(pt) [Brasil] JORNADAS LIBERTÁRI AS DE PROTESTO DE SÃO PAULO MARCAM 100 ANOS DA FUNDAÇÃO DA COB E CHAMA 1º DE MAIO DE LUTA

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 11 de Maio de 2006 - 10:52:27 CEST


JORNADA LIBERTÁRIA DE SÃO PAULO (JLP/SP-06) MARCA 100 ANOS DA FUNDAÇÃO DA
CONFEDERAÇÃO OPERÁRIA BRASILEIRA (COB) E CHAMA PARA 1º DE MAIO DE LUTA
Realizaram-se aos 21 e 22 dias do mês de abril de 2006, as terceiras
Jornadas Libertárias do Estado de São Paulo na Casa de Cultura do M´Boi
Mirim, Zona Sul da cidade, convocada e organizada pelo
SINDVÁRIOSFOSP/COB/ACAT/AIT com o apoio da União do Movimento Punk, Comitê
Contra a Carestia e pelo Voto Nulo, Coletivo Carlo Giuliani, Coletivo
Educar para a Paz, Coletivo Libertário, Coletivo Estação Libertária, A
Lanterna, Comitê Nacional de Solidariedade ao MCC/RO, Comitê Pró-Haiti,
Movimento pela Reativação da COB-AIT e o Movimento Libertário Brasileiro
(MLB), com a proposta de culminar sua realização com as manifestações para
um 1º de Maio de Luta. Dentro de uma linha de continuidade com a
JLP/SP-2004, em Presidente Prudente, do ELP/SP-2005, em Santo Amaro/SP e
numa linha de Solidariedade com as JLP/RGS.

