(pt) [Brasil] A PLEBE nº49 - A LUTA CONTRA A CARESTIA DA VIDA E O ARROCHO SALA RIAL

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 15 de Março de 2007 - 07:59:03 CET


A PLEBE nº49/Março-2007 A.C.A.T. SEM PARTIDO NEM PATRÃO!
Órgão de Divulgação do SINDIVÁRIOS/Federação Operária de São Paulo
(FOSP/COB – Fundada em 1905 )
A emancipação dos trabalhadores será obra dos próprios trabalhadores. @
Ligada a Associação Internacional dos Trabalhadores (A.I.T.-I.W.A.)
*Caixa Postal: 1933/CEP: 01009-972/São Paulo-SP*(fospcobait  yahoo.co.uk)
***MEMÓRIA OPERÁRIA: 90 ANOS DA GREVE GERAL DE 1917***
__________________________________________________________________________

A LUTA CONTRA A CARESTIA DA VIDA E O ARROCHO SALARIAL

É fim de ano e para aproveitar o período de festas, onde se lucra mais, e
logo após o período o final do ano letivo a tarifa dos transportes em São
Paulo sofre um aumento generalizado, muito acima do índice de inflação
para o período. O aumento já era previsto, como falávamos na Campanha Pelo
Voto Nulo (depois da democracia das urnas, tome aumento e arrocho
salarial!), mas como sempre muita gente tem que levar na cabeça para saber
o quanto dói. A indignação das pessoas foi automática e logo vem, como
resposta espontânea, uma agitação contra o aumento. Dessa agitação se
aproveitam os partidos políticos, desacreditados na época das eleições,
tentam de forma oportunista, capitalizar e falar em nome dessa ‘indignação
social’, ampliada pelo escândalo do auto-aumento do Judiciário e do
próprio Legislativo. Com o uso dos aparelhos sindicais –financiados pelo
Estado para manter a classe trabalhadora desorganizada – os partidos
estimulam a criação de uma ‘Frente de Luta Contra o Aumento da Tarifa’
(FLCAT), cooptando setores do movimento autônomo. Assim a FLCAT é formada
por todas as centrais sindicais (CUT/PT, FARSA SINDICAL/PDT,
CONLUTAS/PSTU-PSOL, CGT do B/PCB, CGT/PTB, etc.) e partidos de esquerda,
MPL, punks e alguns movimentos sociais.

A FLCAT veio com muita força, carros de som e panfletos e causou realmente
um impacto ao trabalhador que queria a resposta de imediato, chamando
manifestações no centro da cidade. Assim capitalizou as manifestações,
enquanto restringia a ação dos grupos autônomos – chegando a denunciar à
policia os grupos que tentavam alguma ação direta mais contundente nos
Terminais Urbanos. Assim conduziram as manifestações, que se tornaram
semanais, em verdadeiras procissões que não queriam causar nada, apenas
dar voltas pelo centro. Essa estratégia foi útil aos partidos – que
negociaram com o governo (supostamente o aumento do Salário Mínimo), mas
onde conquistaram a anistia à ‘Clausula de Barreira’, que iria
inviabilizar dezenas de siglas (como o próprio PC do B, que chegou a
presidir a Câmara Federal, o PV, o PSOL, o PSTU, o PL, entre outros – eis
o motivo por que estavam juntos na FLCAT). Mas para a classe trabalhadora
foi mais uma traição! A carestia da vida e o arrocho salarial levam a
família operária ao desemprego e a miséria.

Em nenhum momento houve solidariedade nos conflitos que ocorreram
diretamente com a PM, principalmente com punks. Pessoas carregam seqüelas
até hoje de bombas jogadas pela PM, das pancadas e torturas que sofreram,
e a ‘Frente...’ não fez nada a respeito, ou melhor fizeram: ficavam lá
agitando as alegorias partidárias.

Hoje, mais de 3 meses depois de se levantar a consigna “SE A TARIFA
AUMENTAR SÃO PAULO VAI PARAR” o aumento já está bem vivenciado no bolso do
trabalhador, do estudante, da dona de casa... de todos nós que somos
explorados pelo capitalismo selvagem, de todo proletariado! E não houve
nenhuma resposta que causasse impacto por que, como sempre, o movimento
que era para ser autônomo foi aparelhado pelos partidos políticos e suas
centrais sindicais pelegas ligadas ao Estado – que mais uma vez usaram a
classe trabalhadora como massa de manobra. E o que os grandes sindicatos
fizeram pela classe trabalhadora? O que a CUT, o CONLUTAS ou a FARSA
SINDICAL fizeram? Saíram festejando o Salário Mínimo de R$ 380,00(!)
Quando todos sabem que o Salário Mínimo constitucional deveria ser de R$
1750,00!!!

Não podemos cair na mão dos traidores da classe trabalhadora mais uma vez!
Eles querem o seu voto para se perpetuar no poder e defender o lado deles,
por que comem na mão do Estado e não defendem os direitos da classe
trabalhadora.

Trabalhador, só nossa organização autônoma a partir dos locais d trabalho
e de moradia, sem a interferência dos partidos , dos patrões e do Estado
podem garantir a defesa efetiva dos interesses da classe trabalhadora.
Formemos Comitês de Luta Contra a Carestia da Vida que assumam um
compromisso de serem comitês de solidariedade e apoio-mútuo aos que
aceitarem um base de acordo mínima, que inclua o apartidarismo, o poder
nas mãos das assembléias locais, a ação direta como método e o federalismo
como forma de organização geral. Avante trabalhadores na luta autônoma e
classista pela Reativação do sindicalismo livre da Confederação Operária
Brasileira (COB-AIT): a luta continua!

Comitê Apartidário de Luta Contra a Carestia da Vida


FOSP - Federação Operária de São Paulo.
Filiada a:
COB - Confederação Operária Brasileira.
ACAT - Associação Continental Americana dos Trabalhadores.
AIT - Associação Internacional dos Trabalhadores.






More information about the A-infos-pt mailing list