(pt) [Brasil Goiânia ] Movimento Passe Livre : 1,80 É UM ROUBO!

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 7 de Janeiro de 2006 - 12:02:03 CET


No dia 11 de Outubro de 2005 foi aprovado pelo Conselho deliberativo de
transportes coletivos (CDTC) o aumento da passagem dos ônibus de Goiânia
de 1,50 para 1,80. O Sindicato das empresas (SETRANSP) pressionava o poder
público para aumentar a passagem para 2,14, o aumento vai ser feito de
forma gradativa e em breve a passagem deve chegar a 2,00. O CDTC é formado
por representantes do governo do estado, prefeitura de Goiânia,
empresários e algumas outras figuras que NÃO ANDAM de ônibus. A reunião
que decidiu o aumento foi feita às pressas e praticamente sem aviso aos
usuários/as do transporte público de Goiânia e mais, foi feita um dias
antes de um feriado e o aumento foi efetivado de forma autoritária no dia
13 de Outubro pegando a população de surpresa. No dia 26 de Setembro o
Movimento Passe Livre Goiânia (MPL) realizou seu primeiro ato que seguiu
da praça dos bandeirantes até a sede da companhia metropolitana de
transportes coletivos (CMTC). No ato o Movimento cobrava melhorias, o
passe livre e também denunciava sobre o aumento que estava sendo
arquitetado entre as empresas e os membros do CDTC.

O aumento foi posto em prática, mas não passou batido. No dia 20 de
Outubro vários movimentos sociais de Goiânia realizaram mais uma
manifestação que seguiu da Catedral na rua 10 até a sede do SETRANSP na
rua 04. O ato acabou com um pulão simbólico no eixo Anhanguera que foi
reprimido pela polícia militar que além de prender um manifestante,
agrediu e perseguiu vários outros pelo centro da cidade. No dia 26 de
Outubro o MPL volta às ruas e realiza um ato que começou em frente ao
SETRANSP e depois partiu em marcha pela Goiás até a Avenida Paranaíba.
Este aconteceu simultaneamente em várias partes do Brasil, o dia de 26 de
Outubro é o dia nacional de luta pelo passe livre.

O MPL Goiânia acredita que a população não deve aceitar de braços cruzados
os aumentos abusivos da tarifa dos ônibus. Todos nós que usamos e
dependemos do transporte coletivo em Goiânia sabemos que a qualidade é
horrível, os ônibus andam cheios, são velhos e demoram a passar, os
terminais vivem lotados, os pontos de ônibus não abrigam as pessoas de
forma adequada. O MPL se organiza de forma horizontal, ou seja, todos os
integrantes do movimento participam das decisões de forma igualitária, no
MPL não existe dirigentes nem dirigidos. O movimento é autônomo e
apartidário, não tendo nenhum vinculo com político ou partidos
eleitoreiros. O nosso método de luta é a ação direta feita pelo povo nas
ruas.

MPL - Goiânia



More information about the A-infos-pt mailing list