(pt) Anarquistas atacam delegacias e escritórios políticos na Alemanha

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Terça-Feira, 8 de Dezembro de 2009 - 10:50:03 CET


Anarquistas atacam delegacias e escritórios políticos na Alemanha
[Ataques anarquistas em delegacias e escritórios políticos em Berlim e
Hamburgo durante a noite de quinta-feira foram “uma declaração de guerra
contra a polícia e o Estado", segundo declarações de autoridades alemãs.]
Várias dependências do Escritório Federal de Investigação Criminal da
polícia e da alfândega em Hamburgo e Berlim foram alvo ontem (3) à noite
de ataques com coquetéis molotov, bombas de tinta e pedras.
Em Hamburgo, os incidentes ocorreram no bairro de Schanzenviertel, que no
passado viveu repetidamente distúrbios protagonizados por grupos da
esquerda radical. Cerca de dez pessoas mascaradas atacaram uma delegacia
com pedras e atearam fogo a dois carros da polícia. Foram ainda
registrados alguns confrontos entre os anarquitas e policiais. No bairro
de Hammerbrook, um grupo pôs fogo a dois veículos da alfândega.
Já em Berlim, coquetéis molotov foram atirados contra uma sede do
Escritório Federal de Investigação Criminal.
Já nesta sexta-feira (4), à tarde, também foram atacadas três árvores de
Natal com bombas de tinta. Ao mesmo tempo, as sedes de um partido de
centro-esquerda social-democrata e outro de conservadores
democratas-cristãos, igualmente foram vandalizados com pichações
anti-guerra.
Ninguém ficou ferido em nenhum dos ataques, que as autoridades avaliaram
como “sinal de uma escalada da nova espiral de violência anarquista".
Também disseram que "esta é uma declaração de guerra contra a polícia e o
Estado."
Um comunicado libertário enviado por e-mail para parlamentares alemães,
explicou que os ataques da quinta-feira em Berlim foram uma resposta a
votação no Bundestag, câmara baixa do Parlamento alemão, que aprovou à
solicitação do governo de elevar de 3,5 mil para 4,5 mil soldados o
contingente alemão no contingente da Isaf (forças da Otan no Afeganistão),
bem como de prorrogar a missão do Bundeswehr, pela primeira vez, por
outros 14 em vez de 12 meses. O comunicado acusava os políticos de serem
belicistas, e terminava com a frase, "Não há lugar seguro [na Alemanha]!".
Alguns dos outros ataques foram assumidos por um grupo chamado "Alexis
Grigoropoulos", em alusão ao jovem libertário grego assassinado pela
polícia em 6 de dezembro de 2008, em Atenas.
Em 2009, cerca de 200 carros de luxo foram queimados pelos chamados
autônomos em Berlim. Este número mais que dobrou desde o ano passado,
quando 72 carros foram alvejados. Já em Hamburgo,150 carros foram
queimados. Em outras cidades alemãs também há registros de ataques
semelhantes.
No dia 16 de novembro um anarquista foi preso em Berlim, acusado de ser um
dos responsáveis pelos ataques incendiários aos automóveis de luxo.
A cena autônoma em Berlim e Hamburgo vem crescendo nos últimos anos, e é
comum nestas cidades registros de confrontos com a polícia durante
manifestações e contra grupos neo-nazistas, além de danos à propriedade
associados com sentimentos anti-gentrificação, anti-militaristas,
anti-repressão.
agência de notícias anarquistas-ana


More information about the A-infos-pt mailing list