(pt) [EUA] Crônica da 1ª Feira de Livros Anarquistas de Charlotte sville

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 2 de Abril de 2011 - 12:11:33 CEST


No sábado, 19 de março, aconteceu a 1ª Feira de Livros Anarquistas, em
Charlottesville, no espaço Random Row. É a primeira ocorrida na história
do estado da Virgínia. Havia cerca de 17 organizações representadas,
incluindo AK Press, CrimethInc, e muitos grupos regionais com foco no
trabalho, anti-polícia, anti-prisão, homossexual, etc. e trazendo muitos
textos de teoria e prática anarquista.

Parte da feira contou com oficinas de solidariedade com prisioneiros, a
história contemporânea radical da Virgínia e dois filmes: "A Face da
Dignidade", sobre o Movimento de Trabalhadores Desempregados de Solano,
Argentina, e "Abrigo: Um Squatumentário", um documentário sobre as
ocupações na Bay Área, na Califórnia do Norte. Tudo terminou com um show
de música e uma festa para arrecadação de fundos para o Centro Wayside de
Educação Popular.

Ao todo, participaram cerca de 150 pessoas ou mais. O mais notável foi a
vasta gama de conhecimentos e identidades que estavam presentes, desde
punks, a estudantes, pais, anarquistas jovens e velhos, e uma mistura de
locais e pessoas que viajaram até 400 km para vir. E semanas antes de seu
início, as notícias foram divulgadas o suficiente para chamar a atenção do
departamento de polícia, que visitou o espaço Random Row uma semana antes
da feira. Mas, felizmente, nenhum policial foi visto durante o evento.
Talvez eles estivessem com medo com tantos anarquistas em um só lugar.

Após o workshop solidariedade aos prisioneiros, surgiu um grupo de
residentes de Charlottesville que está começando a se organizar, focando o
sistema prisional. Também Random Row (e Charlottesville em geral)
receberam uma boa dose de anarquismo, que tem sido demonstrado em esforços
para fazer um grupo de livros e correspondência para prisioneiros
(políticos ou não), a construção do site “cvilleanarchism.org”, e a
misteriosa aparição de adesivos e pichações no centro da cidade. Esperamos
que todo esse momento converta-se em algo consistente, sem se perder pela
absorção das políticas estatais. Porque isso é o mais importante de
eventos como este: o que as pessoas escolhem fazer depois que acontece.

Para todos os outros anarquistas que vivem em cidades mais ou menos
pequenas e dispostos a dar uma dose anti-autoritária, nós, organizadores e
organizadoras da feira, recomendamos muito entusiasmados que organizem
feiras ou outras atividades semelhantes para atrair anarquistas na área e
atrair outras pessoas que são simplesmente curiosas. O que queremos dizer
é que não se limitem a qualquer subcultura, abram o acesso à feira (quer
lingüística, física, moralmente, etc.). E não se concentrem em formalidade
ou na rigidez de que tudo ocorra “perfeitamente”. Sejamos anarquistas por
um minuto, não? Destaquem o que é informal e orgânico: fazer amigos,
compartilhar histórias, pedir/dar ajuda voluntária, etc. E, acima de tudo,
fazer um ambiente divertido! Não se preocupem muito em fazer aquelas
apresentações chatas de acadêmicos, discutindo 20 horas sobre o mesmo
assunto. Faça uma feira anarquista.

Saudações e solidariedade,

Anarquistas de Charlottesville e Virginia

agência de notícias anarquistas-ana





More information about the A-infos-pt mailing list