(pt) [França] Eles cantam Brassens à polícia e acabam na delegacia

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 17 de Junho de 2011 - 09:04:21 CEST


[Num tempo em que se comemora o poeta e cantor anarquista Georges Brassens
nos salões parisienses, em Toulouse, trinta e duas pessoas foram
convocadas ontem à polícia por terem cantado suas cantigas e músicas
hostis à polícia.]
Rememorando: Na noite de 24 de julho de 2009, um Breton chamado Rennais,
de 27 anos, cantou Hécatombe, de Brassens. E isso da janela de um
apartamento em Cherbourg. O público? Três policiais - que não gostaram.
Julgado numa sexta feira, 27 de maio de 2011, no tribunal correcional de
Rennes, foi condenado ao trabalho de interesse geral (Serviço Comunitário)
de 40 horas, além de ter de pagar 100 euros para dois policiais.
Trabalhos forçados por cantar uma canção daquela maneira!
Já na quarta-feira passada, dia 8 de junho, à noite, em torno de trinta
manifestantes foram detidos em frente à delegacia de polícia de Toulouse,
por estarem cantando uma das grandes músicas de Georges Brassens contra a
autoridade, a do brado "morte às vacas".
Do lado da polícia, o que se diz é que tais "ativistas da ultra-esquerda"
não cantaram somente "Hecatomb", a música agitadora do anarquista
Brassens, mas também outros textos de insulto que constituem o desprezo à
nação e às forças da Ordem Pública.
Respondendo aos apelos da mobilização lançada na internet ou por mensagem
de texto, os manifestantes se puseram a cantar na frente da Estação
Central de Polícia, boulevarde de l'Embouchure, a música em que "bruxas
gendarmicides" [exterminadoras da polícia] de Brive-la-Gaillarde se batem
com os representantes da ordem, e fazem gritar um sargento: "Morte às
vacas, morte às leis, viva a anarquia."
Na quarta à noite, a polícia de Toulouse não gostou do recital um tanto
quanto provocativo. "Havia cerca de trinta, eles nos cercaram", contou um
dos manifestantes, convocados ontem de manhã. Eles foram levados para
dentro da delegacia, tiveram que se identificar e temeu-se que fossem
colocados sob custódia.
Finalmente, 32 deles estão sendo convocados para serem ouvidos pela
polícia, dessa vez em solo.
Uma italiana de Treviso, 27 anos, estava entre os primeiros convocados
ontem pela manhã, enquanto uma vintena de pessoas a aguardava do lado de
fora para lhe apoiar.
"Ontem à noite você apareceu frente à delegacia e cantou músicas que são
uma afronta para a polícia", disse a policial que a ouviu, segundo ela.
Conhecedora de Brassens, ela achou que seu interrogatório foi "ridículo" e
"surreal": "Eu pensei que não havia nada de errado em cantar Brassen
frente à delegacia. Aparentemente, há algumas pessoas que são intocáveis",
disse ela.
Agora, sob todos os céus sem vergonha é um hábito bem estabelecido -
quando se trata de insultar policiais - todo mundo fica amigo... cante em
lugares públicos, frente à delegacias, frente aos comissariados,
tribunais, nos transportes públicos, dos nossos alpendres... Cuidado com
os gorilas!
Associação Os Amigos de George B.; Coral O Coração à George; Grupo George
Você está aí; Libertem George!; Fração George Profundo; Memória do
Comandante Acab; comandante George, a fina-flor da sociedade...
Tradução > Tio TAZ
agência de notícias anarquistas-ana




More information about the A-infos-pt mailing list