(pt) Milhares de pessoas aderiram hoje (23) à primeira greve geral do ano na Grécia

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 25 de Fevereiro de 2011 - 19:54:23 CET


Nova Greve Geral na Grécia contra as medidas de austeridade do governo. Na
manifestação em Atenas participam mais de 200 mil pessoas, com diversos
cortejos. Enfrentamentos entre manifestantes e policiais antidistúrbios
explodiram nas ruas da capital do país.
Os policiais, posicionados diante o ministério das Finanças, na praça
central de Syntagma, lançaram gases lacrimogêneos e bombas de efeito moral
contra os ativistas para fazê-los retroceder. Os protestantes, por sua
parte, jogaram todos os tipos de objetos, principalmente coquetéis molotov
contra as forças policiais. Junto ao parlamento há também registro de
confrontos entre a polícia e os manifestantes.
Lojistas fecharam as portas e os serviços públicos pararam em toda a
Grécia. Os hospitais ficarão 24 horas funcionando apenas em esquema de
emergência. As escolas fecharam, e os transportes foram afetados. Vôos
emergenciais foram autorizados apenas entre 10h e 14h (horário local), e
os navios passarão todo o dia atracados nos portos.
Jornalistas aderiram ao protesto, levando a TV estatal a transmitir
documentários, e as rádios a tocarem músicas.
[Atualizações da Greve Geral até às 17h37]
17h37, Atenas: Após uma pausa, houve pelo menos mais um confronto na Praça
Syntagma.
A polícia tentou dispersar a multidão e pelo menos uma pessoa foi
espancada por um grupo de cerca de 10 policiais sendo depois detida. A
situação está de novo bastante tensa. A estação de metrô de Syntagma foi
fechada outra vez.
16h50, Atenas: Há um apelo para uma concentração na Praça Syntagma às 19h
(hora local). Há seis feridos confirmados entre os manifestantes. Há
muitos policiais da tropa de choque e motorizados na Avenida Alexandras
Volos: Houve três manifestações com cerca de 4.000 pessoas.
16h30, Atenas: Um manifestante sofreu queimaduras sérias por causa de uma
granada de gás lacrimogêneo e foi levado para o hospital. O seu joelho
está em péssimo estado.
Até agora, há pelo menos 20 detenções confirmadas e 4 ou 5 prisões efetivas
confirmadas. Um policial motorizado tentou atropelar um manifestante perto
da Praça Syntagma, mas os polícias foram atacados com um coquetel molotov
e a sua moto foi consumida pelas chamas. As pessoas estão tentando
organizar um concerto de fim da tarde na Praça. A maioria das pessos
ficará na Praça até o concerto.
Tessalônica: Cerca de 200 manifestantes estão em marcha em direção à
delegacia de Aristóteles em solidariedade com a pessoa que foi presa e
levada para lá.
16h10, Atenas: A polícia atacou uma parte da Praça com gás lacrimogêneo.
As pessoas fugiram mas já começaram a voltar e apelam para um assembléia
em frente ao parlamento. A estação de metrô central foi reaberta.
Tessalônica: Há detenções arbitrárias sendo efetuadas por polícias à
paisana. Há notícias de confrontos na Praça Aristóteles. Os manifestantes
atacaram uma delegacia em Ano Polis com coquetéis molotov.
15h38, Atenas: Milhares de pessoas estão na Praça Syntagma, onde cordões
policiais protegem o parlamento. Pelo menos 30 pessoas foram detidas à
frente do ministério dos negócios estrangeiros. As autoridades estão
reunidas preparando a violação do asilo acadêmico. Há gente a reunir-se na
Praça Omonoia e se preparando para ir para a Praça Syntagma. As estações
de metrô centrais foram intencionalmente fechadas pela polícia.
15h23: Há manifestações em muitas cidades gregas, incluindo Tessalônica,
Patras, Ioannina, Kozani, Agrinio, Naxos, Rethymno, Volos, Arta,
Heraklion, Larisa, Serres, Kefallonia, Mytilene, etc. A cidade de Drama
esteve ocupada por manifestantes durante um bom período de tempo.
15h05, Atenas: Há muito gente a juntar-se em frente ao parlamento e apelam
para que toda a gente se reúna ali. As pessoas que estão em Exarchia estão
tentando formar uma assembléia. Muitas notícias dizem que a multidão se
assemelha à de 5 de maio de 2010 (cerca de 250 mil pessoas). Ainda há
milhares de manifestantes nas ruas perto de Exarchia e Propylaea, que
estão tentando aceder à Praça Syntagma. Há muitos policias da tropa de
choque bloqueando as ruas. Em muitos lugares de Atenas, os manifestantes
atiram pedras e a polícia responde com granadas de flash e barulho.
Houve um número indeterminado de detenções. A estação de metrô central
está fechada.
A Praça Syntagma continua ocupada por muita gente.
14h28, Tessalônica: A polícia tentou quebrar a manifestação, através de um
ataque com grandes quantidades de gás e granadas de flash e barulho (flash
bang grenades).
Foram destruídos muitos bancos 24 horas e os confrontos continuam na Praça
Aristóteles e nas ruas circundantes.
14h10, Atenas: Parece uma câmara de gás. Há confrontos violentos por todo
o lado e há muitos manifestantes feridos, incluindo idosos e deficientes.
Há muitos policiais à paisana de capuz. As pessoas mantêm-se nas ruas.
13h57, Atenas: A manifestação foi alvejada de gás lacrimogêneo e dividida
em partes.
Há confrontos em todo o lado e há notícias de motos da polícia em chamas.
Tem havido detenções.
13h40, Atenas: Milhares de pessoas estão na Praça Syntagma. Foi utilizado
muito gás lacrimogêneo para dispersar a multidão. Foram atirados coquetéis
molotov contra a polícia que está na parte de fora do parlamento. Houve
manifestantes que tentaram ocupar o ministério das finanças, que fica
perto dessa praça.
13h30, Atenas: Há mais pessoas a concentrarem-se na Praça Syntagma. A
polícia está a atirar gás lacrimogêneo. De acordo com a emissora Radio
Revolt, a polícia também atacou várias partes da manifestação em
Tessalônica.
12h53, Atenas: A manifestação é uma das maiores que Atenas já viu. Bom
tempo e um ambiente ótimo. As pessoas dirigem-se para a Praça Syntagma.
12h50, Atenas: A manifestação é enorme. Há relatórios que indicam que é
maior do que as últimas manifestações da greve geral do ano passado. O
presidente (corrupto) do GSEE (General Confederation of Greek Workers),
Panagopoulos, foi provocado pelos manifestantes. O PAME (o sindicato
ligado ao PC grego) organizou, como habitualmente, uma manifestação
separada, que também tem milhares de pessoas 12h30, Atenas: Há detenções
"preventivas" de sindicalistas. Milhares de pessoas
continuam a juntar-se. Há muitos polícias à paisana no bairro de Exarchia
e nas ruas limítrofes.
Tessalônica: Polícias à paisana foram perseguidos por manifestantes.
Câmaras de vigilância foram destruídas quando a marcha começou.
Patras: Mais de 4000 pessoas estão a marchar nas ruas centrais da cidade.
Há imigrantes que também se juntaram ao protesto.
12h (horário local): Milhares de pessoas estão no centro de Atenas, Patras,
Tessalônica, etc. As marchas ainda não começaram, há muita gente chegando.
Há milhares de polícias (de choque, motorizada e à paisana) tentando
aterrorizar as pessoas.
agência de notícias anarquistas-ana




More information about the A-infos-pt mailing list