(pt) Imaginário e Faísca Publicações Libertárias anun ciam o lançamento de 3 novos títulos

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 1 de Dezembro de 2008 - 19:12:57 CET


A editora Imaginário e Faísca Publicações Libertárias anunciam o
lançamento de 3 novos títulos que já podem ser encomendados pelo e-mail
vendasfaisca  riseup.net:

HISTÓRIA DO ANARQUISMO
Sem autor * R$38 * 208 páginas * Imaginário/Faísca

História do Anarquismo apresenta ao leitor, de maneira bastante ampla, a
história das teorias e práticas do anarquismo no mundo. Em mais de 200
páginas, o livro trata dos pré-anarquistas como William Godwin e Max
Stirner, de Proudhon, Bakunin, da Primeira Internacional, da Comuna de
Paris e do Congresso de Saint-Imier. Passa pelas experiências da Espanha,
Itália, Suíça, França, EUA, pelo sindicalismo revolucionário e pela longa
obra em torno da educação. Além disso, ressalta as experiências
anarquistas no seio da Revolução Russa de 1917 e da Revolução Espanhola de
1936, até o Maio de 68 francês. Fechando o livro, há um capítulo somente
tratando de anarquismo no Brasil, desde seu surgimento, passando pelo
apogeu e terminando na crise dos 1930. História do Anarquismo possui
grande quantidade de imagens e é uma ótima alternativa para professores
que querem trabalhar o tema nas escolas e também para aqueles que não
possuem muito contato com o anarquismo e querem se aprofundar sobre o
assunto. Ao contrário de outros títulos publicados no Brasil sobre o tema,
este livro consegue dar um panorama geral do anarquismo, com um conteúdo
preciso que entrega ao leitor uma boa idéia do que foi o anarquismo em
diversas partes do mundo, desde seu surgimento até muito recentemente.


OS ENGANADORES
A POLÍTICA DA INTERNACIONAL
AONDE IR E O QUE FAZER?
Mikhail Bakunin * R$ 18 * 96 páginas * Imaginário/Faísca

Neste livro, apresentamos três ótimos textos de Bakunin com tradução de
Plínio A. Coelho, maior tradutor de Bakunin para a língua portuguesa. Há
uma linha condutora dos três textos que é a crítica ao socialismo burguês
que surge como uma nova classe intelectual com o objetivo de dominar o
povo. Os Enganadores, de 1869, é o texto que mais critica os socialistas
burgueses da Liga da Paz e da Liberdade, afirmando que ao se colocarem
entre o mundo burguês e o mundo operário, os socialistas de tipo burguês,
se por um lado acabam por acelerar a morte da burguesia, por outro impedem
o nascimento da organização do proletariado. Um dos melhores textos de
Bakunin, A Política da Internacional, também de 1869, ao mesmo tempo que
continua esta crítica do socialismo burguês, propõe, para a emancipação
definitiva do proletariado mundial, sua organização em torno da Associação
Internacional dos Trabalhadores (AIT) que buscava reunir os oprimidos do
mundo todo, em torno de uma aliança de classe para combate do capitalismo.
Ao defender a associação internacionalista pelas bases econômicas da
necessidade, Bakunin tratou de defender como realizar a mobilização do
proletariado, da importância das lutas de curto prazo e sua pedagogia, e
da propaganda revolucionária. Finalmente, Aonde Ir e o que Fazer, de 1873,
é um texto voltado aos russos que defende a idéia de que a ciência, como
conhecimento, não é e nem pode ser o único instrumento para a libertação
de classe. Para Bakunin, se a ciência não estiver associada a uma vontade
e a uma luta pela a liberdade do trabalhador, ela não acrescentará muito à
emancipação popular.


A IDÉIA DOS SOVIETES
Pano Vassilev * R$ 18 * 88 páginas * Imaginário/Faísca

Neste livro, o autor búlgaro desenvolve a idéia dos sovietes, mostrando
suas origens e distanciando-a daquilo que ficou conhecido no século XX com
o desenvolvimento da União Soviética. Para Vassilev, a origem dos sovietes
é libertária e possui raízes nas experiências libertárias dos séculos XIX
e XX, não possuindo nada em comum com o “sistema soviético”, concretizado
de maneira autoritária e centralista, que submeu as diversas localidades
da Rússia revolucionária a um poder central de Moscou. Vassilev defende
que a idéia dos sovietes, ao contrário, é uma nova organização social,
“livre e comunista, com a regulação da produção e da distribuição dos bens
na futura sociedade por meio de encontros, reuniões de trabalho entre
delegados diretos, sempre substituíveis e desprovidos de qualquer poder,
das organizações profissionais e dos centros de distribuição.” Ele
continua: “esta idéia nada tem em comum com o caráter próprio dos
bolcheviques, sua tendência estatista e seu sistema ditatorial na
regulamentação da vida social.” Vassilev trabalha a origem e o
desenvolvimento histórico desta idéia dos sovietes, passa por seu
surgimento, pela evolução da idéia dos conselhos na Rússia e das relações
dos anarquistas russos com ela.


Saindo em breve em co-edição Faísca/FARJ:

A CONCEPÇÃO LIBERTÁRIA DA TRANSFORMAÇÃO SOCIAL REVOLUCIONÁRIA
Rudolf de Jong

ANARQUISMO SOCIAL E ORGANIZAÇÃO
Federação Anarquista do Rio de Janeiro (FARJ)


Faísca Publicações Libertárias
www.editorafaisca.net
faisca  riseup.net
vendasfaisca  riseup.net













More information about the A-infos-pt mailing list