(pt) [Chile] Polícia assassina jovem lutador Mapuche [ca]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 5 de Janeiro de 2008 - 12:58:46 CET


[de ANA]

O jovem WEICHAFE Mapuche Matías Catrileo Quezada, de 22 anos, estudante
do curso de Agronomia da Universidade da Fronteira de Temuco, foi
assassinado na madrugada de hoje por efetivos policiais dos Carabineiros,
depois de receber uma rajada de sub-metralhadora pelas costas, nos
momentos em que se realizavam mobilizações no fundo Santa Margarita, que
mantêm usurpado ao agricultor Jorge Luchsinger e que durante os últimos
anos tem sido reivindicado pelas comunidades do setor de yeupeco, este
prédio conta com vigilância policial permanente desde fazem já um par de
anos. Tudo isto foi informado pelos próprios comuneiros que até o momento
mantêm o corpo de nosso irmão caído dado que não exitem e não confiamos
nas perícias (que venham a ser realizadas pela mesma policia assassina)
que determinem a causa da morte como se fez com o caso de nosso irmão Alex
Lemun, assassinado no ano 2003, aonde o major dos Carabineiros que o matou
permanece na impunidade.

O corpo do estudante de Agronomía se encontra em una zona rodeada de
policiais localizada no setor do fundo Santa Margarita, próximo a zona
de enfrentamento policial que teria custado a vida do jovem.

O bispo de Villarrica Sixto Parzinger será o encarregado de negociar a
entrega do corpo de Matías Catrileo Quezada, de 22 anos, Parzinger
afirmou a emissoras locais que atuará como garantia ante a solicitação dos
comuneiros de entregar o corpo do jovem só a um representante da Igreja
Católica e manifestou seu temor de que a situação signifique um
ressurgir da violência na zona da Araucanía.

NEM UM MINUTO DE SILÊNCIO

PARA DENUNCIAR ESTE ASSASSINATO COVARDE DA GUARDA DOS LATIFUNDIÁRIOS

FORA AS FORESTALES DO TERRITÓRIO MAPUCHE

QUANDO UM CAI DEZ SE LEVANTAM

MARRICHI WEU

"Amanhece mais um dia nesta democracia de merda a madrugada e os corações
em que ainda corre sangue roxo e quente corações e cabeças cheios de
idéias e força de amor e de esperança de luta...luta e resistência a este
mundo
canibal Amanhã em que nasce uma nova estrela que ao homem mataram
covardemente querendo assassinar sua alma.

não sabem como essas estrelas nos vão guiando...servidores da exploração
Se as vamos cobrar...."



Compa, Peñi, Weichafe, Matias

a consternação me imobilizou e os fatos me deixaram perplexos ao abrir o
jornal as 9 da manhã e ler quase com despreocupação as notícias
nacionais... até que minha vista se centrou em uma manchete que dizia que
havia sido morto assassinado um Mapuche, e ao fixar a atenção naquele nome
que ressoou por todos os meios dos ricos e ver tua foto colada a esse
horroroso título de imprensa amarela... uma sensação que me apertou as
tripas me fez ler
pelo menos cinco vezes a manchete para comprovar que eras tu.

e que sensação de desprezo ante esses jornalistas que nem te conheceram,
que não te viram, que não conheceram teu piuke de mapuche livre que
gritava kom lof mapuche weuwaiñ e agitava seu punho exigindo a liberdade
de seus irmãos... nossos irmãos. jornalistas que não te conheceram em vida
que não conheceram a validade nem a pureza de tua luta, vossa luta, nossa
luta. jornalistas para os quais não eras mais que um par de linhas pela
qual recebem um pagamento em troca. ministros que asseguravam que como
ainda não aparecera teu corpo baleado por uma sub-metralhadora policial,
não havia provas de assassinato, jamais te conheceu nem jamais te
conhecerão porque seus corações são negros e retorcidos e seus interesses
confrontam com os teus, os vossos e os nossos...
por isso te mataram... ou pelo menos isso tentaram.

mas irmão, o que eles não sabem é que não só não te mataram... ao
contrário... te fizeram viver... na luta de teu povo, de vosso povo, de
nosso povo... e se...entendo que sejamos dois povos e nossas cosmovisões
sejam distintas... sua luta também é nossa luta e é na luta de nossos
povos que morres para viver...
junto ao Alex, a Claudia, o Daniel, o Rodrigo e tantos outros que
entregaram sua vida para dar mas vida.

Rapidamente passará este momento cheio de raiva que nos faz saltar as
lágrimas e nos faz sentir impotentes frente a fatos que não fazem outra
coisa que validar e exercer o tipo de luta que tu lucidamente elegestes...
tranqüilo irmão que desde aqui o recordamos... tranqüilo irmão que com seu
fogo nos iluminaremos.
tranqüilo irmão que sua morte não há sido em vão.

peukayal peñi
kom lof mapuche weuwaiñ
marichiweu marichiweu marichiweu!

anonim  s

Tradução: Juvei





More information about the A-infos-pt mailing list