(pt) [Espanha] Crônica da manifestação do 1º de Maio em Madri

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 30 de Maio de 2012 - 17:42:17 CEST


A manifestação, convocada pela CNT-AIT, aconteceu sob o lema "1º de Maio
Anarco-sindicalista: hoje como ontem, seguimos nas ruas".
Mais um ano, e cerca de 1.200 trabalhadores e estudantes, sem liberados ou partidos
políticos, se manifestaram pelo bairro obreiro de Cuatro Caminos, convocados pela
CNT-AIT de Madri, para comemorar o assassinato de obreiros anarquistas em Chicago e
contra o Estado e o capital que os mataram, e que agora ameaçam os direitos que
graças à luta deles e a de muitos outros foram conquistados durante um século e
meio.
Este ano, a manifestação foi marcada por duas coisas: as "negras tormentas que
agitavam os ares" e a diversidade nas formas de expressão dos manifestantes.
A chuva engrossou logo após o início do protesto, mas isso não desestimulou os
manifestantes que ali estavam, como não nos paralisa as "negras tormentas" do
capitalismo e seus cúmplices, dia a dia, nos locais de trabalho.

Entre os que protestavam estavam diversos grupos e assembleias, todas elas
horizontais e de base. E pessoas que, em grupos ou individualmente, sem qualquer
vinculação, carregavam suas faixas, fantasias, etc. E, claro, as faixas de algumas
das Seções Sindicais e Sindicatos da CNT: Biblioteca Nacional, Telecomunicações e
Informática, Saúde, Construção etc.

Como sempre, teve uma tradicional parada na frente de uma igreja católica, onde
expressamos nossa opinião sobre dita organização e seus líderes: "Sacerdotes e
militares, parasitas sociais".

No comício final, três compas da CNT rememoraram os companheiros de Chicago, e
fizeram um apanhado dos diferentes ataques sofridos pela classe trabalhadora e a
crescente repressão estatal, lembrando os presos, incluindo os detidos após o 29M.
Também destacaram que, enquanto o sistema está cada vez mais mercantilizando a vida,
desde a CNT-AIT, desde o anarco-sindicalismo, lutamos para recuperar nossas vidas e
por ser nós que decidamos sobre elas.

Depois da manifestação houve um comedor popular nas instalações da CNT-AIT na Plaza
de Tirso para a autogestão do 1º de Maio, e a exibição do documentário "Sonhos
Coletivos".

Hoje como ontem, a CNT-AIT segue na rua e chama os trabalhadores e estudantes, não
só para se manifestar um dia, mas para se organizar e lutar todos os dias em seus
locais de trabalho e estudo.

CNT-AIT Madri


agência de notícias anarquistas-ana



More information about the A-infos-pt mailing list