(pt) [Brasil , Rio] Carta de Apresentação do Núcleo de Alimentação e Saúde Germinal [FARJ]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 23 de Junho de 2008 - 08:06:54 CEST


Uma pitada de Ecologia e outra de Anarquia.

“Numa época em que os espíritos generosos e arrojados tentam transformar
seu ideal de justiça social em realidade objetiva, as nossas ambições não
se limitam a conquista do pão, do vinho e do sal. – Queremos conquistar
tudo o que é necessário à vida humana e até mesmo a utilidade que forma o
conforto da existência; queremos a faculdade de poder assegurar a todos os
homens e mulheres a plena satisfação das suas necessidades e dos seus
gozos.”
Elisée Reclus, prefácio da Conquista do Pão de Piotr Kroptkine

O Núcleo de Alimentação e Saúde Germinal, conhecido como Germinal, é um
grupo auto-gerido com o objetivo de consolidar e resgatar a agricultura
como uma prática do dia-a-dia. Introduzindo os conhecimentos da ecologia
social, da eco-alfabetização, da agroecologia e da economia solidária,
luta por uma alimentação justa e saudável para todos, ajuda a articular a
criação de redes entre trabalhadores do campo e da cidade e insere as
propostas anarquistas no Movimento Ecológico e de Agricultores.
O Germinal foi constituído no ano de 2005 por militantes da Federação
Anarquista do Rio de Janeiro. Tem entre seus participantes associados e
membros de apoio, se estruturando em coordenações e tendo na Assembléia
sua instância de deliberação. Seu nome rende homenagem à editora de livros
organizada em meados da década de 60 do último século no Rio de Janeiro
pelo anarquista Roberto das Neves, a Editora Germinal, que publicava obras
sobre anarquismo, alimentação e saúde. É também o nome de um dos meses do
Calendário Revolucionário Francês, instituído durante a Revolução Francesa
e reativado pela Comuna de Paris, orientado pelas características e
fenômenos da natureza. Inspiramo-nos no trabalho de grupos como a
Associação Cultural Quilombo Cecília, a Associação Erva Doce, a União dos
Artistas da Terra da Mãe de Deus, o Movimento Sem Teto, o Movimento dos
Sem Terra, o Movimento dos Pequenos Agricultores, entre outr  s.
Realizamos atividades voltadas para a alimentação saudável, a promoção da
saúde coletiva e a produção e o consumo de produtos agroecológicos, com
destaque para as oficinas, a apresentação de trabalhos acadêmicos, os
Mutirões Pedagógicos de Ação Direta e os Almoços Dançantes Vegetarianos. O
público de nossas atividades são trabalhadores e trabalhadoras, militantes
dos movimentos sociais, estudantes, sindicalistas, agroecologistas e
pessoas afins. Algumas dessas atividades são realizadas em ocupações
rurais e urbanas, e outras no Centro de Cultura Social - CCS-RJ.
Localizado no bairro de Vila Isabel o CCS-RJ é um espaço libertário
voltado a realização de projetos comunitários.
Para nossos trabalhos estabelecemos como princípios básicos o Apoio-Mútuo,
a Ação Direta, a Autogestão, a Ecologia, o Classismo, o Internacionalismo,
o Federalismo, a Ética, a Inserção Social, a Liberdade e a Agroecologia.
Para garantir nossa Sustentabilidade repassamos convites para os almoços e
nossos materiais de divulgação, com a preocupação de que os mesmos tenham
um valor acessível aos trabalhadores, além de contarmos com o trabalho dos
nossos militantes.
Organizamos o Germinal por entendermos que é importante que nós,
anarquistas, lutando contra as injustiças causadas pelo sistema
capitalista, apresentemos nosso projeto político para o conjunto do
Movimento Ecológico e para todos os trabalhadores e explorados. O Estado e
a Burguesia são responsáveis pela continuidade desse sistema social e
econômico. O capitalismo trata a natureza como insumo produtivo, e o
esforço dos trabalhadores, como capital humano, se estruturando na
exploração do trabalho humano, da natureza e da propriedade.
Acreditamos que o Movimento Ecológico surge a partir de lutas
anticapitalistas anteriores, com a organização dos trabalhadores e
trabalhadoras, feministas, negros, pacifistas, indígenas, sem-terra,
sem-teto e estudantes, tendo sua gênese no maio de 1968. O movimento
Ecológico, que foi um movimento social combativo, foi aos poucos se
tornando cada vez mais reformista. Sua institucionalização trouxe como
conseqüência sua incorporação ao sistema que julgava combater. Isso ficou
claro com o surgimento da proposta de Desenvolvimento Sustentável. Tal
proposta, para nós um claro pacto entre classes, sugere a possibilidade da
manutenção do desenvolvimento capitalista em conformidade com a
conservação da natureza, a justiça social e a democracia. A seguir esse
caminho, o Movimento Ecológico e de Trabalhadores da Agricultura tende a
perder sua crítica radical ao sistema, a autonomia política e a capacidade
de construir alternativas sociais e econômicas.
Por isso o Germinal vem a somar esforços com tod  s que querem derrubar
essa sociedade e sobre suas ruínas plantar um mundo novo, onde haja
justiça social e liberdade para todos os seres vivos e a natureza.
Queremos contribuir para a radicalização e a pluralidade dos movimentos
sociais e por fim a retomada do caminho rumo a Revolução Social.
Lutamos para que prevaleça o modelo de produção agroecológico em
detrimento do modelo de agricultura para o mercado e para que a terra,
assim com os demais meios de produção, esteja nas mãos dos trabalhadores.
Lutamos contra a sociedade de classes, para que se construa uma anárquica
em seu lugar, onde o bem estar seja para tod  s e a natureza seja bem
cuidada. A Agroecologia, enquanto técnica de produção e ciência, possui um
papel fundamental nessa transformação. Através dela podemos refletir junto
aos trabalhadores sobre as relações sociais e econômicas que não mais
queremos e, sobretudo, aquelas que desejamos. Utilizando a Agroecologia,
socializamos a terra, os meios de produção e os alimentos saudáveis, ao
mesmo tempo em que cuidamos bem da natureza e trabalhamos sem exploração.
Em nossa breve existência não poderíamos deixar de registrar nossos
agradecimentos. A todos os Apoios, aos que comparecem nas atividades
organizadas, aos agricultores e agricultoras rurais e urbanos, aos
moradores e moradoras das ocupações urbanas, a Cooperativa de Consumo Rede
Ecológica, ao Grupo de Agricultura Ecológica, a Fazendinha Agroecológica,
aos movimentos sociais que estão na luta no campo e na cidade, aos membros
do CCS-RJ e aos militantes da FARJ, sem os quais o trabalho do Germinal
não poderia florescer. SAÚDE, AGROECOLOGIA e ANARQUIA.

Nosso email: nucleogerminal  riseup.net

Nosso site (em construção): http://www.nucleogerminal.org



More information about the A-infos-pt mailing list