(pt) [Dinamarca] Susana, que participou na marcha em defesa de Ungdomshuset, a 16/12/2006, continua presa!!!

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 18 de Fevereiro de 2007 - 21:58:05 CET


Campanha “Su livre!”
Copenhaga - Dinamarca – mês de Dezembro - “De onde nos vem tanta raiva?”
Várias pessoas manifestaram-se durante o mês de Dezembro contra o
desalojamento de um centro social em Copenhaga, Dinamarca. A manifestação
não acabou bem e muitas pessoas foram e continuam a ser presas. De momento
apenas 6 se encontram na prisão.
E a Susana é uma dessas pessoas. Já está há mais de 2 meses em prisão
preventiva, passou lá o Natal, o Ano Novo, o seu aniversário e não sabe
quando vai sair. Por mais que questionemos o porquê dela lá
estar, na nossa opinião, o que interessa é que uma prisão é sempre uma
prisão, e que ela não devia estar lá mas sim perto da família e dos
amigos.
Lê para saberes mais ou saberes como podes ajudar (na última parte).
Quem é a Susana? A Susana é, antes de mais, uma amiga. Está a estudar em
Coimbra, na Escola Superior de Educação, no último ano. É uma activista
social e ambiental. Pertence ao GAIA (Grupo de Acção e Intervenção
Ambiental), a um grupo de teatro de rua e a outros colectivos .É
vegetariana, defensora dos direitos dos imigrantes, dos direitos humanos,
da paz! Activa na luta contra a praxe, na defesa da despenalização do
aborto, no movimento estudantil.
E quem somos nós? Alguns amig  s da Susana, e outros amig  s de tod  s os
presos!
Que centro social é esse? Chama-se Ungdomshuset (Centro da Juventude) e
como se pode ler na sua página na Internet
(http://ungdomshuset.info/spip.php?article45), hoje eram um centro
político e cultural, uma alternativa a uma sociedade opressora, usada por
activistas para organizarem inúmeros eventos. O edifício foi cedido pela
câmara em 1982 a várias associações e colectivos. Em 1999 foi vendido pela
câmara a uma seita fundamentalista cristã, e inicia-se um processo no
tribunal. Um
processo moroso e bastante dúbio, onde os activistas acusam a câmara de
vender algo que foi cedido, e a “seita” que reclama a casa e uma
compensação por não poderem ter usufruído dela. Em 2006, o tribunal decide
que os activistas têm de evacuar a casa até dia 14 de Dezembro. (mais
sobre o processo
em http://ungdomshuset.info/spip.php?article47)
O que aconteceu? Porque se manifestavam? No dia 15 de Dezembro, mais de
5000 pessoas manifestaram-se contra a decisão do tribunal e recusavam-se a
entregar o Centro da Juventude.
No dia 16, uma marcha com cerca de 1000 participantes. Começaram a sair da
casa e a dirigirem-se para o centro da cidade mas não conseguiram andar
mais de 300 metros pois a policia impedia-lhes a passagem. E aí o cenário
passou a ser de guerra: pedras pelo ar, garrafas, montras partidas,
barricadas, fogo, fumo, escuro, gás lacrimogéneo... Violência da parte dos
polícias e da parte de alguns manifestantes. As imagens comprovam-no:
http://indymedia.dk/article/754. Alguns activistas ficaram
feridos assim como polícias. Muitas montras partidas e as ruas quase
destruídas.
Cerca de 213 pessoas foram presas, entre as quais 87 estrangeiros de 10
nacionalidades diferentes. Os dinamarqueses (à excepção de um, o Allin)
foram postos em liberdade passado 24h e aguardam julgamento. Até ao final
de 2006, 20 estrangeiros foram deportados e proibidos de entrar na
Dinamarca e os restantes foram libertados e reencaminhados para a
fronteira. Os únicos que restaram na prisão foram a Susana, um amigo dela
- o Mariano (argentino) – e mais duas pessoas.
O que se passou exactamente com a Susana? A Susana foi visitar um amigo à
Dinamarca, no dia 14 de Dezembro, com intenções de voltar para Portugal
antes do Natal. Como activista social que é, a Susana participou na marcha
em defesa de Ungdomshuset, no dia 16. E foi uma daquelas pessoas
indiscriminadamente presas. Está a ser acusada de agressão à autoridade.
A lei dinamarquesa diz que depois de 24 horas (72 para estrangeiros) o
detido tem de ser julgado ou
posto em liberdade. A Susana foi “julgada” e colocada em prisão preventiva
até julgamento oficial. Mas esse julgamento tem vindo a ser continuamente
adiado.
O caso está a ser acompanhado por uma advogada dinamarquesa,
