(pt) [Sao Paulo , Brasil] MANIFESTO DE 1º DE MAIO FOSP/COB-ACAT/AIT

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 2 de Maio de 2009 - 12:29:58 CEST


A PLEBE nº 58/Maio 2009 A.C.A.T./A.I.T.
Órgão de Divulgação da Federação Operária de São Paulo  (FOSP - Fundada em
1915)
SEM PARTIDO NEM PATRÃO!   @  Ligada a Associação Internacional dos
Trabalhadores
(A.I.T.-I.W.A.)
*Caixa Postal: 1933/CEP: 01009-972/São Paulo-SP*(fospcobait  yahoo.co.uk)


123 anos de luta HONREMOS OS MÁRTIRES DE CHICAGO:

A data de 1º de Maio como Dia de Luta dos Trabalhadores tem origem na luta
pela
Redução da Jornada de Trabalho para 8 hs/dia. Para o dia 1º de Maio de
1886 os
trabalhadores de Chicago chamaram uma Greve Geral pelas 8 horas - na época
a Jornada
de Trabalho era de 15 horas diárias para homens, mulheres e crianças - sem
assistência médica, aposentadoria, enfim: nenhum direito.  A repressão
patronal
apela ao Estado que reprime violentamente uma manifestação operária na Praça
Haymarket, levando a um enfrentamento entre os trabalhadores e a policia e
a morte
de mais de 100 trabalhadores. Nove operários são responsabilizados pela
polícia e
condenados a morte, sendo até hoje conhecidos como os "Mártires de
Chicago". Assim
estamos nas ruas para a 123ª Jornada de Protestos Proletários no 1º de
Maio Contra o
Arrocho Salarial, o Desemprego e por uma sociedade socialista libertária.



A hora não poderia ser mais oportuna, em face do mar de lama dos
'ex-sindicalistas'
profissionais, ora no poder. Vendo esses ex-trabalhadores, hoje  políticos
profissionais, encaminhando a política do Fundo Monetário Internacional
(FMI),
destruindo os direitos históricos conquistados pela luta, suor e sangue de
humildes
trabalhadores para salvar o capitalismo.



Nós mantemos a luta, que é a luta da classe trabalhadora, para acabar com
esse
sistema de desigualdades, exclusão, opressão e exploração. Ligados à luta
internacional da classe trabalhadora contra a precarização do trabalho e a
perda de
direitos, que levou a revolta na Grécia, Tailândia, etc. Unidos, todos, pela
Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT), que iniciou essa luta em
1864. Não
há nada para festejar: 1º de Maio é dia de Luto e de Luta dos Trabalhadores!
U$ 15 trilhões de dólares evaporados em poucos dias.
Levando imensas Corporações, grandes Bancos, tradicionais Fábricas.
Demissões, Desemprego, Fome, Desespero e Lágrimas!
U$ 3 trilhões, do dinheiro público, são transferidos pelos Governos para
"socorrer"
os banqueiros, montadores e corretoras.



O capitalismo, devido à sua própria natureza, comporta crises periódicas
históricas.
Isso não ocorre de maneira superestrutural, mas devido a sua própria
essência. O
fator gerador primário das crises desse regime econômico se resume na
crise de
confiabilidade dos mercados de capitais e das instituições financeiras em
geral. A
explicação é simples: quando os papéis dos investidores são afetados por
um grau
suficientemente intenso de desconfiabilidade, os seus portadores correm em
massa às
Bolsas para deles se desfazer assim tornando tais papéis destituídos de
qualquer
valor. Deste modo aconteceu no ano de 1929 (EUA), se agravando por toda a
depressão
dos anos 30 (verifica-se que só na segunda guerra mundial os países
capitalistas,
principalmente os EUA, superaram a crise).



A crise atual explodiu a partir do 2º semestre de 2008. Iniciou com a crise
específica das hipotecas no mercado norte-americano; logo, se espalhou no
sistema
bancário, como uma virose, e o primeiro banco que naufragou foi aquele que
comprava
dívidas falidas. Imediatamente o Sistema reagiu dramática e negativamente
com o
arrefecimento da atividade econômica e, diminuição da produção, do crédito
e do
investimento, por parte do Capital e com o desemprego universal. Os
trabalhadores
tem vivenciado nesses dias a perda dos seus direitos trabalhistas mais
sagrados com
demissões, redução de salário e férias coletivas. Em fevereiro desse ano o
Sistema
Capitalista já se encontrava globalmente em recessão, com os índices de
crescimento
econômico reduzidos e comprometidos.



Qual será o papel dos trabalhadores e de suas entidades de representação?
Fortalecer
os laços que ligam os trabalhadores e os constituem como Classe no
interior do
Sistema. Por exemplo, se tivéssemos uma organização mundial do trabalho
que fosse
integralmente representativa de todos os trabalhadores sobre a superfície
do planeta
(como reivindica a própria AIT), um dia somente de Greve Geral seria uma
poderosa
arma para a defesa dos interesses dos trabalhadores (e também a aprovação
unânime do
protocolo de Kioto!).