O PRIMEIRO DIA DE ATIVIDADES DAS JLP/SP-2006

Chegamos vários companheiros por volta das 10:00 Hs da manhã ao local,
onde iniciamos os preparativos colando e expondo os murais, faixas,
cartazes, folhetos, jornais e outros materiais no local e proximidades.
Aproveitamos para varrer a região novamente com colagens de cartazes e
distribuição de panfletos convocando a população da comunidade ao evento,
além de muita conversa e diálogo com os moradores que apoiaram todas as
atividades nos dois dias da Jornada até aqui. Murais, cartazes, faixas e
folhetos que mostravam a história de muitas das organizações que
construíram o evento, que mostravam as datas e acontecimentos históricos
das greves de 1906, 1907, 1917 e 1919 da FOSP (Federação Operária de São
Paulo) e da COB (Confederação Operária Brasileira). Um primeiro fator de
emoção foi dado com a participação nas JLP/SP-06 de um parente direto de
Edgard Leuenroth, que tendo tomado conhecimento – como tantos outros –
pela ampla propagandização feita que atingiu toda a grande São Paulo e
muitas cidades do interior. Ele muito se emocionou ao saber que demos o
nome de seu avô à Biblioteca e Arquivo Social Edgard Leuenroth, do
SINDIVÁRIOS/FOSP/COB/AIT. Começamos as 12 Hs com a abertutra das JLP/SP-06
para o público com a exposição de murais e cartazes históricos do
Movimento Libertário Brasileiro ao som de hinos libertários históricos
(como A Internacional, A Las Barricadas, etc). as 13:20 hs começamos a
expor o filme “Os Libertários”, que conta a história do Movimento Operário
no Brasil em fins do século XIX e começo do século XX, mostrando a
trajetória de luta da COB, da FOSP e dos diversos Sindicatos ligados a
mesma. Depois do filme sobre a COB começamos a passar um outro tratando da
questão da solidariedade ao povo trabalhador haitiano (Dê Uma Chance ao
Haiti) e na seqüência se iniciou uma sessão de slides da Lúcia,
membro-fundadora do Comitê Pró-Haiti, que esteve no Haiti recentemente -
durante as recentes eleições -, ao mesmo tempo em que ela já fazia sua
palestra “O INTERNACIONALISMO PROLETÁRIO E O HAITI”, mostrando a todos os
presentes a lastimável situação de vida do povo daquele país. Em
seguida,antes de prosseguirmos a programação e em função do fato de que a
companheira Lucia se encontrar com a perna quebrada e não poder permanecer
por tempo prolongado no evento, foi aberto um pequeno espaço para
discutirmos o cronograma proposto originalmente, sugerindo alterações –
aprovadas por consenso pelos presentes na Plenária naquele momento (por
volta de 14 Hs, com mais de 60 pessoas): aprovar as contas da JLP/SP,
antecipar o debate sobre a questão haitiana, realizar um intervalo para o
lanche, retomar na seqüência com as outras palestras e depois partir para
a Plenária do MLB, visando fechar as propostas de luta , Campanhas,
calendário de ação e formas de organização. Assim foram apresentadas as
contas para o balanço sumário das JLP/SP, pelo Coletivo Educar Para a Paz
(Coletivo EPP/Seção Santo Amaro do SINDIVÁRIOS/FOSP/COB/AIT) sendo
aprovadas pela plenária. Em seguida iniciamos o debate sobre a questão
haitiana, para aproveitar a presença da Lucia e os participantes puderam
esclarecer várias dúvidas em questão. Foram então aprovadas algumas
decisões, no sentido de aprofundar as discussões sobre essa questão nas
cidades e bairros, buscando difundir o trabalho de solidariedade pela
criação de Comitês locais associados aos núcleos da FOSP/COB, baseados na
dupla reivindicação NÃO À DÍVIDA EXTERNA E INDENIZAÇÃO, JÁ!, exigimos a
imediata retirada de todas as tropas de ocupação que se encontram nesse
país.  Após o intervalo para o lanche retomamos com as outras palestras
dos companheiros Alexandre (Coordenador da FOSP/COB e membro do Comitê de
Solidariedade ao Movimento Camponês Corumbiara-MCC/RO) sobre o tema
“Delegação versus Ação Direta” contra a Farsa Eleitoral, a seguir a
questão da “Mulher na Sociedade Capitalista” com a companheira Cíntia
(ativista do Coletivo Estação Libertária e da UMP), após a palestra  sobre
a “Contracultura e o Fascismo” com o companheiro Fernando (Coordenador do
SINDIVÁRIOS/FOSP/COB) e finalizamos as palestras com o companheiro Renato
(ativista d’O COLETIVO LIBERTÁRIO e Coordenador da FOSP/COB/AIT) falando
sobre a “Atualidade do Sindicalismo Revolucionário” e a urgência da Greve
Geral e do 1º de Maio de Luta. Ao final de sua falação, com um vigoroso
chamamento à auto-organização e a ação direta tanto para o 1º de Maio
quanto para a Campanha Nacional Pelo Voto Nulo toda a audiência aplaude de
forma entusiasmada e prolongada, demonstrando claramente o espírito de
luta consensual que dominava as JLP/SP-2006. Terminadas as palestras,
iniciamos a Plenária do Movimento Libertário Brasileiro (MLB) de São
Paulo, com todos os trabalhadores e moradores presentes no intuito de
deliberarmos vários assuntos em questão tocados anteriormente nas
discussões. Foram aprovadas indicativamente as seguintes propostas: ·     
  O Sindvários-SP e a FOSP fortalecerão a luta do Comitê Pró-Haiti no
intuito da retirada de todas as tropas estrangeiras do país e do fim do
pagamento da dívida externa deste além de enviar pedido de solidariedade a
todos as organizações membros da ACAT (Associação Continental Americana
dos Trabalhadores) e da AIT (Associação Internacional dos Trabalhadores) e
principalmente criar Comitês de Solidariedade ao Haiti nas cidades,
bairros e regiões que não existam. Será pedida especial atenção aos
companheiros da CNT-França, Seção da AIT naquele país, pois é o Estado
Francês que obriga a sangria do povo Haitiano ao pagamento de sua dívida
externa. Também houve um indicativo de que todos os libertários,
simpatizantes e outros presentes desenvolveriam o assunto em seus Grupos,
Movimentos ou Organizações. ·        Formalizou-se a Solidariedade
Internacional Proletária com os movimentos grevistas na França, contra a
lei do  primeiro emprego e em apoio à juventude imigrada e sua
decendência, bem como a Solidariedade à greve de Mercadona, que está sendo
encaminhada pela CNT-AIT de Espanha. ·        Também ficou decidido, de
forma consensual, a realização de manifestações no dia 1º de Maio em 2006
em todos os núcleos da FOSP no interior, na baixada e nos bairros e
regiões da cidade de São Paulo, dentro de suas autonomia e em cada
situação específica, da mesma forma como ocorreu no ano passado.  ·       
Não se estabelecendo um consenso o SINDIVÁRIOS/FOSP/COB assume a
responsabilidade de convocar, com o apoio de diversos coletivos, uma
manifestação na região do Centro expandido de São Paulo: A partir das
13:00 Hs, se faz um chamado para que todos os companheiros se aglutinem na
Ladeira da Memória/Antigo Mercado de Escravos (mesmo local do ano
passado), próximo ao Vale do Anhangabaú, ao lado do Metrô. Neste local
realizaremos a concentração e uma Assembléia parq deliberar o que fazer na
seqüência. Existem 3 propostas: realizar na Praça da Sé uma
Assembléia-Comício, chamando a população a discutir, em que defenderíamos
nossas propostas de luta e lançaríamos a proposta de Greve Geral
Revolucionária; realizar uma passeata e mini-comícios (como no ano
passado); realizar uma grnde concentração lançando a Campanha Nacional
Pelo Voto Nulo – todas as propostas centradas nos 100 anos da COB. Apesar
da discordância de alguns companheiros sobre a realização do evento no
Centro da cidade, respeitamos a posição dos mesmos, pois estes se
inclinaram na continuação das atividades em seus núcleos durante todo o
dia. Também fica definido que o horário interessante para início das
manifestações dos núcleos (nos locais de moradia, estudo, trabalho, etc)
se inicie por volta das 08:00H da manhã do dia primeiro, porém apenas como
sugestão. ·        Foram reafirmadas as campanhas desenvolvidas pelo
Movimento Pela Reativação da COB que se mostraram as únicas propostas de
lutas e campanha apresentadas: PELA REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO PARA 30
HS SEMANAIS, SEM REDUÇÃO DE SALÁRIO! REFORMA AGRÁRIA RADICAL E IMEDIATA!
CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DA QUESTÃO SOCIAL: PELA IMEDIATA LIBERTAÇÃO DE
CLAUDEMIR E CÍCERO DO MCC/RO! CONTRA O FASCISMO! CONTRA A FARSA ELEITORAL:
CAMPANHA NACIONAL UNIFICADA PEL9O VOTO NULO, NÃO SUSTENTE PARASITAS! PELA
AUTONOMIA E LIBERDADE DE ORGANIZAÇÃO SINDICAL: PELA REATIVAÇÃO DA COB-AIT!

