(pt) BRASIL: 45 BILHÕES ANUAIS É O PREÇO DA MISÉRIA DO TRABALHADOR

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 14 de Março de 2008 - 11:51:55 CET


  Noticias da Impresa:
  CORREIO DO POVO
  PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2008

  Imposto sindical garante arrecadação de R$ 45 bi

  Brasília — Os deputados cederam à pressão das centrais sindicais
(n.e.-oficiais) e restituíram a obrigatoriedade da cobrança do imposto
sindical na folha de pagamento, que haviam derrubado no ano passado. A
estimativa de arrecadação da contribuição sindical dos trabalhadores é
de R$ 450 milhões neste ano. Com a divisão do bolo, as centrais ficarão
com cerca de R$ 45 milhões. O imposto é recolhido dos empregados sobre o
salário deste mês de março.

  Congresso mantém o imposto sindical

  As principais centrais sindicais (n.e.-oficiais) do país aclamaram ontem
a legalização das entidades e a manutenção do imposto descontado
diretamente da folha dos trabalhadores e do caixa das empresas. 'Foi uma
vitória dos trabalhadores, que há mais de 100 anos tentam legalizar as
centrais. Garante recursos às entidades que não tinham nenhum poder
econômico', aplaudiu o deputado federal Paulo Pereira da Silva, do PDT,
presidente da Força Sindical, que reúne 13 milhões de trabalhadores. 'A
legalização estabelece critérios objetivos de representatividade para
que as entidades sejam reconhecidas', assinalou Artur Henrique,
presidente nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT).
  ---------
  As 19 centrais sindicais, entre elas o CONLUTAS, a FORÇA SINDICAL,a CUT,
CGT e outras, segundo o site do Ministério do Trabalho fazem parte do
acôrdo com o governo federal sobre a reforma sindical.
  Como essas centrais sindicais, agora oficializadas, já eram correias de
transmissão dos partidos políticos o acordo que garantiu o repasse do
Imposto Sindical garante a estabilidade política para a espoliação da
classe trabalhadora

  Os grupos político-partidários que mantem a estrutura de dominação do
Estado sobre as Centrais Sindicais e sindicatos oficiais,  controlam
essas pseudo organizações sindicais com a ajuda do governo, da
burocracia e dos patrões que agradecidos descontam, antecipadamente, em
folha o imposto sindical. Aqueles que não aceitarem são demitidos,
perseguidos e descontados de um dia-de-trabalho.
  A aliança estatal-patronal contra a liberdade da organização sindical
vai mais longe. São os próprios empregadores que comunicam aos Conselhos
de Classe quais são os empregados que devem a contribuição
profissional.E que descontam em folha a mensalidade sindical.
                  Tudo ao preço de um sindicalismo "bonzinho", dentro de
um quadro de desemprego, miséria, e abandono total dos
direitos adquiridos que são conquistas sociais dos
trabalhadores.

  FORA ATRAVESSADORES DA CLASSE TRABALHADORA!
  POR LIBERDADE E AUTONOMIA DA ORGANIZAÇÃO SINDICAL!

  VIVA A CONFEDERAÇÃO OPERÁRIA BRASILEIRA
  VIVA O SINDICALISMO REVOLUCIONÁRIO
  VIVA A ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DOS TRABALHADORES

  DIREITOS NÃO SE GANHAM: CONQUISTAM-SE!

  Sindicato de Artes e Ofícios Vários de Porto Alegre
  Núcleo Sindical da Federação Operária do Rio Grande do Sul – COB/ACAT-AIT




More information about the A-infos-pt mailing list