(pt) [Alemanha] Começou a Action Weeks 2009, semanas de ações por espaços livres

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 19 de Junho de 2009 - 15:03:03 CEST


A primeira jornada de luta da Action Weeks, que começou em 6 de junho e
vai até o dia 21, esteve enfocada em criar um lugar de convivência para a
vizinhança chamada Bambiland. Na seqüência as atividades e ações
reivindicativas e solidárias seguiram seu curso, não sem uma multidão de
impedimentos e abusos de poder, como o “registro domiciliário” ao qual se
viu submetido um fotógrafo colaborador da campanha, detenções e repressão
das forças da ordem.
Se nos primeiros dias desta nova edição da campanha Action Weeks havia se
caracterizado por seu caráter reivindicativo e de iniciativas inovadoras
para o movimento e a comunidade, nas últimas semanas, as ações estão sendo
focadas no sentido de mostrar a solidariedade com setores sociais, com
diferentes problemáticas, como o apoio a uma greve no setor educacional em
Alexanderplatz, o apoio às prisioneiras de Pankow. A seguir mostraremos
resumidamente os momentos mais importantes.
Bambiland, Reclame os Jardins!
Dessa inquietude rebelde nasceu a iniciativa da Bambiland, realizando em 6
de junho a expropriação de um terreno para que os vizinhos tivessem um
lugar de descanso e encontro, além da realização de projetos
autogestionados. Desta forma, por ser um projeto da própria vizinhança,
todos se comprometeram em manter e criar novos projetos.
Sem tardar, por volta das 18 horas, Bambiland foi desalojado pela polícia,
produzindo-se algumas detenções. As atividades que se pretendiam realizar
neste espaço era a construção de um jardim, um parque infantil, um campo
de futebol e trabalhos de grafite para enfeitar os muros do terreno.
Manifestação em Potsdam
Sob o lema “Espaços livres ao invés de sonhos de Prússias”, mais de 1000
pessoas marcharam pelo centro de Postdam contra a reestruturação
anti-social da cidade e para a manutenção de projetos alternativos de
habitação e cultura. Nesta cidade, cada vez são mais as pessoas que se
vêem impossibilitadas na hora de conseguir uma moradia, graças aos altos
preços e à especulação imobiliária.
Ataque à Casa da Economia Alemã
Na madrugada de 8 de junho, desconhecidos atacaram a casa onde se localiza
a Associação Federal da Indústria Alemã, a União Federal das Associações
de Empresários Alemães e a Câmara Alemã da Indústria e do Comércio. Os
ativistas danificaram vidraças e arremessaram diversos ovos coloridos na
fachada.
Ação no aeroporto de Schönefeld contra a deportação de refugiados vietnamitas
Em 8 de junho estava prevista a expulsão massiva de cem refugiados
vietnamitas mediante um vôo até Hanói da companhia aérea AirBerlim sob a
vigilância da polícia federal. A expulsão foi financiada por FRONTEX, a
agência para proteção da fronteira européia.
Ante este atropelo, se realizou uma chamada para protestar por esta medida
no mesmo aeroporto, onde acudiu cerca de 300 solidário anti-racistas, com
faixas contra a deportação, sendo detidas cinco pessoas durante a
concentração, sendo postos em liberdade posteriormente.
Reocupação de uma habitação vazia na rua Rigaer94
O projeto Rigaer94 surgiu durante a onda de okupações do início e metade
dos anos 90, sendo parte dele legalizado. Esta ação se entende como uma
ofensiva por parte do movimento, como um gesto simbólico de que não se
deixarão expulsar sem que haja resistência, dada a necessidade de lutar
para uma vida autogestionária, ademais de oferecer alternativas à perigosa
“lógica” da sociedade de consumo.
Risco do fim do projeto Liebig14
Em 9 de junho teve lugar o julgamento sobre este projeto de convivência
comunal da rua Liebigstrasse, com uma experiência de quase vinte anos.
Foram perdidos os pleitos de apelação e assim, metade da casa vê-se
seriamente ameaçada de despejo. Sobre o resto haverá um julgamento marcado
para o mês de novembro. Perante tão crítica situação estão sendo
realizadas constantes chamadas de solidariedade para evitar a perda deste
projeto legendário.
No entanto, não é este o único projeto que na atualidade vê-se a perigo de
deixar de existir, também está nesta situação o projeto da rua  Brunnen,
lugar autônomo comunitário e de cultura. A polícia tem anunciado seu
recente despejo.
Em 13 de junho vários ativistas lançaram ovos coloridos contra o juizado
municipal de Lichtenberg, lugar em que estão determinando as sentenças
condenatórias.
Atacados vários jobcenters da cidade
Vários desconhecidos atacaram diferentes jobcenters da cidade. Estes
centros são uma fusão organizadora do instituto de emprego com os
