(pt) Brazil, Coletivo Anarquista Bandeira Negra: Moção de Apoio à Luta na UDESC (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 1 de Abril de 2013 - 14:58:51 CEST


As ações neoliberais do governador Raimundo Colombo e do ex-governador Luiz Henrique 
fizeram com que a educação catarinense entrasse em um momento de extrema precarização, com 
o achatamento do plano de carreira dos professores, falta de condições de trabalho e 
estudo, falta de assistência estudantil. A UDESC não está livre disto. No ano de 2011, o 
último decreto do ano do governo Colombo feriu a autonomia financeira da UDESC ao 
modificar a data-base dos técnicos e professores e fragmentando o aumento acordado em 
reunião do Conselho Universitário, além de abrir uma brecha jurídica para o que estava por 
vir, a não realização do orçamento do ano de 2012. ---- Não bastassem as ações do governo 
do Estado, em março de 2012 a Reitoria – em uma tentativa de golpe estatutário – buscou 
aprovar o que chamou de “pequenas adequações” no estatuto da UDESC, datado de 2007.

Essas modificações previam o voto de funcionários aposentados, possibilidade de reeleição 
do reitor, voto dos alunos à distancia, diluindo o voto do estudante que só corresponde a 
25% do colégio eleitoral. Mas dessa vez o movimento estudantil da UDESC se levantou e 
ocupou o CONSUNI, fazendo com que o processo fosse arquivado.

Em agosto de 2012, a comunidade acadêmica se viu às voltas com a notícia da necessidade de 
corte de 20% no orçamento da UDESC. Esse corte, de acordo com a reitoria, seria necessário 
devido a uma crise orçamentária no governo do Estado. Entendemos que essa crise foi 
provocada pela má administração do governo; mas também entendemos que a crise só atinge a 
UDESC dessa forma por uma política irresponsável, que abriu centros por todo o Estado sem 
a mínima condição de funcionamento, além de precarizar os centros já estabelecidos. Não 
somos contra a expansão universitária, mas entendemos que essa expansão deve ser feita com 
qualidade.
Durante todas essas mobilizações o movimento estudantil da UDESC conseguiu debater e 
avançar sobre a pauta da permanência estudantil. A luta por esses direitos acompanha o 
movimento desde a criação da UDESC, pois em quase 50 anos a Universidade nunca teve uma 
política de permanência estudantil, inviabilizando que as classes exploradas tivessem a 
possibilidade de frequentar os cursos oferecidos pela UDESC. A luta dos(as) estudantes por 
uma universidade mais democrática e com políticas de permanência é uma luta dos(as) 
trabalhadores(as) por uma vida mais digna e por um mundo onde as classes oprimidas tenham 
acesso a educação gratuita e de qualidade. Por um movimento estudantil combativo, 
construído de baixo pra cima desde cada sala de aula, cada Centro e Diretório Acadêmico, 
cada ato e ocupação de Reitoria. Todo apoio à luta dos(as) estudantes da UDESC!
Coletivo Anarquista Bandeira Negra
Março de 2013
Arriba los que luchan!
Lutar, Criar, Poder Popular!


More information about the A-infos-pt mailing list