(pt) [EUA] Três detidos numa ocupação anti-gentrificação em Chapel Hill , Carolina do Norte

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 27 de Junho de 2011 - 20:53:01 CEST


No sábado, 18 de junho, dezenas de anarquistas e de outros membros da
comunidade
realizaram um estridente protesto contra a gentrificação e o capitalismo
verde em
Greenbridge, um complexo "verde” de condomínios de luxo para eco-yuppies.
Manifestantes seguravam do lado de fora do empreendimento faixas enquanto
outros
ocupavam o complexo como forma de expressão da sua indignação contra a
remoção de
inquilinos do bairro. Três pessoas foram presas e acusadas de crime de
"incitamento
a um motim" e destruição de propriedade e contravenção, sendo
posteriormente postos
em liberdade sob fiança.
A manifestação chamou a atenção para todos os condicionamentos infligidos
pelo
projeto, através de um empreendimento construído sob os protestos de
membros da
comunidade, por uma coalizão de multi-milionários que pretendem lucrar com
a mania
burguesa de todas as  coisas serem "verde", “eco” alguma coisa. Mas o
dinheiro é a
única coisa verde em Greedbridge, como foi apelidado pelos residentes.
Segundo relatos, dois grupos de manifestantes convergiram para o
empreendimento por
volta das 14 horas: um grupo de cerca de 20 pessoas estavam na rua em frente,
enquanto um segundo grupo de aproximadamente 25 pessoas, alguns
mascarados, entrou
no complexo e feito uma ruidosa ocupação, batendo palmas e cantando slogans
anti-gentrificação. A polícia alega que uma mesa, algumas peças de arte e
o chão do
hall de entrada ficaram danificados. Lá fora, os manifestantes seguravam
faixas onde
se podia ler: "Agüente se você não puder pagar o seu aluguel”,
"Greenbridge está
fechado", "Guerra Total à Gentrificação", enquanto distribuíam panfletos aos
transeuntes. Quando a polícia chegou, os manifestantes do lado de dentro se
dispersaram, enquanto que o protesto de fora continuou por mais 45
minutos. Este
último protesto é apenas a mais recente escalada de uma campanha em curso
contra o
"desenvolvimento verde" e a gentrificação em Chapel Hill.
Desenvolvimento Capitalista Verde e Resistência
Nos últimos dois anos e meio, os anarquistas de Chapel Hill, juntamente
com um amplo
grupo de inquilinos, proprietários, igrejas, trabalhadores e estudantes
têm vindo a
lutar contra a construção de um enorme condomínio de luxo chamado
“Eco-Greenbridge”.
Muitos acreditam que este projeto acelerou o ritmo da gentrificação e de
remoção em
Northside - e arredores-, um bairro historicamente afro-americano que,
apesar da
constante movimentação de estudantes, permanece em grande parte
multi-racial e da
classe trabalhadora. Este bairro também é lar de anarquistas, que junto
com vizinhos
e amigos perderam as casas devido a presença das empreiteiras
desenvolvimentistas e
dos especuladores que compram todos os bens disponíveis e aumentam
substancialmente
os aluguéis.
O protesto que ocorreu sábado, 18 de junho, contra a Greenbridge foi
apenas o ato
mais recente em uma já longa resistência a este projeto. Resistência que
tem tomado
muitas formas, incluindo fóruns da comunidade em uma livraria local
radical, igreja
hospedando encontros, contrainformação para minar a imagem do
empreendimento, faixas
de protesto, uma chamada para um boicote em toda a cidade, assinada por
mais de 60
famílias de Northside, destruição de janelas no escritório do
empreendimento, uma
"expulsão" do empreiteiro geral do projeto, a fundação de um centro
destinado a
preservar histórias de residentes de Northside chamado “vida e história”,
graffitis
e literalmente milhares de cartazes “lambe-lambe” pelos muros, para além de
telefonemas de ameaças de bomba. Esta luta aprofundou fissuras de longa
data entre a
esquerda liberal predominantemente branca, que mantêm uma forte hegemonia
política
em Chapel Hill e vários
 agrupamentos de instituições locais de negros, estudantes, lojistas,
trabalhadores
de serviços e anarquistas (que são demografias sobrepostas).
Encorajador é o fato de que, apesar do apoio dos “desenvolvimentistas
ricos” e da
esquerda local, a oposição (juntamente com a recessão econômica) conseguiu
manter o
projeto de joelhos. Greenbridge só foi capaz de vender 36 de suas 97 unidades
residenciais e não foi capaz de pagar sua dívida. Quase sem paredes, todo
o primeiro
espaço comercial permanece vazio e inacabado e o Bank of America recentemente
começou o processo de encerramento. Enquanto a conclusão está atualmente
em espera,
há um vínculo com o imóvel, impedindo Greenbridge de vender mais unidades.
Sem mais
capital de investimento, eles estão estagnados e madurinhos para a
ocupação. Ou
seja, a oposição conseguiu um feito: a possibilidade de um projeto popular
no lugar
de um símbolo altamente controverso do liberalismo e do elitismo racista
dos ricos.
Embora o processo de aumentos de renda e gentrificação tenha continuado,
existiu um
painel de candidatos a prefeito,
 que, por unanimidade, declarou no ano passado que eles "não apóiam mais o
projeto
Greenbridge", e até mesmo a Câmara Municipal, pediu uma moratória sobre o
desenvolvimento na área. Em Chapel Hill, "Greenbridge" tornou-se uma
palavra suja.
Tradução > Liberdade à Solta
agência de notícias anarquistas-ana



More information about the A-infos-pt mailing list