(pt) Nova edição do boletim Cuba Libertária

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 22 de Julho de 2010 - 23:46:51 CEST


[A seguir a apresentação do número 16 (julho 2010) do boletim Cuba Libertária,
editado pelo GALSIC (Grupo de Apoio aos Libertários e Sindicalistas Independentes de
Cuba). Para lê-lo na íntegra peça a cópia eletrônica em pdf desta edição no e-mail:
cubalibertaria  gmail.com.]
Cuba: diálogo... e debate...
Não se pode negar que em Cuba estão se produzindo mudanças significativas, ainda que
sejam poucas, lentas e forçadas. Mas "mudanças" enfim, que não parecem ser
produzidas, como no passado, como simples concessões a pressões externas senão mais
diretamente sob o estado da necessidade interna.
O "diálogo" com a hierarquia da Igreja católica em Cuba é uma prova indiscutível de
que é o regime castrista que está movendo a peça em uma partida na qual parece ter
renunciado a buscar o cheque mate e conformar-se com o empate... Um empate que
significa renunciar ao monopólio da representação social e a estigmatização da
oposição (ou, pelo menos, de uma certa oposição) para negociar com ela a solução de
conflitos internos - o que equivale a compartilhar a gestão da sociedade. Una gestão
que não significa que o castrismo queira avançar para uma democratização decisória,
devolvendo ao povo o poder de decisão; como também sabemos que tão pouco a Igreja é
partidária dela.

Não obstante, estas mudanças são um fato que não podemos menosprezar quantos vem
lutando para que o povo cubano seja o que possa decidir e construir o futuro de
Cuba. E não o devemos porque estas mudanças se inscrevem em uma dinâmica de
protestos gerada pelo crescente mal estar social no seio da sociedade cubana depois
de tantos anos de mordaça e sofrimento. Uma dinâmica espontânea e subterrânea que se
expressa publicamente através da exigência de diálogo em todos os níveis e diante da
qual o castrismo é incapaz de responder satisfatoriamente, mas também de reprimir
eficazmente, ao menos, como antes.

Por outro lado, o diálogo, para que não seja puramente formal, deve transformar-se,
necessariamente, em debate... Debate sobre o que vai mal; mas também sobre o porquê
vai mal? Ou seja: um debate sobre como sair do beco sem saída em que se encontra a
pretendida Revolução para devolver aos cubanos e cubanas a liberdade, a soberania
para decidir, em igualdade de condições, o futuro que desejam para eles e elas.

Socialismo libertário ou capitalismo?

O que é mais normal que, neste debate, coincidam hoje propostas que, desde o
marxismo e o anarquismo, reivindicam o socialismo libertário como alternativa ao
socialismo autoritário e ao capitalismo. Um debate que vem de longe, mas cuja
indiscutível atualidade resulta óbvia através das contribuições que reproduzimos na
seqüência. Contribuições de Pedro Campos, membro da Cátedra Haydeé Santamaría e da
Rede Observatório Crítico, e de Gustavo Rodríguez, militante do Movimento Libertário
Cubano, que oferecemos aos leitores de Cuba Libertária para que possam julgar por
eles mesmos as coincidências e as discrepâncias entre estas propostas da esquerda
revolucionaria democrática cubana.

Para consultar na Internet:

Cátedra Haydeé Santamaría: elblogdelacatedra.blogspot.com

Red Observatorio Crítico: observatorio-critico.blogspot.com

Movimiento Libertario Cubano (MLC): www.mlc.acultura.org.ve

Blog del MLC (em castelhano e em inglês): movimientolibertariocubano.entodaspartes.net

Polêmica Cubana (em francês): www.polemicacubana.fr

Números anteriores de Cuba Libertária: www.nodo50.org/ellibertario/cubalibertaria.html

Tradução > Juvei

agência de notícias anarquistas-ana

sol poente
numa ruela
menino corre das sombras

Rod Willmot



More information about the A-infos-pt mailing list