“especialista” em casos como este, voluntária, amiga do Centro.
E então, qual o resultado? Ao que parece, a Susana teve e está a ter azar,
pois o seu julgamento foi adiado 15 dias, para o dia 25 de Janeiro (um dia
antes do seu aniversário). O julgamento do Mariano seria no mesmo dia. E o
dos outros 2 presos no dia 24.
No dia 25, aconteceu de novo a mesma coisa. Não foi um julgamento mas sim
um adiamento de mais 15 dias. Ou seja, seria colocada em frente ao juiz no
dia 8 de Fevereiro. Acontece que dia 8 também não chegou a haver nada
porque adiaram o seu julgamento e do Mariano para dia 16 e 23 de Fevereiro
–
julgamento repartido em duas sessões.
A Susana continua então em prisão preventiva, numa prisão isolada em
Copenhaga. Praticamente ainda não recebeu visitas (apenas da embaixada
portuguesa e de uma associação que está a dar apoio) pois o processo para
obter autorização para visitar-lhe é muito burocrático e lento,
principalmente para estrangeiros.
Afinal quem é que foi preso e quem está ainda preso? A Susana,o Mariano
(argentino amigo da Susana), o Tomi (finlandês) e o Allan (dinamarquês)
foram presos dia 16 de Decembro. Destes 4, só o Allan é que já foi
libertado. Um rapaz inglês, o Luke, foi preso a meio de Janeiro e vai ser
libertado dia 14 de Março. O Mads, um dinamarquês foi preso na mesma
altura e já foi libertado. Este mês a polícia prendeu mais 3 pessoas que
já tinham sido presas em Decembro. Libertou uma e as outras vão ser
julgadas para a semana.
Portanto, há 6 pessoas presas de momento, por causa da resistência a
Ungdomshuset.
O que pode acontecer à Susana dia 23? É díficl dizer. O tribunal pode
decidir ilibá-la, manter-lha na prisão, ou deportar-la para Portugal. No
caso de continuar na prisão, pode ser porque o juiz decidir esperar uma
semana antes de dar a sentença, ou porque tem de cumprir mais pena (porque
pena de 2 meses no fundo já compriu). Em qualquer das situações pode ter
que pagar multa.
Parece que não há leis especficas na Dinamarca sobre quanto tempo é que se
pode estar em prisão preventiva. A pessoa tem é de ser colocada em frente
a um juís sempre que passarem no máximo 4 semanas.
O que podes fazer para ajudar?
a) escrever à Susana e aos outros presos.
Tens várias hipóteses (carta ou e-mail), mas tem em atenção ao que
escreves, não comentes sobre o caso, porque a polícia pode ler e, sem
quereres, podes prejudicar a Susana. Mesmo que alguns de vocês não a
conheçam bem, escrevam na mesma! Imaginem o que é estar numa prisão sem
nada que fazer... Receber cartas deve ser uma alegria! Falem do vosso
dia-a-dia, das vossas paixões, das vossas viagens, transcrevam um poema,
sei lá, mas escrevam!!
Para a Susana podem escrever em português, castelhano ou inglês. Para o
Mariano podem escrever em castelhano ou inglês. Para o Tomi em finlandês
ou inglês. Para o Luke em inglês.
Enviem as cartas para a ABC (associação que está a dar apoio no local) e
coloquem algures na parte de trás do envelope “a letter for Susana” - ou o
nome de outro dos presos):
ABC c/o svinefarm Nørrebrogade 31,1 2200 København N Danmark
ou podem escrever e-mail também para a ABC (retsgruppe69  yahoo.dk) com
assunto “a letter for (nome do preso)” , que os voluntários da associação
imprimem e fazem chegar todos os dias à prisão.
b) podes também enviar livros, cd's (mas têm de ser originais), roupa e
dinheiro dinamarquês (croas). Envia para a mesma morada acima.
c) contribuir monetariamente. Envia a tua contribuição para conta
003520730000338193093 em nome de “Su Livre”. Se possível, envia e-mail
para sulivre  riseup.net com comprovativo de transferência.
d) escrever/telefonar à embaixada dinamarquesa em Portugal a exigir a
libertação da Susana e dos outros presos: Embaixada Dinamarquesa em
Portugal - Rua Castilho 14-C 3º 1200-069 Lisboa 21 3512960
e) contactar advogados para sabermos o que se pode fazer a partir de
Portugal. Se encontrares algum que esteja interessado em ajudar, dá-lhe
o nosso contacto: sulivre  riseup.net.
f) receber e divulgar informação. Envia-nos e-mail com pedido de
inscrição em mailling-list (para receberes actualizações), ou com
sugestões ou dúvidas.
Obrigada por leres até aqui, os amig  s de Susana. 19 de Fevereiro, 2007.






More information about the A-infos-pt mailing list