(pt) 3 Lançamentos Reclus - Geografia, Natureza e Urbanismo

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 6 de Agosto de 2010 - 08:17:53 CEST


A editora anarquista Imaginário acaba de lançar três livros de Élisée
Reclus em português, são eles:
Élisée Reclus - Renovação de uma Cidade / Repartição dos Homens
Élisée Reclus - Da Ação Humana na Geografia Física / Geografia Comparada
no Espaço e no Tempo
Élisée Reclus - Do Sentimento da Natureza nas Sociedades Modernas
***
É com o enorme prazer que venho lhes informar que os primeiros 3 livros de
Elisse Reclus, traduzidos por Plínio Augusto Coêlho, e publicados pela
editora Imaginário juntamente com a editora Expressão e Arte acabam de ser
lançados e estão disponíveis para venda. Os livros trazem capítulos
selecionados da volumosa obra "O homem e a Terra". As traduções foram
minuciosas, feitas a partir do original em francês. Para todos aqueles que
compreendem o trabalho de Reclus como meramente descritivo aqui estão os
textos essencialmente críticos apresentados pelo autor. Segue um pouco de
cada livro:

Élisée Reclus - Do Sentimento da Natureza nas Sociedades Modernas
http://imaginario.lojapronta.net/produtos_descricao.asp...to=82

"Quanto a saber o que na obra do homem serve para embelezar ou, então,
contribui para degradar a natureza exterior pode parecer fútil a espíritos
pretensamente positivos: ela não deixa de ter uma importância de primeira
ordem. Os desenvolvimentos da humanidade ligam-se da maneira mais íntima
com a natureza circundante. Uma harmonia secreta estabelece-se entre a
terra e os povos que ela nutre, e quando as sociedades imprudentes
permitem-se erguer a mão contra o que faz a beleza de sua região, elas
acabam sempre por arrepender-se. Lá onde o solo enfeou-se, lá onde toda
poesia desapareceu da paisagem, as imaginações desvanecem-se, os espíritos
empobrecem-se, a rotina e o servilismo apoderam-se das almas e dispõem-nas
ao torpor e à morte.

Entre as causas que na história da humanidade já fizeram desaparecer
tantas civilizações sucessivas, deve-se contar em primeira linha a brutal
violência com a qual a maioria das nações tratam a terra nutriz. Abatiam
as florestas, faziam secar as fontes e transbordar os rios, deterioravam
os climas, cercavam as cidades de zonas pantanosas e pestilentas, depois,
quando a natureza, por eles profanada, tornara-se-lhes hostil, eles a
odiavam, e, não podendo refortalecer-se como o selvagem na vida das
florestas, deixavam-se cada vez mais embrutecer-se pelo despotismo dos
padres e dos reis."

***

Élisée Reclus - Renovação de uma Cidade / Repartição dos Homens
http://imaginario.lojapronta.net/produtos_descricao.asp...to=81

"Fossem os edis de uma cidade, sem exceção, homens de um gosto perfeito;
se cada restauração ou reconstrução de edifício fizesse-se de uma maneira
irrepreensível, nem por isso todas as nossas cidades deixariam de oferecer
o deplorável e fatal contraste do luxo e da miséria, conseqüência
necessária da desigualdade, da hostilidade que separam em dois o corpo
social. Os bairros suntuosos, insolentes, têm por contrapartida casas
sórdidas, ocultando por trás de seus muros exteriores, baixos e
deteriorados, pátios gotejantes, montes repugnantes de pedregulho,
miseráveis assoalhos de ripas. Mesmo nas cidades cujos administradores
buscam encobrir hipocritamente todos os horrores mascarando-os por cercas
decentes e embranquecidas, a miséria não deixa de transpassar: sente-se
que lá atrás a morte realiza sua obra mais cru elmente do que alhures."

***

Élisée Reclus - Da Ação Humana na Geografia Física / Geografia Comparada
no Espaço e no Tempo
http://imaginario.lojapronta.net/produtos_descricao.asp...to=80

A geografia, considerada em seu sentido estrito e buscada de uma maneira
exclusiva, é um dos estudos mais perigosos. Por sinal, qual é a ciência
que não pode ser endurecida, dessecada, privada de toda seiva, reduzida a
nada quando se a estuda isoladamente, sem amplitude de espírito, sem
largueza de concepções? Todo saber humano deve ter sua parcela de
humanidade. Seria melhor não ter aprendido nada e conservar sua
inteligência livre, pronta a receber impressões completamente novas, do
que encher a cabeça de um imenso cafarnaum sem responder a qualquer idéia.

***

Élisée Reclus. Em 1871, participou ativamente da Comuna de Paris. Preso e
condenado à deportação para Nova Caledônia, sua pena é comutada para dez
anos de banimento. Na Suíça participou da Federação Jurassiana com Bakunin
e James Guillaume. A partir de 1894, instalou-se em Bruxelas onde, sob sua
impulsão, foi criada a Universidade Nova, bem como o Instituto de Altos
Estudos, em 1894, no qual lecionou. Reclus participou de inúmeros jornais,
revistas e brochuras. Mas é sobretudo o autor das extraordinárias obras de
geopolítica Nova Geografia Universal: a Terra e os Homens (19 volumes) e O
Homem e a Terra (6 volumes), nas quais analisa a relação do homem com o
seu meio.

Aos interessados em outras obras de Reclus, a editora Imaginário conta com
outro livro do autor em seu catálogo.

Elisée Reclus - A Evolução, a Revolução e o Ideal Anarquista
http://imaginario.lojapronta.net/produtos_descricao.asp...to=35
Nenhuma revolução pode realizar-se sem prévia evolução social. Élisée
Reclus, o anarquista, não crê na violência, no acaso das balas, quando o
povo só assite às revoluções palacianas. É preciso retornar ao indivíduo:
É a seiva que faz a árvore, escreve. É nos corações e nas mentes que as
transformações devem operar-se. Todavia, os defensores do privilégio nunca
cederão de boa vontade à pressão popular.



Related Link: http://bibliotecaterralivre.wordpress.com/


[ Remetente: <faisca -A- riseup.net>]




More information about the A-infos-pt mailing list