É importantíssimo destacar que a Edição nº 45 do Jornal “A PLEBE”, ficou
pronta como MANIFESTO PROLETÁRIO E LIBERTÁRIO para o 1º de Maio dentro do
prazo como inicialmente havíamos previsto, onde pudemos também encaminhar
vários exemplares dos jornais aos núcleos no interior do Estado e em
outros locais do país. Também foram distribuídos vários exemplares aos
núcleos para que estes pudessem dentro de suas possibilidades reproduzir e
distribuir adiante. Da mesma forma foram distribuídos aos interessados
presentes nas JLP/SP-06. Faz-se necessário destacar a grande importância
deste exemplar como comemoração dos 100 anos do primeiro Congresso
Operário Brasileiro de 1906, realizado também nos dias 15 a 20 do mês de
abril daquele ano, assim como a III Jornada, que hoje promovemos. Outro
fator importante a ser destacado é o material que já conseguimos preparar
para a Campanha “VOTE NULO NÃO SUSTENTE PARASITAS!” que também foi
amplamente distribuído a todos os presentes e a moradores da comunidade
que se interessaram muito pelo mesmo. Lançando oficialmente a campanha
VOTE NULO, NÃO SUSTENTE PARASITAS! Provocando calorosas discussões também
nos debates que haviam ocorrido. Dessa forma saímos das JLP/SP-06 já com a
Campanha pelo VOTO NULO, NÃO SUSTENTE PARASITAS! Já nas ruas. Por volta
das 19:00H iniciamos a GIG DE PROTESTO que também se mostrou muito
receptiva pelos presentes e pela comunidade que tiveram a oportunidade de
se expressar pelo microfone aberto a todos para deixar seu protesto e sua
revolta. Também as pessoas que subiram ao palco para suas apresentações
musicais o fizeram, denunciando o Estado, o Capital e as Instituições
podres de nossa sociedade. Combatendo o Imposto Sindical, o atrelamento do
sindicalismo ao Estado e aos partidos e pedindo a retomada do Sindicalismo
Livre. A GIG se encerrou perto das 23 HS. O SEGUNDO DIA DAS JLP/SP-2006
Iniciamos o segundo dia da Jornada por volta das 16:30H da tarde (o
horário inicial estava marcado por volta das 18:00H), onde alguns
companheiros saíram pelo bairro novamente reforçando o caráter do evento,
convidando a população ao mesmo, conversando com as pessoas que por ali
trafegavam e distribuindo exemplares da última edição do “A PLEBE”. Por
volta das 18:30H começamos a exibição do filme “A Batalha de Argel”, que
narra vários exemplos da covardia e autoritarismo do Imperialismo Francês,
remetendo a todos os presentes a mesma tragédia social do povo no Haiti.
Também foi levado em questão o uso da Greve Geral como instrumento
legítimo da Classe Trabalhadora no uso de sua libertação assim como o
Movimento espontâneo que toma conta de toda a população do país a lutar
por sua emancipação após a dissolução da FLN. Tais ocorrências dentro do
filme foram muito válidas para nos exemplificar como construirmos nossa
libertação aos moldes do sindicalismo revolucionário, na estratégia do
anarcosindicalismo. Após o filme e as discussões que em torno do mesmo se
deram, iniciamos novamente um diálogo com a presença de muitos moradores
que acompanhavam atentos o filme, as discussões, os exemplos no intuito de
demonstrar como o 1º de Maio é um dos momentos fundamentais para
construirmos a Greve Geral que será o prelúdio da Revolução Social. Sendo
assim, iniciamos a discussão em torno do Ato Público que se dará. Trocamos
nestes diálogos muitas experiências de vida, de luta, de solidariedade e
em conjunto do Núcleo da FOSP/COB local, decidimos efetuar uma atividade
sobre o 1º de Maio durante todo o dia 30/04/2006, que cairá num domingo,
véspera do dia 01/05/2006. Definimos em conjunto que: ·        todos
chegariam a Casa de Cultura por volta das 11:30H da manhã do dia 30/04,
trabalharíamos com a população na feira até por volta das 15:00h e em
seguida nos dividiríamos em alguns grupos que sairiam a pé por todo o
bairro e adjacências para explicar à população a importância do 1º de Maio
entre outros. Por volta das 18:30H, se iniciariam as atividades culturais
da Casa de Cultura, onde todos nós nos reagruparíamos numa manifestação de
desagravo à prefeitura, pedindo verbas e autonomia para a Casa de Cultura,
em conjunto com a comunidade local. ·        Ficou decidido também que
toda a comunidade já estava de ante-mão convidada a participar do Ato
público no coreto próximo ao Largo Treze, no centro de Santo Amaro às 8:00
Hs da manhã de segunda feira, 1º de Maio para, como definido no primeiro
dia da Jornada, nos reunirmos às 13:00 Hs na Ladeira da Memória - ao lado
do Metrô Anhangabaú. ·        Sobre os cartazes deste primeiro de maio,
definimos que se não tivéssemos tempo de elaborar a arte gráfica para o
cartaz deste ano, faríamos o mesmo cartaz do ano passado alterando dois
detalhes: a data do ano e inserindo o local do evento e horário.  ·       
Ficou estabelecido a base de acordo para aprofundar nosso trabalho
conjunto, na região de Piraporinha/Ângela/Capão-Santo Amaro, com o pessoal
da Associação Cultural e do bairro.

