(pt) [Portugal] ait-sp.blogspot.com : ÀCERCA DO “ANO EUROPEU CONTRA A POBREZA “

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Terça-Feira, 7 de Dezembro de 2010 - 08:02:03 CET


CONTRA AS DESIGUALDADES SOCIAIS-CONTRA O CAPITALISMO E O ESTADO –
RESISTAMOS!!!
Assinalou-se hipocritamente o ano de 2010 como “ano europeu de combate à
pobreza e à exclusão social”...Dever-se- ia antes assinalá-lo como ano do
AUMENTO das DESIGUALDADES, do AUMENTO DA DOMINAÇÃO, DA MENTIRA E DA
EXPLORAÇÃO DAS PESSOAS E DO PLANETA - factores ESSES que geram a pobreza!

 Falamos da gritante desigualdade entre uma minoria de privilegiados e a
imensa maioria dos pobres ou em vias de pobreza. Falamos das desigualdades
entre países ricos e países pobres – por exemplo , os do hemisfério Sul -
MAS SOBRETUDO, falamos das desigualdades em TODOS os países e estados,
entre a elite de privilegiados e os próprios povos, a quem as “ajudas
económicas” dos “grandes” (FMI, BANCO MUNDIAL, etc.) nunca chegam – embora
cheguem sempre os efeitos das dívidas que os próprios governos fazem
recair sobre o “seu” povo 
Falamos, enfim, de todas as relações de
DOMINAÇÃO entre governantes e governad  s, e de EXPLORAÇÃO desenfreada,
tanto das pessoas como do planeta Terra, por uma minoria de gestores e
políticos no topo das máquinas financeiras, das grandes empresas
multinacionais e dos aparelhos de Estado


Os mesmos que nos enchem os ouvidos com discursos de “paz
social”,”concertação”, “consenso” e “coesão social” tentam convencer a
opinião pública de que tudo isso é possível com as actuais gritantes,
DESIGUALDADES SOCIAIS
 Deveremos então, de entender esses apelos à “coesão
social” como apelos ao SILÊNCIO, à MORDAÇA, à DOMESTICAÇÃO e ao
CONFORMISMO com as desigualdades, de todos aqueles que mais sentem e
ressentem as “crises” dos tempos presentes (reajam já contra elas ou ainda
não)
 Tais apelos, vindas dos poderes, equivalem à “PAX” do Imperio
romano, a “paz” imposta à custa da espada e do chicote sobre @s dominad  s


Deveríamos ter todos a coragem do representante do México numa recente
reunião dos “grandes” da Europa, da América e do FMI , ao fazer a
contabilidade entre as “dívidas” dos juros dos “empréstimos” do FMI por
parte daquele país e as verdadeiras DÍVIDAS HISTÓRICAS das pilhagens de
recursos, dos genocídios, da destruição e aniquilação cultural, dos
massacres, da exploração colonial feita pelos estados dos países
“descobridores” e “civilizadores” desde há, pelo menos, 500 anos
 Em
termos de EXPLORAÇÃO, ESCRAVIZAÇÃO, DOMINAÇÃO e MASSACRES (“legais”-como
as doenças profissionais e os “naturais” acidentes de trabalho) , @S
trabalhadoras/es das cidades e dos campos e os actualmente milhões
desempregad  s e sub-empregad  s, também têm um enorme “rosário” de
“reparações” a receber -se contarmos as autênticas pilhagens, etnocídios,
ecocídios e escravização, assalariada ou não, que estão nas origens do
aparecimento do CAPITALISMO , há mais de 200 anos, e na sua manutenção sob
diversas aparências –capitalismo privado, capitalismo de Estado, etc 
 Nem
todos os “direitos humanos” e “direitos do cidadão” ( promulgados pelos
governantes de todos os matizes -como resultado das lutas d  s explorad  s e
dos receios que elas causam aos poderes) mesmo que fossem escrupulosamente
seguidos, chegariam para pagar e apagar, as dívidas da exploração do
trabalho escravo e servil e de mais-valias e que durante vários séculos e
até à actualidade garantiram e garantem os luxos e privilégios, primeiro
de nobres e do clero, e depois, de patrões, gestores privados, estatais e
governantes


Convictos que em todas as instituições, as mais diversas, há pessoas com
sentido crítico relativamente à realidade social –local, regional e global
-e com alguma boa vontade relativamente às possibilidades de transformação
desta mesma realidade – e que elas constituem, de facto, factores de
rotura, protesto e revolta- não podemos nem deveremos, no entanto ,deixar
de estar atentos a “cantos da sereia” que visam enquadrar o nosso próprio
espírito crítico e actuação transformadora diária nos limites do Estado,
dos seus partidos e dessa “realidade social realmente existente” – ou
seja, que visam calar-nos, sedar-nos, anular-nos. E calar e anular também
a voz de tod  s @s “excluíd  s” e críticos do actual sistema social.

QUEREMOS ACABAR COM A POBREZA?? COMBATAMOS A EXPLORAÇÃO E AS GRITANTES
DESIGUALDADES SOCIAIS!... ACABEMOS COM OS PREVILÉGIOS DE ALGUNS E COM OS
ESCANDALOSOS GANHOS E GASTOS DOS PRIVILEGIADOS DO TOPO DAS MÁQUINAS
FINANCEIRAS , EMPRESARIAIS E POLÍTICAS (incluamos aqui as MILITARES) , que
só por si dariam, isso sim, para ELIMINAR A MISÉRIA E A ESCASSEZ DA
MAIORIA DA POPULAÇÃO, NUM MUNDO E NUM PAÍS ONDE O QUE ALGUNS TÊM A MAIS,
TEM A MAIORIA DA POPULAÇÃO A MENOS: a chamada “QUALIDADE DE VIDA”- a
vários níveis!

Como possíveis medidas práticas concretas para alterar esta situação, no
ACTUAL CONTEXTO DA “CRISE” (que nos teimam fazer pagar
), PROPORÍAMOS a
toda a chamada “sociedade civil”, nomeadamente a grupos, movimentos,
associações e pessoas que ainda conservam algum espírito crítico, a sua
automobilização em torno dos seguintes objectivos imediatos:
-1- PUBLICITAÇÃO ALARGADA (NAS PAREDES e não só na NET
) de ganhos e
contas bancárias de GESTORES FINANCEIROS E EMPRESARIAIS, DETENTORES DE
ALTOS CARGOS PÚBLICOS E PRIVADOS, de GOVERNANTES (centrais e locais), de
DIRIGENTES DE PARTIDOS e de “ONG.s” e de GESTORES DE GRANDES INSTITUIÇÕES
PARTICULARES DE SOLIDARIEDADE SOCIAL (IPSS.s),DE IGREJAS e de SEITAS (OPUS
DEI, MAÇONARIA, etc.);
-2- AUMENTO DOS IMPOSTOS SOBRE AS GRANDES FORTUNAS, CONTROLO E DENÚNCIA DA
FUGA AOS IMPOSTOS DAS GRANDES EMPRESAS E SUA UTILIZAÇÃO NO AUMENTO DOS
FUNDOS DE APOIOS SOCIAIS QUE ESTÃO A SER CORTADOS;
-3-Constituição de COMISSÕES CÍVICAS/POPULARES DE FISCALIZAÇÃO, destacadas
ASSEMBLEIAS POPULARES LOCAIS, compostas por elementos membros ou não de
ASSOCIAÇÕES LOCAIS, MOVIMENTOS CÍVICOS , SINDICATOS, etc, LIGADOS AOS
SEGMENTOS CARENCIADOS DA POPULAÇÃO E ABRANGENDO AS ZONAS DAS GRANDES
CIDADES E DO INTERIOR, COM MAIOR POBREZA E “EXCLUSÃO SOCIAL”, com os
seguintes OBJECTIVOS: a) Publicitação à opinião pública das contas
bancárias e bens acumulados por quem ocupa cargos de gestão superior e
intermédia, tanto ao nível público como privado;

