(pt) [Portugal] CONCENTRAÇÃO contra a ocupação do Iraque no Rossio (Lisboa) , 20 de Março, 17h30

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Terça-Feira, 20 de Março de 2007 - 13:32:37 CET


FIM À OCUPAÇÃO!
EUA TIREM AS PATAS DO IRAQUE E DO IRÃO!

Hoje, 20 de Março, passam 4 anos sobre a brutal
invasão e ocupação norte-americana do Iraque.
Passam também 4 anos sobre a famosa Cimeira das
Lajes em que Bush, Blair, Aznar e o seu lacaio
menor Barroso se tornaram cúmplices desse crime,
tentando justificá-lo com mentiras que o tempo
viria a expor completamente. Apesar dos horríveis
resultados dessa agressão a um país soberano e da
completa exposição das suas mentiras, os principais
responsáveis por estas atrocidades continuam no
poder, desafiando as próprias leis e instituições
internacionais que dizem defender. Mesmo governos
que mudaram, como o de Sócrates, continuam
cúmplices do crime, colaborando com os invasores.

Muito mais de meio milhão de mortos, uma grande
parte dos quais assassinados directamente pelos
invasores, 4 milhões de refugiados a viver em
condições miseráveis, um dia-a-dia insuportável
para os que não conseguem fugir, a economia
destruída, um país reduzido à idade da pedra, com
zonas inteiras onde só os ocupantes podem entrar,
prisões mais cheias que no tempo de Saddam e onde a
tortura e a morte são comuns. Estes são alguns dos
resultados da invasão.

A ocupação do Iraque gerou o maior movimento de
contestação mundial visto nas últimas décadas e é
condenada pela esmagadora maioria dos habitantes do
globo. Não trouxe a paz prometida pelos líderes
ocidentais, nem acabou com o «terrorismo». Antes
pelo contrário, agravou as tensões internacionais.
Em particular no Médio Oriente (Palestina, Líbano,
Afeganistão, Iraque, etc.), as convulsões
aumentaram de violência. Tudo isto faz parte dos
planos imperiais dos EUA, que esperam poder vir a
reconfigurar a seu favor toda essa região sobre as
ruínas que estão a criar. O Irão está na calha para
novas aventuras bélicas.

Com isto, a principal potência imperial mundial
espera poder vir a controlar uma região
geoestrategicamente vital de passagem de
mercadorias e, em particular, as suas riquezas
petrolíferas. Se o conseguirem, um único país
ficará com um controlo nunca visto sobre a riqueza
mundial e as vidas de milhares de milhões de
pessoas. E a sua história (incluindo esta invasão)
mostra que podem tornar verdadeiramente miserável a
vida dos povos que dominam.

Mas os seus planos não lhes correm como gostariam,
fruto da resistência do povo iraquiano. Os
iraquianos devem pôr os olhos no heróico povo
mártir da Palestina, que há 6 décadas resistem aos
invasores sionitas, guarda-avançada dos norte-
americanos. Apesar da intensa repressão e da
humilhação diária, os palestinianos continuam a
lutar e mantém-se de pé.

Apelamos a todos para que denunciem a intoxicação
diária que nos tenta convencer da bondade dos
invasores e da inutilidade da resistênca. O nosso
dever é continuar a lutar pelo fim da ocupação,
pelo fim dos massacres e pela liberdade do povo
iraquiano e de todos os povos do mundo.

20 de Março de 2007
Colectivo Mumia Abu-Jamal
(cmaj  mail.pt)

-----------------------------------
ACÇÕES DE PROTESTO
O CMA-J é um dos subscritores das seguintes acções:

CONCENTRAÇÃO
Rossio (Lisboa), 20 de Março, 17h30
4 ANOS DE OCUPAÇÃO, 4 ANOS DE RESISTÊNCIA

CONCERTO
Canções pelo Iraque
Cinema S. Jorge (Lisboa), 23 de Março, 21h30
Camané, Fausto, Jorge Palma, José Mário Branco,
Luís Represas, Paulo de Carvalho, Pedro Abrunhosa.




More information about the A-infos-pt mailing list