(pt) Plenária Popular Contra o Aumento da Tarifa by Coletivo Quebrando Muros, Coletivo Outros Outubros Virão, A Outra Campanha - PR

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 8 de Março de 2019 - 08:25:24 CET


MAIS UM AUMENTO? EU NÃO AGUENTO! ---- Convidamos a todes, após o primeiro ato de 
mobilização contra o aumento da tarifa em Curitiba, para a plenária popular de luta pelo 
transporte, em que juntes discutiremos o próximo ato, entre outros próximos passos e 
ações, para impedir o retrocesso do aumento da tarifa! ---- Apesar do aumento desta em 
Curitiba ter sido adiado para dia 25 de Março, ainda não conquistamos seu cancelamento, e, 
por isso, prosseguiremos na nossa luta e não recuaremos! ---- A Prefeitura de Curitiba, 
juntamente da URBS e do empresariado curitibano, anuncia para o início de 2019, ainda em 
fevereiro, mais um aumento no valor da tarifa do transporte público. ---- Atualmente o 
valor pago é de R$4,79, sendo parte subsidiada pelo governo estadual - resultando nos 
R$4,25 pagos na catraca. No entanto, os atuais representantes políticos, o prefeito da 
cidade Rafael Greca (PMN) e o governador do estado Ratinho Jr. (PSD), ainda negociam pela 
renovação de tal acordo - o que pode obrigar o usuário do transporte a cobrir a diferença, 
sem jamais interferir no lucro obtido pelos empresários. Nesse cenário, o valor mínimo 
estimado para a nova tarifa de Curitiba seria R$4,80, podendo ir até absurdos R$5,00 ou 
até R$5,20. Embora a Prefeitura ainda não tenha divulgado nenhum valor oficial, o limite 
para seu estabelecimento é 28 de fevereiro, após a data-base dos cobradores e motoristas 
que deve ocorrer no dia 26 desse mesmo mês.

Depois desse aumento, a tarifa de Curitiba passará a ser a mais cara de todo o Brasil, sem 
que tenha havido qualquer reajuste no salário-mínimo ou no piso salarial da maioria das 
carreiras do mercado.

Além disso, a prefeitura também anunciou a expansão do sistema de bilhetagem eletrônica, 
ocasionando a demissão de 6.000 cobradoras e cobradores de ônibus por toda Curitiba. Tal 
medida será adotada sem o investimento em nenhum outro mercado de trabalho que possa 
reempregar os trabalhadores e trabalhadoras demitidos/as, num cenário já intenso e 
agravado de desemprego. A demissão destes trabalhadores representa um corte de 20% dos 
custos dos empresários e não há previsão alguma que a tarifa diminuirá proporcionalmente.

É evidente o uso do transporte público como uma grande fonte de lucro para o empresariado 
e elite política de Curitiba, colocando no bolso do trabalhador e da trabalhadora o preço 
por tudo isso. São muitas as irregularidades apontadas em toda o sistema, e mesmo assim as 
mudanças tardam a acontecer. Por exemplo, a auditoria realizada pelo Tribunal de Contas do 
estado do Paraná após as grandes manifestações de 2013 afirmam que a passagem na capital 
poderia custar até R$2,25 naquela época, não fosse o evidente superfaturamento. 
(http://www1.tce.pr.gov.br/noticias/tce-recomenda-em-relatorio-queda-de-167-na-tarifa-do-onibus-em-curitiba/2104/N). 

Na mesma linha, investigação do Ministério Público do Estado do Paraná denuncia o 
favorecimento da família Gulin nas licitações para prestação do serviço na cidade; família 
essa que há muito monopoliza o transporte coletivo curitibano 
(http://www.mppr.mp.br/2018/08/20765,10/MPPR-requer-nulidade-de-contratos-e-nova-licitacao-de-onibus-para-Curitiba.html).

Considerando esse contexto, não é exagero dizer que o transporte público em Curitiba é 
controlado por uma verdadeira máfia que lucra com a exploração dos direitos de ir e vir, 
de acesso à cidade e de mobilidade urbana. A Tarifa técnica, aquela que é paga aos 
empresários, passou de 3,78 para R$4,78 em 2 anos de governo Greca, sendo que de fevereiro 
à maio de 2018 chegou a subir para R$4,97! Um aumento de 26,5%! Enquanto a inflação 
acumulada do período é de 7,11%! Quantos ombros vamos quebrar sustentando uma tarifa que 
paga mais pros empresários do que entrega pra população?! É tempo de nos organizarmos 
enquanto população e marcar a posição contrária ao novo aumento da tarifa! Temos que lutar 
para que nossa voz seja sempre ouvida!

Diante de tudo isso, convidamos a todas e todos para juntos construirmos uma PLENÁRIA 
PÚBLICA CONTRA O AUMENTO DA TARIFA EM CURITIBA!

Onde - Saguão do Primeiro andar do Prédio Histórido da UFPR, localizado na Praça Santos 
Andrade

Quando - 28/02, quinta-feira

Que horas - 18h00

SE A TARIFA AUMENTAR, CURITIBA VAI PARAR!

https://www.facebook.com/events/778763139167385/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt