(pt) [Brasil] Palestra em São Carlos (SP) - África do Sul 2010: uma Perspectiva Libertária

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 30 de Agosto de 2010 - 15:16:24 CEST


África do Sul 2010: Luta de Classe, Neoliberalismo e os Efeitos dos Mega Espetáculos
Esportivos em Países em Desenvolvimento
Quando o governo sul africano vendeu a idéia de sediar a Copa do Mundo de 2010 para
a população (na sociedade mais desigual do mundo onde 40% da população está
desempregada), eles a fizeram vendendo a retórica neoliberal de "desenvolvimento",
"atração de investimento estrangeiro", "alívio da pobreza" e "edificação da nação".
O dinheiro que submergiria no país, nos disseram, poderia ser usado para preencher
as solicitações de moradia e providenciar os serviços básicos mais necessários, tais
como eletricidade e água, às comunidades pobres.
No entanto, logo após a oferta ter sido aprovada, o governo - com a ajuda do setor
privado - empreendeu um projeto massivo de gentrificação e remoções forçadas que
lembrou a era do Apartheid. Os tão chamados indesejáveis foram forçados a sair das
cidades sedes (longe das vistas da tropa de turistas que estava sendo aguardada)
para morar em assentamentos informais e supostamente temporários. Anos depois,
milhares de pessoas continuam vivendo nestes campos "temporários", sem sinal de
realocação ou desenvolvimento de acomodações adequadas para que seres humanos possam
viver.

Ao mesmo tempo, uma massiva renovação urbana e projetos de desenvolvimento
infra-estrutural foram encaminhados...dentro e ao redor dos bairros ricos e
distritos financeiros, onde turistas iriam se fartar em hotéis luxuosos.

Além do mais, o labirinto de regras, restrições e exigências do governo sul africano
estabelecido pela FIFA tornou ilegal a possibilidade de qualquer pessoa fora de seu
controle poder se beneficiar da Copa. Comerciantes informais foram expulsos dos
estádios onde, por muitos anos, com muita dificuldade, ganhavam a vida vendendo
comidas e parafernálias futebolísticas; o caminho foi aberto aos comerciantes
oficiais da FIFA.

Naturalmente, esta evidente caricatura de justiça levou ao ressentimento e às
erupções de luta e resistência popular. Com medo de ter sua reputação prejudicada
aos olhos dos espectadores internacionais, o Estado respondeu - às vezes até mesmo
antecipadamente - da única maneira que sabe: desencadeando uma onde de repressão.

Esta palestra irá enfocar sobre a economia política ao redor de mega espetáculos
esportivos tal como a Copa do Mundo, os efeitos de sediar tais eventos nos tão
chamados países em desenvolvimento, e o panorama que tais eventos oferecem para
construir a resistência popular através da luta.

Local da palestra: UFSCar - São Carlos (SP). Auditório do Departamento de Ciências
Sociais.
Quinta-feira 02 setembro de 2010
Horário de início: 05:00 PM

Tradução por Marcelo

http://www.zabalaza.net
http://www.anarkismo.net



More information about the A-infos-pt mailing list