(pt) [Brasil, RJ] URGENTE: Prefeitura derruba casas no Canal do Anil

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 13 de Agosto de 2007 - 11:45:53 CEST


Terrorismo de Estado: Prefeitura derruba casas no Canal do Anil
Jacarepaguá, Rio de Janeiro - RJ
A prefeitura do Rio de Janeiro continua a aterrorizar a comunidade do
canal do Anil na tentativa de demolir todas as casas daquela região,
prosseguindo com a política de criminalização da pobreza e "limpeza
social". A ação terrorista se iniciou no dia 1º de agosto, com o habitual
aparato repressivo: polícia militar e guarda municipal. Tal política é uma
continuação do Estado de Exceção utilizado durante os Jogos
PAN-americanos. Com a desculpa da "segurança" das delegações estrangeiras,
foi cometida a maior chacina policial consentida pelo governo do Estado
(no complexo do Alemão) de que já se teve notícia. Parte desta política
resultou também na exoneração (expulsão) dos membros da Comissão de
Direitos Humanos da OAB (pela direção desta instituição, que é
comprometida com o governo de César Maia e Sérgio Cabral), ou seja, há um
conluio de forças estruturadas para prosseguir o massacre de pobres e
trabalhadores.

Agora o principal alvo são as comunidades pobres situadas nas regiões do
Rio mais visadas pela especulação imobiliária, que poderá, depois de
expulsar as comunidades pobres, realizar seus empreendimentos milionários.
Mas o que esperar do prefeito César Maia que recebeu doações de, nada mais
nada menos, 8 empresas ligadas ao setor imobiliário em sua última campanha
(as maiores doadoras foram a Brascan Imobiliária Incorporações S/A e a
Carvalho Hosken S.A. Engenharia E.)



A ação do dia 1º de agosto, truculenta e arbitrária, destruiu várias casas.



No dia 1º de agosto, famílias inteiras eram colocadas para fora de suas
moradias, inclusive com crianças e idosos. Móveis eram retirados, portas e
janelas eram destruídas ainda com as pessoas dentro de suas casas. Tudo
isso sob o olhar atento dos responsáveis pela ação: membros da
subprefeitura e o comandante da guarda municipal. Não houve nenhum tipo de
acompanhamento da defesa civil, de um oficial de justiça, ou do conselho
tutelar. Tudo era feito dentro da ILEGALIDADE e do abuso de poder.

Diversas entidades estiveram presentes na ação de solidariedade. Montou-se
uma vigília no local, o que não inibiu a chegada dos policiais no dia
seguinte. Com um novo efetivo a polícia prosseguiu com a intimidação
violenta e covarde do dia anterior. Desta vez, contudo, a comunidade
estava mais organizada e a rede de apoio mais forte e estruturada e
conseguiram resistir aos invasores, que apesar da truculência e da
ILEGALIDADE não conseguiram derrubar nenhuma casa, sob os gritos
contundentes da união popular. A comunidade pôde respirar mais um dia de
sobrevivência de suas moradias e comemorar a primeira vitória!

A ação terrorista promete continuar (terrorista porque promove o medo,
estresse e a ameaça física dos moradores), por isso é fundamental a todos
os militantes de grupos e entidades do movimento social que participem da
vigília na comunidade. A resistência dos moradores da comunidade do Canal
do Anil representa muito mais do que o embate de uma comunidade contra o
poder da especulação imobiliária, ela é o símbolo atual de luta contra a
política de extermínio dos direitos fundamentais da população. Resistência
sim, pois o PAN-americano estruturou um esquema organizado de opressão em
nome de uma falsa segurança que não termina com o final dos jogos, mas sim
prossegue no intuito de favorecer uma pequena minoria privilegiada de
especuladores, empresários, políticos carreiristas e donos do poder
financeiro.

Um pouquinho e história



Só para elucidar, a comunidade do Canal do Anil é a expansão de uma antiga
comunidade de pescadores (até hoje alguns moradores ainda mantém a
prática). Ao longo dos últimos 20 anos, no processo de especulação
imobiliária das áreas centrais da cidade e a migração da população mais
pobre, é que a comunidade chegou à dimensão atual de cerca de mais de 500
moradias e vários estabelecimentos de pequeno comércio. Alguns moradores
vivem no local há mais de 40 anos.

A alegação da prefeitura é a de que a comunidade está danificando o meio
ambiente e encontra-se em área de risco. Pois é claro! A alta classe da
cidade aceita abrir sua janela e se deparar com barracos? Por esta conta
que esta região, Jacarepaguá-Barra da Tijuca (quase toda pantanosa), está
sendo invadida pelas imobiliárias, já que a Zona Sul (área nobre do Rio)
está repleta de favelas e isso derruba o valor agregado aos imóveis.

Por trás dos laudos (corruptos) de Meio Ambiente, está o interesse
capitalista, de favorecimento da classe que mantém o sistema. Para os
órgãos de Meio Ambiente e os governos, somente as comunidades pobres
poluem o meio ambiente, mas os enormes condomínios de luxo parecem que
não.

Última dúvida: para as famílias pobres, há risco maior do que serem
despejadas?





POBREZA AGORA É CRIME!!!!!!

CONTRA ISSO: A RESISTÊNCIA!!!!!!!

"Liberdade sem socialismo é privilégio e injustiça; socialismo sem
liberdade é escravatura e brutalidade."
Miguel Bakunin

Contato:
9511-0377 (João / coordenador do grupo) ou gea_nec2  yahoo.com.br

Iniciativas anarquistas no RJ:
- Federação Anarquista do Rio de Janeiro (FARJ) - farj  riseup.net  - site:
www.farj.org
- Biblioteca Social Fábio Luz (BSFL) - End.: Centro de Cultura Social
(CCS-RJ), Rua Torres Homem, 790, Vila Isabel, Rio de Janeiro, RJ. tel:
2520-7101
- Coletivo de Estudos Anarquistas Domingos Passos - Niterói -
insurgentes  nodo50.org
www.nodo50.org/insurgentes (obs.: reune-se atualmente no acampamento dos
estudantes, do movimento de luta por moradia estudantil, da UFF-Niterói).




More information about the A-infos-pt mailing list