(pt) [Portugal , Almada] Jantar de solidariedade com o Centro de Cultur a Libertária e com

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 13 de Novembro de 2009 - 09:57:03 CET


Sábado, 14 de Novembro, 19h30 --- no Centro de Cultura Libertária ---
Rua Cândido do Reis, 121, 1º Dto - Cacilhas - Almada
Contribuição livre --- Aparece e divulga!!
O Centro de Cultura Libertária, espaço anarquista existente há 35 anos,
está a ser ameaçado de despejo por parte do proprietário.
O CCL é um ateneu cultural anarquista fundado em 1974 por velhos militantes
libertários que resistiram à ditadura, ocupando desde então o espaço
arrendado
no número 121 da Rua Cândido dos Reis, em Cacilhas. Tem sido um espaço
fundamental para o anarquismo em Portugal acolhendo sucessivas gerações de
libertários. O Centro possui uma biblioteca e um arquivo únicos em Portugal,
com material anarquista editado ao longo dos últimos cem anos, assim como uma
distribuidora de cultura libertária. Durante a sua existência, o Centro
acolheu
várias actividades, tais como debates, passagens de vídeo ou diversos
ateliers.
Diferentes publicações aqui se editaram, como a Voz Anarquista nos anos 70, a
Antítese nos anos 80, o Boletim de Informações Anarquista nos anos 90 e o
Húmus, mais recentemente.



Em Janeiro de 2009, foi instaurada por parte do proprietário do edifício uma
acção de despejo contra o Centro. Esta acção foi contestada por vias
legais, o
que deu lugar a um julgamento que decorreu entre Setembro e Outubro. No dia 2
de Novembro, foi emitida a sentença que resultou na resolução do contrato de
arrendamento, tendo sido dados 20 dias ao Centro para abandonar as suas
instalações.



O Centro vai recorrer desta decisão. Nesta nova fase é preciso suportar
custos
que dizem respeito ao recurso e aos honorários do advogado. Até à data ainda
não sabemos exactamente a quantia necessária mas, pelo que averiguámos, será
necessário reunir umas largas centenas de euros.



O contexto que deu origem a este caso não diz respeito apenas ao Centro de
Cultura Libertária, mas a todos aqueles que se vêm a braços com a falta de
escrúpulos dos senhorios e restantes especuladores imobiliários. É importante
relembrar que, ainda que este processo tenha sido iniciado sob alegações do
ruído excessivo produzido pelos frequentadores do Centro, estão em causa
outros
interesses, nomeadamente o do senhorio em rentabilizar o espaço,
alugando-o por
um preço bastante mais elevado do que o praticado agora.



O desaparecimento deste Centro significaria a perda de um importante
espaço de
reflexão, debate, luta e resistência.



À semelhança dos/as companheiros/as que lutaram para que este espaço
existisse,
resistiremos uma vez mais, e NÃO perderemos o CCL nem às mãos dos tribunais,
nem da especulação imobiliária nem por nada.



Continuaremos a lutar para que este espaço continue!



Toda a solidariedade e apoio que possam dar força à resistência do CCL é da
máxima importância e urgência.



Saúde e Anarquia!!!



Centro de Cultura Libertária

07.11.09



Contactos:



E-mail: ateneu2000  yahoo.com



Correio:

Apartado 40

2800-801 Almada – Portugal



Blog: http://culturalibertaria.blogspot.com



......................................................****************........................................................



Este texto pretende relembrar a carga policial que aconteceu na manifestação
Anti Fascista e Anti Capitalista no dia 25 de Abril de 2007 e apelar à
solidariedade contra a farsa judicial montada em torno das onze pessoas
que vão
a julgamento dia 7 de Dezembro



No dia 25 de Abril de 2007 decorreu uma manifestação Antiautoritária contra o
Fascismo e o Capitalismo em Lisboa que reuniu aproximadamente 500 pessoas.
Tendo iniciado na Praça da Figueira em ambiente contestatário, mas festivo e
sem incidentes, várias pessoas aderiram à manifestação ao longo do percurso
Rossio, Rua do Carmo, Rua Garrett até ao Largo de Camões.



Após um breve período em que a manifestação permaneceu no largo Camões, esta
continuou espontaneamente pela Rua Garrett em direcção ao Rossio. A presença
constante da polícia durante a trajectória fez com que o clima entre as
partes
fosse de tensão. A meio da Rua do Carmo, duas hordas de elementos do corpo de
intervenção da PSP e polícias à paisana encurralaram os manifestantes na rua
fechando as saídas e, sem qualquer ordem ou aviso de dispersão, começaram a
agredir brutal e indiscriminadamente manifestantes, transeuntes e até mesmo
turistas.



A polícia não tentou dispersar ninguém, pelo contrário, quis bater,
espancar e
atacar os manifestantes. Pessoas que caíram no chão indefesas foram ainda
agredidas por vários polícias à bastonada e ao pontapé. Houve perseguições
por
parte da polícia, levadas a cabo de forma bastante agressiva, no local
onde decorria
a manifestação e por toda a Baixa de Lisboa. Foram detidas onze pessoas e foi
impossível contabilizar todos os feridos entre manifestantes e pessoas
alheias
ao protesto. Aos manifestantes juntaram-se, no fundo da rua do Carmo, vários
transeuntes e lojistas contra a brutalidade policial.



Com o apoio dos media, as forças policiais criminalizaram o protesto,
procurando encontrar legitimidade para a sua acção repressiva que é um
tipo de
conduta permanente por parte do Estado, como podem comprovar, a título de
exemplo, os habitantes de bairros sociais. Assim sendo, a detenção dos onze
manifestantes surge como modo de justificar mais uma carga policial.



Para além da detenção, estes manifestantes ficaram ainda sujeitos à medida de
termo de identidade e residência, tendo sido acusados de agressão, injúria
agravada e desobediência civil, acusações estas que, na verdade,
caracterizam a
actuação policial. Querem convencer-nos que o mundo é o inverso daquilo que
realmente acontece, uma vez que as únicas agressões à polícia foram em
legítima
defesa, postura à qual não se deve renunciar.



No próximo dia 7 de Dezembro vai ser o julgamento dos onze acusados nas novas
instalações judiciais localizadas no Parque das Nações/Oriente.



Apelamos à solidariedade em relação a esta situação em particular, enquadrada
num contexto de exploração e opressão quotidiana que não deixaremos de
combater.



alguns envolvidos no processo



* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Centro de Cultura Libertária



Site: http://ccl.yoll.net

Blog: http://culturalibertaria.blogspot.com

E-mail: ateneu2000  yahoo.com

Endereço postal: Apartado 40 / 2800-801 Almada (Portugal)

Sede: Rua Cândido do Reis, 121, 1º Dto - Cacilhas - Almada







More information about the A-infos-pt mailing list