=?iso-8859-1?Q?[Canad=E1]_Declara=E7=E3o_comum:_Solid=E1rios_face_=E0_rep?= ress�o pol�ti=?iso-8859-1?Q?repress=E3o_pol=EDtica_?=

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 7 de Outubro de 2011 - 17:20:55 CEST


Com a prisão de dois homens e duas mulheres durante a manifestação anticapitalista
do 1º de maio de 2011, a CLAC (Convergência de Lutas Anti-Capitalistas) realizou uma
coletiva de imprensa em frente ao palácio de justiça de Montreal. Uma declaração
assinada por mais de trinta grupos foi feita pública (leia abaixo). Este comunicado
denuncia a repressão e a construção de perfis políticos e reafirma a solidariedade
entre os diferentes grupos sociais e políticos face ao esquadrão policial, chamado
GAMMA, que criminaliza nossos movimentos.
A enquete preliminar dos 4 acusados e acusadas terá lugar de 11 a 12 de dezembro de
2011. Eles e elas estão presos sob condições que restringem seus direitos de
manifestar e não terão o direito de se comunicarem entre si.


Solidários face à repressão política

Nós denunciamos firmemente a última ofensiva repressiva do Serviço de Polícia da
Cidade de Montreal (SPVM) que visa criminalizar, intimidar e isolar os muitos grupos
militantes além da formação de uma polícia política (esquadrão GAMMA) sob a égide da
divisão de crimes organizados da SPVM.

Que esta nova iniciativa seja premeditada de longa data ou que seja uma outra
bravata à confusão de gêneros própria às forças policiais, enfim, essa não é nossa
principal preocupação. Nós sabemos muito bem que o perfil dos atores políticos não
começaram com o esquadrão GAMMA (Vigilância das Atividades e dos Movimentos
Marginais e Anarquistas) e não terminará com sua abolição, tanto como sabemos que o
esquadrão Eclipse não visa tanto as "gangues de rua", mas sim mais os "jovens de
cor".

Num contexto de endurecimento do capitalismo e de acentuação da marginalização dos
movimentos sociais e de grupos políticos, é essencial e urgente se mobilizar frente
ao ataque contra nossas comunidades. Se se deixa que se ataque a um grupo em
particular, eles terão o campo livre para criminalizar o conjunto dos movimentos
sociais. Frente a essa estratégia de dividir para conquistar, nós devemos nos unir!

Nosso direito de associação, de manifestação e de expressão não é apenas legal, mas
legítimo!

Nosso direito à dissidência, nós não a imploramos, nós a utilizamos quotidianamente!

Observamos que:

* Os dirigentes econômicos e políticos se escondem atrás de um sistema
pseudo-democrático em falência para se enriquecerem a uma velocidade exponencial;

* Essa elite parasitária deve justificar suas políticas anti-sociais aumentando a
repressão;

* Os diferentes corpos da polícia agem como um baluarte contra a mobilização e à
revolta da população frente a um sistema injusto;

* Além de proteger conscientemente os abusos das autoridades, os diferentes corpos
da polícia agem como atores políticos da SPVM para desestabilizar os movimentos
sociais;

* Nós denunciamos todo o jogo político da SPVM e de outros corpos policiais.

* Nós denunciamos toda a criminalização e estigmatização da dissidência e de nossas
opiniões.

* Nós denunciamos toda a forma de construção de perfis políticos, sociais e raciais.

* Nós denunciamos toda tentativa de achaque aos nossos movimentos.

Assinando essa declaração, nós nos engajamos da mesma forma em não colaborar, de
qualquer maneira que seja, com as forças da ordem nas suas táticas de divisão, de
manipulação de perfis políticos, de delação e de desolidarização aos movimentos
políticos.


Uma declaração divulgada por iniciativa da CLAC-MTL (Convergência de Lutas
Anti-Capitalistas).

Assinada por 35 organismos, além de 20 advogados e advogadas e professores e
professoras.

Montreal, 20 de setembro de 2011.

www.clac-montreal.net


Tradução > Tio TAZ

agência de notícias anarquistas-ana



More information about the A-infos-pt mailing list