departamentos de assistência social. Igualmente foi feita uma ofensiva na
Casa da Economia Alemã, foram arremessados ovos coloridos, o mesmo também
com os jobcenters de Müllerstrasse, Gerichtstrasse, Sonnenallee e
Tempelhof.
Em um comunicado, os autores da ação fizeram um chamado à auto-organização
e à solidariedade entre os explorados:
“Porque se o ser humano não quer perder, há que defender-se e isso há que
fazê-lo junto. Na França empregados seqüestram seus chefes para impor seus
interesses. Na Espanha, os trabalhadores se põe em greve de uma maneira
militante. E também na Alemanha sempre há protestos e lutas em relação ao
trabalho, mas a maioria das vezes são isoladas e simbólicas.
Mas os tempos mudaram, todos falam da crise. A crise do capitalismo que
também na Europa se mostra cada vez mais e mostrará o aspecto desumano do
sistema. O capitalismo produz um sistema de perdedores e ganhadores, de
exploradores e oprimidos. A solução para uma existência digna de ser
vivida, não pode ser mais de competência. A solidariedade e os distúrbios
sociais talvez, sim, podem sê-lo.
A população ativa, a população sem trabalho, são duas caras da moeda, no
sistema capitalista, estão muito perto. O desemprego serve como medida de
pressão contra a população ativa, também inclui a desvalorização daqueles
que não têm emprego. Condições piores de trabalho, menos dinheiro e a
aceitação de condições degradantes de trabalho são a expressão de tudo
isso.
As oficinas de emprego, os jobcenters, representam o meio para a
administração da miséria. São o diálogo entre o Estado e a lógica
capitalista de utilização. Destruímos suas oficinas para dizer: acabem com
as condições indignas e a repressão humana. Por uma vida decente para
todos. Lutemos juntos!”
Expulsão de romenos da Motardstrasse
A Motardstrasse é um centro de internamento de imigrantes. A ordem
proveniente do departamento do estado federal de Berlim para saúde e
assuntos sociais, decidiu que, em 11 de junho, várias famílias romenas
fossem expulsas do centro da cidade. Algumas delas anteriormente haviam
buscado refúgio em uma igreja católica, sendo expulsas dali também. Não
estão muito claros os motivos da expulsão, uma vez que várias famílias
tinham permissão para residir em Berlim. Atualmente, estas famílias se
encontram vivendo na rua e ameaçadas de expulsão.
Proibições durante a manifestação bici contra a gentrificação
A manifestação bici ou bicicletada, de 12 de junho, contra os crescentes
aluguéis, a reestruturação da cidade e à expulsão, foi proibida
parcialmente por passar por CarLofts. Uma região notoriamente de
domicílios de luxo. Por esse mesmo motivo, a manifestação queria passar
por ali, como símbolo e denuncia da ampla reestruturação em Kreuzberg36.
Como afirmou um ativista: “é um caso de uma restrição massiva dos direitos
fundamentais pela polícia e o direito de reuniões”. A manifestação teve a
participação de mais de 150 ciclo-ativistas.
Ocupação em Michael
Também em 12 de junho a ocupação da Kirch-Strasse, um lugar emblemático
para o movimento, uma vez que não é a primeira vez que se okupa este
edifício. Ainda que em seguida fossem despejados pela polícia, as imagens
gravadas pelos ativistas mostraram boa resistência.
Ações até 21 de junho
Action Weeks ou as semanas de ação pelos espaços livres em Berlim seguirão
até 21 de junho. Esta iniciativa trata de dar um impulso ao movimento
okupa da cidade depois de inúmeras vezes ameaçados, estando vários
projetos em perigo e sem muitas possibilidades de que surjam novos
espaços. Esta situação dá-se em um contexto onde existem muitas casas,
terrenos e espaços vazios.
Mesmo assim, nos últimos dias têm surgido na opinião pública à
problemática dos “espaços livres”, tomando força novamente o conceito
descentralizado do “Faça Você Mesmo”.
Para o dia 20 se pretende realizar algo insólito, como a okupação do que
fora o aeroporto de Tempelhof. Sobre esta grande ação já foi conseguido
que um dos patrocinadores do antigo aeroporto emitisse uma carta aberta ao
senado pedindo o desenvolvimento do projeto na cidade de Ingeborg
Jungy-Reyer, a abertura do terreno e a eliminação das barreiras de acesso
para a data da ocupação.
Seguramente estas semanas de luta darão muito que falar por toda a
Alemanha. E pode servir de inspiração para muitos movimentos ao redor do
mundo.
Centenas e ótimas fotos da Action Weeks:
http://www.flickr.com/photos/kietzmann/
Mais infos e fotos da Bambiland: http://bambiland.blogsport.de/
Mais infos da Action Weeks e vídeos: http://actiondays.blogsport.de/
Tradução > Palomilla Negra
agência de notícias anarquistas-ana


More information about the A-infos-pt mailing list