(pt) [França] Lançamento: Pedagogia e Revolução

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 15 de Dezembro de 2011 - 18:39:10 CET


Faure, Reclus e outros são abordados por Grégory Chambat em Pedagogia e Revolução,
questões de classe e (re)leituras pedagógicas, publicado pela Edições Libertalia.
Confinado somente a questão dos meios ou preso à querela artificial que opõe
re(aça)publicanos e pedagogos, o debate sobre a escola é ainda hoje um impasse.
Propor uma releitura dos "clássicos" da pedagogia e questionar sua atualidade à luz
das questões do presente é uma maneira de reativar essa inspiração revolucionária
que guiou os educadores de ontem.
De Francisco Ferrer a Jacques Rancière, passando por Celestin Freinet, Paulo Freire
ou Ivan Illich, se recolhem as crônicas publicadas na revista N"Autre École e se
esboça os resultados de um século de práticas e de lutas para uma educação realmente
emancipadora.
Esse percurso pedagógico alcança igualmente os caminhos esquecidos ou mais
inacessíveis: o aporte do sindicalismo revolucionário, de Fernand Pelloutier a
Albert Thierry ou a obra educativa da revolução libertária espanhola. Por que, se a
posteridade conservou o traço de quaisquer das figuras invocadas aqui, ela não deve
nos fazer esquecer que o combate para uma escola de liberdade e de igualdade foi
sempre uma prática coletiva e social. No domínio da pedagogia, como dentro da ação
militante, quem sabe o que está falando é aquele que fez parte...

Montaigne afirmou: "Educar, não é encher um vaso, mas acender um fogo"... é tempo de
assoprar sobre as brasas!

O autor

No ensino desde 1995, Grégory Chambat trabalha com os alunos não francófonos num
colégio de Mantes-la-Ville (78). Militante da CNT- educação, ele participa do comitê
de redação da revista N'Autre école. Ele publicou Instruir para Revoltar, Fernand
Pelloutier e a educação [N.T.: publicado no Brasil pela editora Faísca], sobre uma
pedagogia de ação direta, e coordenou o livro de entrevistas École: une revolution
necessaire (edições CNT).

Sumário

- Introdução
- Sobre uma pedagogia socialmente crítica...
- Um mito que tem a vida dura: a escola de Ferry segundo Jean Foucambert
- Às fontes do sindicalismo: nem curas, nem patrões, nem Estado
- "Instruir para revoltar", Pelloutier ou a pedagogia da ação direta
- Albert Thierry, o homem presa de crianças
- Francisco Ferrer: uma escola para o Social?
- Espanha 1936: a escola faz sua revolução
- Korczak: a outra insurreição de Varsóvia
- "Uma sociedade sem escola?" Ivan Illich
- A pedagogia dos oprimidos de Paulo Freire
- Bourdieu e a escola
- Jacques Rancière: a escola ou a democracia?
- Freinet... longe?

Edições Libertalia: http://editionslibertalia.com/

Tradução > Tio TAZ

agência de notícias anarquistas-ana



More information about the A-infos-pt mailing list