b) publicitação à opinião pública de casos de TRATAMENTO DESAQUADO,
DISCRIMINATÓRIO, BUROCRÁTICO, AUTORITÁRIO, NÃO ESCLARECEDOR, ELITISTA,
ARROGANTE, LESIVO DA DIGNIDADE PESSOAL, DESPROPORCIONADO, IRRESPONSÁVEL,
NÃO-ASSERTIVO , em
instituições públicas ou privadas que prestam serviços públicos
profissionais de apoio e acompanhamento social e médico ou sanitário (
sobretudo a desempregad  s, precári  s, beneficiári  s do RSI, reformad  s,
imigrantes pobres, trabalhadores de mais baixos rendimentos mensais,
famílias destruturadas, moradores em zonas mais degradadas e pobres);
c)fiscalização das CONDIÇÕES AMBIENTAIS E DE HIGIENE E SEGURANÇA no
TRABALHO, na HABITAÇÃO (e na RUA-para quem nela ainda habita
) ,
denunciando à opinião pública e tentando mobilizá-la em CAMPANHAS
POPULARES ALARGADAS contra os autênticos CRIMES perpetrados nestes dois
terrenos : Condições de trabalho e Condições habitacionais;
d) CAMPANHAS DE INFORMAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO no sentido de TODOS conhecerem
melhor os seus DIREITOS ADQUIRIDOS ( como tais e não como ESMOLAS dadas
pelos poderes públicos e privados!) e de MELHORAR O SEU RELACIONAMENTO com
os técnicos das instituições que lhes prestam ou podem prestar apoio, no
sentido de também os mobilizarem para a causa comum : COMBATER A POBREZA
COMBATENDO AS SUAS ORIGENS E NÃO FAZER “COSMÉTICA SOCIAL” !
-4-Fortalecimento dos sectores de ECONOMIA SOCIAL e AMBIENTAL, formal ou
informal, animando e mobilizando iniciativas locais e comunitárias de
auto-emprego, auto-gestão e auto-subsistência, abrangendo desempregad  s e
precári  s –nomeadamente em iniciativas bio-agrícolas urbanas e rurais,
transformação de subprodutos reciclados, serviços de eco-turismo e turismo
social e cultural, animação sociocultural de rua, serviços de apoio mútuo
e solidário...

SIM, PROPORÍAMOS tudo isto a esta REPÚBLICA DE BARÕES DA FORTUNA
 SE não
soubéssemos que:
1-A maioria das grandes instituições ditas de “solidariedade social” VIVEM
À CUSTA DA POBREZA e dos subsídios públicos ou privados e por isso NÃO
PODEM ESTAR INTERESSADAS SENÃO EM IR PONDO UNS PENSOS NAS FERIDAS SOCIAIS
EM VEZ DE AGIR SOBRE AS SUAS CAUSAS, funcionando realmente como EMPRESAS
que LUCRAM com as necessidades das pessoas mais carenciadas: ACABASSE A
POBREZA E ACABAVAM-SE LHES OS “TACHOS”!!!
2-Sendo parte, de uma forma ou de outra, de uma estratégia do próprio
Poder para “acalmar”os mais necessitados de forma a que estes “não saltem
ao seu pescoço”, nunca os gestores de tais instituições estarão alguma vez
interessados em COMBATER OS PRIVILÉGIOS E ENRIQUECIMENTO DE GRANDES
GESTORES FINANCEIROS E EMPRESARIAIS,GOVERNANTES E POLÍTICOS;
3-A MAIORIA DESTAS INSTITUIÇÕES, sobretudo as maiores, exploram
indecentemente os “seus”próprios trabalhadores (técnicos ou não)
reproduzindo inclusive, nas relações laborais internas, a própria pobreza
que dizem querer combater (baixos salários, vínculos precários e uso e
abuso de “voluntariado” em funções que poderiam constituir postos de
trabalho);

Dirão alguns: “Mas às pessoas que têm fome -quem lhes dá de comer? Às
pessoas que não têm tecto -quem lhes dá abrigo? Às pessoas fragilizadas
por patologias ( álcool, drogas, etc
)-quem as apoia e encaminha?”

