(pt) [Brasil] Como Participar da FARJ

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 22 de Junho de 2009 - 22:14:30 CEST


Como funciona a estrutura de militantes da FARJ?
A FARJ possui duas instâncias militantes distintas, definidas a partir da
lógica dos círculos concêntricos com a qual trabalhamos. Há os militantes
de apoio e os militantes da organização. A melhor forma de iniciar a
participação na FARJ é sendo um militante de apoio. [Para saber mais sobre
os círculos concêntricos, ver nosso documento Anarquismo Social e
Organização].

O que é um militante de apoio e o que ele faz?

O militante de apoio não faz parte da organização, mas possui uma
importância fundamental. A instância da qual ele faz parte (a instância
dos militantes de apoio) busca agrupar todas as pessoas que possuem
afinidades ideológicas com a FARJ e que querem contribuir de alguma forma.
Os militantes de apoio são responsáveis por auxiliar a organização em seus
trabalhos práticos, como por exemplo: na edição de panfletos, periódicos
ou livros; na divulgação de material de propaganda; no auxílio no trabalho
de produção de teoria ou de análises de conjuntura; traduções de textos e
livros; na realização de atividades práticas para o trabalho social:
atividades comunitárias, mutirões, auxílio nos trabalhos de formação,
atividades de logística, auxílio na organização dos trabalhos etc.

Esta instância de apoio é onde as pessoas que possuem afinidades com a
FARJ e seus trabalhos têm contatos com outros militantes, podem aprofundar
o conhecimento sobre nossa linha política, conhecer melhor as atividades
realizadas, aprofundar sua visão do anarquismo etc.


Como se tornar um militante de apoio?

O processo de aproximação que damos preferência é sempre com o trabalho
prático em alguma de nossas frentes. A idéia é que a pessoa interessada
verifique com quais trabalhos possui mais afinidade e, entrando em contato
com a organização, possa tomar parte nestes trabalhos e a partir disso
pedir ingresso no nível dos militantes de apoio. Ou seja, as aproximações
com a organização devem se dar, preferencialmente, no trabalho social que
é realizado em nossas três frentes.


Quais são as três frentes e seus trabalhos?

Frente de Movimentos Sociais Urbanos. Vem realizando um trabalho
permanente com as ocupações urbanas do Rio de Janeiro desde 2003, e dando
continuidade às experiências que tivemos com o movimento sem-teto ainda na
década de 1990. Esta frente encampa também, neste momento, a reconstrução
do Movimento dos Trabalhadores Desempregados do Rio de Janeiro (MTD), que
luta pelo trabalho em todo o país, e existe no Rio de Janeiro desde 2001.
O MTD retoma sua força agora, se rearticulando e nucleando pessoas de
comunidades e favelas para a luta. Além disso, esta frente possui relações
com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), para o qual vem
oferecendo, em São Paulo e no Rio de Janeiro, cursos de formação política.
A frente está próxima e realiza atividades, também, com outras entidades e
movimentos sociais como Assembléia Popular (RJ) e a Frente
Internacionalista dos Sem-Teto (FIST).

Frente Comunitária. É responsável pelo Centro Cultura Social do Rio de
Janeiro (CCS-RJ), um espaço social aberto, que mantemos na zona norte da
cidade e que agrega uma série de atividades comunitárias de reciclagem de
lixo, reforço escolar e cursinho pré-vestibular para a comunidade do Morro
dos Macacos, oficinas de teatro, eventos culturais, comemorações e
reuniões de diversos tipos. Esta frente também é responsável pela
Biblioteca Social Fábio Luz (BSFL), que existe desde 2001 e, no âmbito da
qual funciona o Núcleo de Pesquisa Marques da Costa (NPMC) que, fundado em
2004, tem o objetivo de produzir teoria para a organização, além de
pesquisar a história do anarquismo no Rio de Janeiro. Além disso, a frente
comunitária é responsável pelo Círculo de Estudos Libertários Ideal Peres
(CELIP), espaço público da FARJ que tem o objetivo de realizar palestras,
debates e exibições de vídeos para aproximar novos interessados no
anarquismo.

