greve nacional no estado de Santa Catarina é grande, na maioria das regionais 
mais de 70% das escolas estão paradas. Mobilizações ocorrem em muitas cidades do interior 
e da região metropolitana.

O Coletivo Anarquista Bandeira Negra é solidário e coloca-se em apoio à Greve Nacional do 
Magistério. Acreditamos que a luta e pressão dos professores é a única garantia de 
cumprimento da lei.
========================================
* Integrante da Coordenação Anarquista Brasileira


More information about the A-infos-pt mailing list