E hoje, mais do que nunca, mais do que nunca temos que recuperar nossa
autonomia
organizativa reconstruindo os sindicatos livres - que organizaram as
grandes lutas
da nossa classe antes do fascista Getúlio Vargas impor os falsos sindicatos
atrelados ao Estado e dominados por partidos políticos. È o caminho da
luta que
precisamos trilhar, rumo a GREVE GERAL CONTRA O DESEMPREGO E O ARROCHO
SALARIAL!



A SOLUÇÃO ESTÁ NO PLANO LOCAL:
 NA SOLIDARIEDADE PELO INTERNACIONALISMO PROLETARIO



O Sistema de produção capitalista pode ser substituído por um sistema
solidário,
para isso é preciso eliminar o intermediário entre aqueles que trabalham e
aqueles
que consomem. Ligando diretamente a Produção ao Consumo através da gestão
direta dos
trabalhadores. O chamado coletivismo sindical, onde não existe nem patrão,
nem
empregado e sim autogestão.



- A aceitação da máxima da Internacional "a emancipação dos trabalhadores
será obra
dos próprios trabalhadores".



- O repúdio na luta contra a burguesia por toda intromissão da
política-autoritária.

- A propagação e a difusão da "ação direta" como única tática eficaz que deu
resultados positivos na luta operária.



- O apoio ao Sindicato Único como complemento ao trabalho de organização e
como
poderosa arma de solidariedade entre os proletários.



- O repúdio ao reformismo político-burguês e do regime capitalista por sua
injusta e
desumana organização econômica baseada na propriedade privada e
consequentemente na
exploração do homem pelo homem.



- Consideração da política, incluindo neste termo a todos os partidos
políticos
desde os conservadores até os de extrema esquerda, como um dos principais
obstáculos
ao desenvolvimento da organização operária. Uma vez que seu ponto central
reside na
ignorância das massas e sua existência depende do regime capitalista, sua
finalidade
é a de manter e eternizar, seja como for, a organização da sociedade atual
que
divide a humanidade em ricos e pobres, explorados e exploradores.



- A retomada da Confederação Operária Brasileira, e com ela todas as
Federações
locais, e as seções de organização sindical devem difundir os métodos de
luta do
sindicalismo revolucionário como meio para chegar ao "coletivismo libertário"
(municípios livres e federados).



O federalismo sindical: o método da ação direta dos trabalhadores, das seções
sindicais as assembléias de trabalhadores, sem partidos nem patrões, são os
instrumentos mais eficazes para construir a solidariedade de classe no
combate à
injustiça; a desigualdade social e ao desequilíbrio ambiental produzidos pelo
Sistema Capitalista.


SE ORGANIZE E LUTE PELA GESTÃO SINDICAL DIRETA DA SOCIEDADE!

- CONTRA O DESEMPREGO E A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO!

- REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO PARA 6 HS/DIA, (30 HS/SEMANAIS)!

- REVOLUÇÃO AGRÁRIO-CAMPONESA (Ocupar, Coletivizar, Produzir!)!

- CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DA QUESTÃO SOCIAL!

- CONTRA O FASCISMO, O RASCISMO E A INTOLERÂNICA!

- CONTRA  A CARESTIA DA VIDA!

- PELA LIBERDADE DE ORGANIZAÇÃO SINDICAL! PELA REATIVAÇÃO DA COB/AIT!

- ABAIXO O CAPITALISMO E O ESTADO! VIVA A REVOLUÇÃO SOCIAL LIBERTÁRIA!

- PELA AUTOGESTÃO GENERALIZADA!

  Por um novo sindicalismo, por um mundo melhor para todos nós!
Movimento de Reconstrução COB/AIT:
SINDIVÁRIOS-SP - Sindicato de Artes e Ofícios Vários de São Paulo
SINDIVÁRIOS-AT - Sindicato de Artes e Ofícios Vários do Alto Tietê
SINDIVÁRIOS-Osasco - Sindicato de Artes e Ofícios Vários de Osasco e Região
SINDIVÁRIOS-Campinas - Sindicato de Artes e Ofícios Vários de Campinas e
Região
SINDICATO DE ARTES E ESPETÁCULOS de São Paulo


                                          ASSOCIAÇÃO DOS ESCRITORES
SANTAMARENSES
(ASSESA)

FOSP - Federação Operária de São Paulo



FORGS - Federação Operaria do RGS.

COB - CONFEDERAÇÃO OPERÁRIA BRASILEIRA

ACAT - Associação Continental Americana de Trabalhadores

AIT/IWA - Associação Internacional dos Trabalhadores



Fóruns da COB/AIT:

sindicalista.2001  grupos.com.br

votonulodeprotesto  grupos.com.br,

antieducacaodasubmissao  grupos.com.br

6hsdetrabalhoparatodos  grupos.com.br

contraotrabalhosemdireitos  grupos.com.br




More information about the A-infos-pt mailing list