Frente Anarquismo e Natureza. Atua em movimentos sociais rurais e
agrupamentos que trabalham com agricultura e ecologia social. Ela possui
contatos e trabalho com o MST, a Via Campesina e espaços como a
Cooperativa Floreal e o Núcleo de Alimentação e Saúde Germinal. Realiza
cursos e oficinas pedagógicas em ocupações, favelas, assentamentos,
escolas e comunidades pobres. Tudo isso, com o objetivo de resgatar a
agricultura, a agroecologia, a ecologia social, a ecoalfabetização e a
economia solidária. Busca envolver em suas atividades trabalhadores,
militantes dos movimentos sociais e estudantes, além de ajudar a articular
a criação de redes entre trabalhadores do campo e da cidade.

Para atender a uma demanda importante, encabeçamos um projeto
“transversal”, no qual se inseriram todas as frentes, que se chama
Universidade Popular (RJ). Tal proposta desdobrou-se, de fato, em uma
iniciativa de educação popular anticapitalista, voltada para a
transformação da sociedade, tendo como tática a formação política no seio
dos movimentos sociais.


Escolhendo onde atuar, como fazer para se aproximar?

Escreva um e-mail para farj  riseup.net com uma breve apresentação e
dizendo em que frente gostaria de realizar trabalho. Nosso secretário o
colocará em contato com uma pessoa responsável daquela frente e a partir
daí, os contatos serão estabelecidos. É possível também entrar em contato
diretamente com alguém de nossa organização. A partir do contato, você
será encaminhado para o trabalho e a aproximação com os militantes da FARJ
deve acontecer no dia-a-dia da luta. Aproximando-se, é só colocar a
vontade em tornar-se um militante de apoio e nossos militantes darão a
orientação necessária.


Há possibilidade de haver apoios de outras localidades, fora do Rio de
Janeiro?

Sim. Para isso, você deve escrever para farj  riseup.net manifestando sua
vontade de ser um militante de apoio, também com uma breve apresentação e
informando que você é de fora do Rio de Janeiro. Geralmente os apoios de
outras localidades são conhecidos ou indicados por outros apoios ou
militantes da organização. Avise se você conhecer alguém nestas condições.
Iniciaremos um processo de correspondência e trabalhos pontuais até que
sejam possíveis encontros ou troca de informações suficientes para
possibilitar ingresso como militante de apoio. Também o critério de
aceitação da entrada será baseado nos trabalhos que forem sendo realizados
ao longo do tempo.


Há algo mais a dizer para quem quer ser um militante de apoio?

É importante que as pessoas que se aproximem e que tenham vontade de estar
conosco conheçam nossa linha política que está explícita em nosso programa
“Anarquismo Social e Organização” que pode ser lido aqui em nosso site ou
em www.anarkismo.net/article/10861. Basicamente, a pessoa deve
considerar-se anarquista, e defender um anarquismo social, classista,
voltado às lutas populares com objetivo de transformação social
revolucionária. Além disso, é muito importante que tenha ética,
responsabilidade, compromisso, e autodisciplina.


Há possibilidade de outras contribuições pontuais?

Sim e elas sempre são muito bem-vindas. Se você quiser contribuir de
qualquer outra forma, por favor nos escreva no farj  riseup.net.


Como um militante de apoio se torna um militante da organização?

É no processo de trabalho e de luta que isso acontece. Com o contato
permanente nas atividades, o militante de apoio pode manifestar sua
vontade de integrar a organização ou vice-versa. O processo de entrada é
discutido coletivamente e, naturalmente, como se trata de um outro nível
militante com maiores responsabilidades e deveres na organização, há mais
necessidade de compromisso e mais cobrança.


Como fazer para participar esporadicamente das atividades que realizamos e
ficar por dentro do que está acontecendo no anarquismo organizado carioca?

Envie um email para farj  riseup.net com o título “Cadastrar” para que
possamos colocá-lo/a em nossa mala direta. Você receberá periodicamente
notícias relacionadas aos movimentos sociais e as atividades da FARJ, além
de nossa newsletter e do nosso informativo Libera em formato digital.


Se você possui afinidades com nossa proposta, não deixe de entrar em contato!





More information about the A-infos-pt mailing list