Finalizamos as conversas por volta das 22:30 Hs da noite recolhendo numa
lista telefone, nome e outros contatos de várias pessoas na comunidade que
se dispuseram em ajudar da maneira que puderem. Distribuímos mais
exemplares do “A PLEBE” a todos os presentes. Tivemos no início das
atividades em torno de cinquenta pessoas e no momento da Plenária o número
aumentou bastante, posteriormente no momento da GIG de PROTESTO o público
circulante passou das 500 pessoas presentes e contabilizando os dois dias
este número foi ultrapassado. O que demonstra com toda certeza a grandeza
e vitória de todo o evento, mesmo tendo algumas discussões tenham sido
polemizadas no intuito de se fazer morrer o debate sobre as questões
centrais, que estavam na pauta de discussão, por parte de duas pessoas
presentes. As JLP/SP-06 tiveram boa repercsussão em toda a região,
marcando de forma inexorável os 100 anos da COB. Uma rádio comunitária
local divulgou e passou informes das discussões que seriam travadas.
Estudantes de uma universidade local fizeram a cobertura jornalística do
evento. Mesmo a imprensa burguesa não ficou indiferente, aproveitando a
realização das JLP/SP-06 o Folhateen d FSP da segunda-feira, DIA 24/04,
LANÇA SOB O TÍTULO DE “Nostalgia Anarquista” uma entrevista que fizeram
com alguns grupos libertários – alguns amigos da COB-AIT. Na páguina
central do caderno, numa montagem com zines e cartazes se antevê o cartaz
que convocava as JLP/SP-2006. Claro é que a editoria construiu a notícia
no sentido de caracterizar esse “movimento saudosista” como de estudantes
de classe média e intelectual, sem fazer nenhuma referncia a COB e, antes
reforçando – por seu caráter pequeno-burguês – o papel dos
pseudo-anarquistas. Mas nem por isso conseguiram falar do tema sem se
referir ao anarcosindicalismo, a Revolução Espanhola e a muitos dos temas
que debatemos nas próprias JLP. Mais uma vez a classe trabalhadora de São
Paulo mostra sua força, garra e coragem no intuito de construir o
sindicalismo revolucionário e federalista, para preparar a greve geral
expropriadora que culminará com o processo revolucionário de derrubada do
Estado e do Capital. A luta não para! A MEMÓRIA É REVOLUCIONÁRIA:
73 A.C.-2006 D.C.  @  2079 anos da Revolta de Spartacus!
1676-2006  @  330 anos da Confederação Cariri!
1871-2006        @  135 anos da Comuna de Paris!
1886–2006  @ 120 anos de 1º de Maio de Luta Pela Redução da Jornada de
Trabalho! 1906-2006   @  100 anos da fundação da Confederação Operária
Brasileira (COB)! ANARKIA É LUTA!
ANARKIA É REVOLUÇÃO!
VIVA O MOVIMENTO DE REATIVAÇÃO DA COB/AIT!
VIVA O SINDICALISMO REVOLUCIONÁRIO!
LONGA VIDA À ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DOS TRABALHADORES (AIT-IWA)! LONGA
VIDA AO MOVIMENTO LIBERTÁRIO BRASILEIRO-MLB!
“Bem unidos façamos,
desta luta final,
uma terra sem amos,
a Internacional.”