NÓS DIZEMOS: NADA TEMOS CONTRA ESTES URGENTES E NECESSÁRIOS APOIOS – QUE
SÃO DIREITOS CONQUISTADOS E NÃO ESMOLAS! Temos sim CONTRA é que à sua
custa tantos e tantos gestores se encham - E CONTRA, TAMBÉM, QUE TANTAS
VEZES ESSES APOIOS SEJAM DADOS COMO ESMOLAS E SEM QUALQUER TENTATIVA DE
AGIR CONJUNTAMENTE CONTRA AS CAUSAS SOCIAIS E POLÍTICAS DA POBREZA. É QUE,
NESTA ACTUAL “SOCIEDADE DE CONSUMO”, NÃO FALTAM OS SUPER E HIPERMERCADOS
CHEIOS DE COMIDA E AS CASAS DESABITADAS para ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA (e
algumas ditas bem conhecidas “IPSS”são as suas maiores proprietárias!...).
“O DESEMPREGO é factor de pobreza” ? FAÇAMOS CAMPANHA PELA REDUÇÃO DA
SEMANA DE TRABALHO –por exemplo SEMANA DE 30 HORAS SEM DIMINUIÇÃO
SALARIAL!- e pelo FIM DA PRÁTICA USUAL DE RECURSO AO TEMPO DE TRABALHO
“EXTRAORDINÁRIO” . Isso permitiria criar mais postos de trabalho! NÃO É
POSSÍVEL REDUZIR OU ACABAR COM A POBREZA DE UNS SEM REDUZIR OU ACABAR COM
A RIQUEZA DE OUTROS!

E para isto, temos a consciência que NEM ESTE NEM NENHUM GOVERNO SÃO A
SOLUÇÃO! NÃO BASTA QUE “AS MOSCAS MUDEM”! JÁ BASTA DE PORQUINHOS (

)“ALGUNS MAIS IGUAIS QUE OS OUTROS”!

PARA ESTA LUTA CONTEM CONNOSCO! A RESISTÊNCIA POPULAR e a NECESSÁRIA
REVOLUÇÃO SOCIAL para o FIM DESTE SISTEMA DE DOMINAÇÃO E EXPLORAÇÃO, POR
UMA SOCIEDADE SEM EXPLORADORES NEM EXPLORADOS, SEM DOMINANTES NEM
DOMINAD  S! ESTE É UM PROCESSO QUE SE INICIOU HÁ MUITO E QUE NÃO PÁRA, QUE
CONTINUA A PARTIR DO MOMENTO EM QUE NOS ORGANIZAMOS PARA RESISTIR AO QUE
NOS TOLHE A VIDA! OS PODEROSOS NADA NOS DÃO NUMA BANDEJA 
QUE NÃO NOS
POSSAM TIRAR A SEGUIR! CONTRA OS PODERES RESISTÊNCIA POPULAR! SEJAMOS
CONTRA-PODER!
CONTRA A POBREZA E AS SUAS CAUSAS ORGANIZA-TE CONNOSCO NO SOV-Sindicato de
Ofícios Vários
da AIT-SP-Associação Internacional d  s Trabalhadoras/es –Secção Portuguesa
(ANARCO-SINDICALISTA)

SEM DIRIGENTES PAGOS – SEM DIRECÇÃO DE PARTIDOS – DE APOIO MÚTUO - DE LUTA
DE ACÇÃO DIRECTA – ANTICAPITALISTA – INTERNACIONAL -
SEM SUBSÍDIOS ESTATAIS – DE DECISÕES EM ASSEMBLEIAS DE ASSOCIAD  S –
CULTURAL - FORMATIVO

ASSOCIA-TE! ORGANIZA-TE ! DEFENDE-TE (mesmo que já faças parte doutro
sindicato)

CONTACTOS: http://ait-sp.blogspot.com 223324001 (PF)





More information about the A-infos-pt mailing list