“A emancipação dos trabalhadores será obra dos próprios trabalhadores.”
Coordenação Estadual da Federação Operária de São Paulo
(FOSP/COB-ACAT/AIT) e-mail: fospcobait  yahoo.co.uk
JORNADA LIBERTÁRIA DE SÃO PAULO (JLP/SP-06) MARCA 100 ANOS DA FUNDAÇÃO DA
CONFEDERAÇÃO OPERÁRIA BRASILEIRA (COB) E CHAMA PARA 1º DE MAIO DE LUTA

Realizaram-se aos 21 e 22 dias do mês de abril de 2006, as terceiras
Jornadas Libertárias do Estado de São Paulo na Casa de Cultura do M´Boi
Mirim, Zona Sul da cidade, convocada e organizada pelo
SINDVÁRIOSFOSP/COB/ACAT/AIT com o apoio da União do Movimento Punk, Comitê
Contra a Carestia e pelo Voto Nulo, Coletivo Carlo Giuliani, Coletivo
Educar para a Paz, Coletivo Libertário, Coletivo Estação Libertária, A
Lanterna, Comitê Nacional de Solidariedade ao MCC/RO, Comitê Pró-Haiti,
Movimento pela Reativação da COB-AIT e o Movimento Libertário Brasileiro
(MLB), com a proposta de culminar sua realização com as manifestações para
um 1º de Maio de Luta. Dentro de uma linha de continuidade com a
JLP/SP-2004, em Presidente Prudente, do ELP/SP-2005, em Santo Amaro/SP e
numa linha de Solidariedade com as JLP/RGS.


O PRIMEIRO DIA DE ATIVIDADES DAS JLP/SP-2006


Chegamos vários companheiros por volta das 10:00 Hs da manhã ao local,
onde iniciamos os preparativos colando e expondo os murais, faixas,
cartazes, folhetos, jornais e outros materiais no local e proximidades.
Aproveitamos para varrer a região novamente com colagens de cartazes e
distribuição de panfletos convocando a população da comunidade ao evento,
além de muita conversa e diálogo com os moradores que apoiaram todas as
atividades nos dois dias da Jornada até aqui. Murais, cartazes, faixas e
folhetos que mostravam a história de muitas das organizações que
construíram o evento, que mostravam as datas e acontecimentos históricos
das greves de 1906, 1907, 1917 e 1919 da FOSP (Federação Operária de São
Paulo) e da COB (Confederação Operária Brasileira).

Um primeiro fator de emoção foi dado com a participação nas JLP/SP-06 de
um parente direto de Edgard Leuenroth, que tendo tomado conhecimento –
como tantos outros – pela ampla propagandização feita que atingiu toda a
grande São Paulo e muitas cidades do interior. Ele muito se emocionou ao
saber que demos o nome de seu avô à Biblioteca e Arquivo Social Edgard
Leuenroth, do SINDIVÁRIOS/FOSP/COB/AIT.

Começamos as 12 Hs com a abertutra das JLP/SP-06 para o público com a
exposição de murais e cartazes históricos do Movimento Libertário
Brasileiro ao som de hinos libertários históricos (como A Internacional, A
Las Barricadas, etc). as 13:20 hs começamos a expor o filme “Os
Libertários”, que conta a história do Movimento Operário no Brasil em fins
do século XIX e começo do século XX, mostrando a trajetória de luta da
COB, da FOSP e dos diversos Sindicatos ligados a mesma. Depois do filme
sobre a COB começamos a passar um outro tratando da questão da
solidariedade ao povo trabalhador haitiano (Dê Uma Chance ao Haiti) e na
seqüência se iniciou uma sessão de slides da Lúcia, membro-fundadora do
Comitê Pró-Haiti, que esteve no Haiti recentemente - durante as recentes
eleições -, ao mesmo tempo em que ela já fazia sua palestra “O
INTERNACIONALISMO PROLETÁRIO E O HAITI”, mostrando a todos os presentes a
lastimável situação de vida do povo daquele país. Em seguida,antes de
prosseguirmos a programação e em função do fato de que a companheira Lucia
se encontrar com a perna quebrada e não poder permanecer por tempo
prolongado no evento, foi aberto um pequeno espaço para discutirmos o
cronograma proposto originalmente, sugerindo alterações – aprovadas por
consenso pelos presentes na Plenária naquele momento (por volta de 14 Hs,
com mais de 60 pessoas): aprovar as contas da JLP/SP, antecipar o debate
sobre a questão haitiana, realizar um intervalo para o lanche, retomar na
seqüência com as outras palestras e depois partir para a Plenária do MLB,
visando fechar as propostas de luta , Campanhas, calendário de ação e
formas de organização.

Assim foram apresentadas as contas para o balanço sumário das JLP/SP, pelo
Coletivo Educar Para a Paz (Coletivo EPP/Seção Santo Amaro do
SINDIVÁRIOS/FOSP/COB/AIT) sendo aprovadas pela plenária. Em seguida
iniciamos o debate sobre a questão haitiana, para aproveitar a presença da
Lucia e os participantes puderam esclarecer várias dúvidas em questão.
Foram então aprovadas algumas decisões, no sentido de aprofundar as
discussões sobre essa questão nas cidades e bairros, buscando difundir o
trabalho de solidariedade pela criação de Comitês locais associados aos
núcleos da FOSP/COB, baseados na dupla reivindicação NÃO À DÍVIDA EXTERNA
E INDENIZAÇÃO, JÁ!, exigimos a imediata retirada de todas as tropas de
ocupação que se encontram nesse país.

Após o intervalo para o lanche retomamos com as outras palestras dos
companheiros Alexandre (Coordenador da FOSP/COB e membro do Comitê de
Solidariedade ao Movimento Camponês Corumbiara-MCC/RO) sobre o tema
“Delegação versus Ação Direta” contra a Farsa Eleitoral, a seguir a
questão da “Mulher na Sociedade Capitalista” com a companheira Cíntia
(ativista do Coletivo Estação Libertária e da UMP), após a palestra  sobre
a “Contracultura e o Fascismo” com o companheiro Fernando (Coordenador do
SINDIVÁRIOS/FOSP/COB) e finalizamos as palestras com o companheiro Renato
(ativista d’O COLETIVO LIBERTÁRIO e Coordenador da FOSP/COB/AIT) falando
sobre a “Atualidade do Sindicalismo Revolucionário” e a urgência da Greve
Geral e do 1º de Maio de Luta. Ao final de sua falação, com um vigoroso
chamamento à auto-organização e a ação direta tanto para o 1º de Maio
quanto para a Campanha Nacional Pelo Voto Nulo toda a audiência aplaude de
forma entusiasmada e prolongada, demonstrando claramente o espírito de
luta consensual que dominava as JLP/SP-2006.

Terminadas as palestras, iniciamos a Plenária do Movimento Libertário
Brasileiro (MLB) de São Paulo, com todos os trabalhadores e moradores
presentes no intuito de deliberarmos vários assuntos em questão tocados
anteriormente nas discussões. Foram aprovadas indicativamente as seguintes
propostas:

* O Sindvários-SP e a FOSP fortalecerão a luta do Comitê Pró-Haiti no
intuito da retirada de todas as tropas estrangeiras do país e do fim do
pagamento da dívida externa deste além de enviar pedido de solidariedade a
todos as organizações membros da ACAT (Associação Continental Americana
dos Trabalhadores) e da AIT (Associação Internacional dos Trabalhadores) e
principalmente criar Comitês de Solidariedade ao Haiti nas cidades,
bairros e regiões que não existam. Será pedida especial atenção aos
companheiros da CNT-França, Seção da AIT naquele país, pois é o Estado
Francês que obriga a sangria do povo Haitiano ao pagamento de sua dívida
externa. Também houve um indicativo de que todos os libertários,
simpatizantes e outros presentes desenvolveriam o assunto em seus Grupos,
Movimentos ou Organizações.

* Formalizou-se a Solidariedade Internacional Proletária com os movimentos
grevistas na França, contra a lei do  primeiro emprego e em apoio à
juventude imigrada e sua decendência, bem como a Solidariedade à greve de
Mercadona, que está sendo encaminhada pela CNT-AIT de Espanha.

* Também ficou decidido, de forma consensual, a realização de
manifestações no dia 1º de Maio em 2006 em todos os núcleos da FOSP no
interior, na baixada e nos bairros e regiões da cidade de São Paulo,
dentro de suas autonomia e em cada situação específica, da mesma forma
como ocorreu no ano passado.

*  Não se estabelecendo um consenso o SINDIVÁRIOS/FOSP/COB assume a
responsabilidade de convocar, com o apoio de diversos coletivos, uma
manifestação na região do Centro expandido de São Paulo: A partir das
13:00 Hs, se faz um chamado para que todos os companheiros se aglutinem na
Ladeira da Memória/Antigo Mercado de Escravos (mesmo local do ano
passado), próximo ao Vale do Anhangabaú, ao lado do Metrô. Neste local
realizaremos a concentração e uma Assembléia parq deliberar o que fazer na
seqüência. Existem 3 propostas: realizar na Praça da Sé uma
Assembléia-Comício, chamando a população a discutir, em que defenderíamos
nossas propostas de luta e lançaríamos a proposta de Greve Geral
Revolucionária; realizar uma passeata e mini-comícios (como no ano
passado); realizar uma grnde concentração lançando a Campanha Nacional
Pelo Voto Nulo – todas as propostas centradas nos 100 anos da COB. Apesar
da discordância de alguns companheiros sobre a realização do evento no
Centro da cidade, respeitamos a posição dos mesmos, pois estes se
inclinaram na continuação das atividades em seus núcleos durante todo o
dia. Também fica definido que o horário interessante para início das
manifestações dos núcleos (nos locais de moradia, estudo, trabalho, etc)
se inicie por volta das 08:00H da manhã do dia primeiro, porém apenas como
sugestão.

* Foram reafirmadas as campanhas desenvolvidas pelo Movimento Pela
Reativação da COB que se mostraram as únicas propostas de lutas e campanha
apresentadas: PELA REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO PARA 30 HS SEMANAIS, SEM
REDUÇÃO DE SALÁRIO! REFORMA AGRÁRIA RADICAL E IMEDIATA! CONTRA A
CRIMINALIZAÇÃO DA QUESTÃO SOCIAL: PELA IMEDIATA LIBERTAÇÃO DE CLAUDEMIR E
CÍCERO DO MCC/RO! CONTRA O FASCISMO! CONTRA A FARSA ELEITORAL: CAMPANHA
NACIONAL UNIFICADA PEL9O VOTO NULO, NÃO SUSTENTE PARASITAS! PELA AUTONOMIA
E LIBERDADE DE ORGANIZAÇÃO SINDICAL: PELA REATIVAÇÃO DA COB-AIT!

É importantíssimo destacar que a Edição nº 45 do Jornal “A PLEBE”, ficou
pronta como MANIFESTO PROLETÁRIO E LIBERTÁRIO para o 1º de Maio dentro do
prazo como inicialmente havíamos previsto, onde pudemos também encaminhar
vários exemplares dos jornais aos núcleos no interior do Estado e em
outros locais do país. Também foram distribuídos vários exemplares aos
núcleos para que estes pudessem dentro de suas possibilidades reproduzir e
distribuir adiante. Da mesma forma foram distribuídos aos interessados
presentes nas JLP/SP-06. Faz-se necessário destacar a grande importância
deste exemplar como comemoração dos 100 anos do primeiro Congresso
Operário Brasileiro de 1906, realizado também nos dias 15 a 20 do mês de
abril daquele ano, assim como a III Jornada, que hoje promovemos.

Outro fator importante a ser destacado é o material que já conseguimos
preparar para a Campanha “VOTE NULO NÃO SUSTENTE PARASITAS!” que também
foi amplamente distribuído a todos os presentes e a moradores da
comunidade que se interessaram muito pelo mesmo. Lançando oficialmente a
campanha VOTE NULO, NÃO SUSTENTE PARASITAS! Provocando calorosas
discussões também nos debates que haviam ocorrido. Dessa forma saímos das
JLP/SP-06 já com a Campanha pelo VOTO NULO, NÃO SUSTENTE PARASITAS! Já nas
ruas. Por volta das 19:00H iniciamos a GIG DE PROTESTO que também se
mostrou muito receptiva pelos presentes e pela comunidade que tiveram a
oportunidade de se expressar pelo microfone aberto a todos para deixar seu
protesto e sua revolta. Também as pessoas que subiram ao palco para suas
apresentações musicais o fizeram, denunciando o Estado, o Capital e as
Instituições podres de nossa sociedade. Combatendo o Imposto Sindical, o
atrelamento do sindicalismo ao Estado e aos partidos e pedindo a retomada
do Sindicalismo Livre. A GIG se encerrou perto das 23 HS.

O SEGUNDO DIA DAS JLP/SP-2006

Iniciamos o segundo dia da Jornada por volta das 16:30H da tarde (o
horário inicial estava marcado por volta das 18:00H), onde alguns
companheiros saíram pelo bairro novamente reforçando o caráter do evento,
convidando a população ao mesmo, conversando com as pessoas que por ali
trafegavam e distribuindo exemplares da última edição do “A PLEBE”. Por
volta das 18:30H começamos a exibição do filme “A Batalha de Argel”, que
narra vários exemplos da covardia e autoritarismo do Imperialismo Francês,
remetendo a todos os presentes a mesma tragédia social do povo no Haiti.
Também foi levado em questão o uso da Greve Geral como instrumento
legítimo da Classe Trabalhadora no uso de sua libertação assim como o
Movimento espontâneo que toma conta de toda a população do país a lutar
por sua emancipação após a dissolução da FLN. Tais ocorrências dentro do
filme foram muito válidas para nos exemplificar como construirmos nossa
libertação aos moldes do sindicalismo revolucionário, na estratégia do
anarcosindicalismo.

Após o filme e as discussões que em torno do mesmo se deram, iniciamos
novamente um diálogo com a presença de muitos moradores que acompanhavam
atentos o filme, as discussões, os exemplos no intuito de demonstrar como
o 1º de Maio é um dos momentos fundamentais para construirmos a Greve
Geral que será o prelúdio da Revolução Social. Sendo assim, iniciamos a
discussão em torno do Ato Público que se dará. Trocamos nestes diálogos
muitas experiências de vida, de luta, de solidariedade e em conjunto do
Núcleo da FOSP/COB local, decidimos efetuar uma atividade sobre o 1º de
Maio durante todo o dia 30/04/2006, que cairá num domingo, véspera do dia
01/05/2006. Definimos em conjunto que:

* todos chegariam a Casa de Cultura por volta das 11:30H da manhã do dia
30/04, trabalharíamos com a população na feira até por volta das 15:00h e
em seguida nos dividiríamos em alguns grupos que sairiam a pé por todo o
bairro e adjacências para explicar à população a importância do 1º de Maio
entre outros. Por volta das 18:30H, se iniciariam as atividades culturais
da Casa de Cultura, onde todos nós nos reagruparíamos numa manifestação de
desagravo à prefeitura, pedindo verbas e autonomia para a Casa de Cultura,
em conjunto com a comunidade local.

*  Ficou decidido também que toda a comunidade já estava de ante-mão
convidada a participar do Ato público no coreto próximo ao Largo Treze, no
centro de Santo Amaro às 8:00 Hs da manhã de segunda feira, 1º de Maio
para, como definido no primeiro dia da Jornada, nos reunirmos às 13:00 Hs
na Ladeira da Memória - ao lado do Metrô Anhangabaú.

* Sobre os cartazes deste primeiro de maio, definimos que se não
tivéssemos tempo de elaborar a arte gráfica para o cartaz deste ano,
faríamos o mesmo cartaz do ano passado alterando dois detalhes: a data do
ano e inserindo o local do evento e horário.

* Ficou estabelecido a base de acordo para aprofundar nosso trabalho
conjunto, na região de Piraporinha/Ângela/Capão-Santo Amaro, com o pessoal
da Associação Cultural e do bairro.

Finalizamos as conversas por volta das 22:30 Hs da noite recolhendo numa
lista telefone, nome e outros contatos de várias pessoas na comunidade que
se dispuseram em ajudar da maneira que puderem. Distribuímos mais
exemplares do “A PLEBE” a todos os presentes.

Tivemos no início das atividades em torno de cinquenta pessoas e no
momento da Plenária o número aumentou bastante, posteriormente no momento
da GIG de PROTESTO o público circulante passou das 500 pessoas presentes e
contabilizando os dois dias este número foi ultrapassado. O que demonstra
com toda certeza a grandeza e vitória de todo o evento, mesmo tendo
algumas discussões tenham sido polemizadas no intuito de se fazer morrer o
debate sobre as questões centrais, que estavam na pauta de discussão, por
parte de duas pessoas presentes.

As JLP/SP-06 tiveram boa repercsussão em toda a região, marcando de forma
inexorável os 100 anos da COB. Uma rádio comunitária local divulgou e
passou informes das discussões que seriam travadas. Estudantes de uma
universidade local fizeram a cobertura jornalística do evento. Mesmo a
imprensa burguesa não ficou indiferente, aproveitando a realização das
JLP/SP-06 o Folhateen d FSP da segunda-feira, DIA 24/04, LANÇA SOB O
TÍTULO DE “Nostalgia Anarquista” uma entrevista que fizeram com alguns
grupos libertários – alguns amigos da COB-AIT. Na páguina central do
caderno, numa montagem com zines e cartazes se antevê o cartaz que
convocava as JLP/SP-2006. Claro é que a editoria construiu a notícia no
sentido de caracterizar esse “movimento saudosista” como de estudantes de
classe média e intelectual, sem fazer nenhuma referncia a COB e, antes
reforçando – por seu caráter pequeno-burguês – o papel dos
pseudo-anarquistas. Mas nem por isso conseguiram falar do tema sem se
referir ao anarcosindicalismo, a Revolução Espanhola e a muitos dos temas
que debatemos nas próprias JLP.

Mais uma vez a classe trabalhadora de São Paulo mostra sua força, garra e
coragem no intuito de construir o sindicalismo revolucionário e
federalista, para preparar a greve geral expropriadora que culminará com o
processo revolucionário de derrubada do Estado e do Capital. A luta não
para!

A MEMÓRIA É REVOLUCIONÁRIA:

73 A.C.-2006 D.C.  @  2079 anos da Revolta de Spartacus!

1676-2006  @  330 anos da Confederação dos Tamoios!

1871-2006        @  135 anos da Comuna de Paris!

1886–2006  @ 120 anos de 1º de Maio de Luta Pela Redução da Jornada de
Trabalho!

1906-2006                @  100 anos da fundação da Confederação Operária
Brasileira!

ANARKIA É LUTA!
ANARKIA É REVOLUÇÃO!
VIVA O MOVIMENTO DE REATIVAÇÃO DA COB/AIT!
VIVA O SINDICALISMO REVOLUCIONÁRIO!
LONGA VIDA À ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DOS TRABALHADORES (AIT-IWA)! LONGA
VIDA AO MOVIMENTO LIBERTÁRIO BRASILEIRO-MLB!

“Bem unidos façamos,
desta luta final,
uma terra sem amos,
 a Internacional.”

“A emancipação dos trabalhadores será obra dos próprios trabalhadores.”

Coordenação Estadual da Federação Operária de São Paulo
(FOSP/COB-ACAT/AIT) e-mail: fospcobait  yahoo.co.uk




More information about the A-infos-pt mailing list