(pt) [Itália] Relato sobre a "8ª Vitrine editorial e cultural anarquista e libertária" realizada em Florença Por Massimo Serini By A.N.A. (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 8 de Outubro de 2017 - 11:02:58 CEST


Esta manifestação ácrata, organizada pelo Ateneu Libertário de Florença, ocorre 
bienalmente e constitui a mais estruturada entre as atividades que, na Itália, se propõem 
a oferecer um olhar para o panorama atual das publicações, dos projetos, das autoproduções 
e das mais variadas atividades culturais expressas pelo movimento. ---- Na edição deste 
ano, como sempre, além de muitas realidades libertárias da península italiana estiveram 
presentes também algumas expressões do exterior (vi mesas e "distris" de livros, entre 
outros, de compas franceses, e da editora "La Baronata", de Lugano (Suíça), que também 
haviam participado nas passadas edições da Vitrine, e dos compas da Black Rose.) ---- 
Durante os três dias da atividade (22, 23 e 24 de setembro de 2017), se conseguiu 
desenvolver um sem número de apresentações, debates, mostras, iniciativas, concertos, 
nesse lugar que se tornou, apesar talvez de umas contradições inerentes, já tradicional 
para esta manifestação: o Teatro Obihall, próximo do rio Arno, no sul de Florença, que se 
encontra localizado também em um endereço peculiar por causa de uma grata e rara 
coincidência: a rua se chama Fabrizio de Andre, que foi (e ainda é, depois de 18 anos de 
falecido) o mais renomado cantautor italiano de inspiração e simpatias ácratas.

Na grande sala do teatro estavam postas as mesas das realidades presentes (que expunham 
seus "produtos": livros, quadros, artesanatos, alimentos, autoproduções, etc.). No 
cenário, separado do resto da sala por um painel móvel, e próximo do mesmo cenário, 
aconteciam os concertos, e muitas das apresentações e debates programados. Ademais, no 
primeiro nível do teatro havia outra sala onde tinham mais debates e apresentações.

O programa se apresentava complexo e rico e, como não somos onipresentes, havia que 
escolher às vezes entre propostas, igualmente interessantes, que iriam se desenvolver ao 
mesmo tempo e todas, com surpreendente pontualidade.

Havia também mostras permanentes:

- A cargo do mesmo Ateneu Libertário de Florença: A) "Periódicos anarquistas no mundo"; B) 
"Propostas dos cartazes para a promoção da Vitrine"; C) "Cem anos de antimilitarismo 
anarquista";

- A cargo da Biblioteca Franco Serantini: "Colônia Cecília e Utopias libertárias";

- A cargo do Coletivo Emile Henry: "Cinema e Anarquia";

- A cargo de Lavinia Raccanello: "Retrato anarquista da Itália - Cartografia das ruas 
dedicadas na Itália a anarquistas".

Funcionavam oficinas de restauração de livros e espaços artesanais e artísticos para 
crianças e adultos.

Nas paredes: os murais de Francesco do Casino. Muito apreciada e variada, a comida 
preparada pelos e pelas compas anfitriãs, com muitas especialidades e receitas da região 
Toscana.

Em seguida vai o programa das apresentações e eventos. Agrego também algumas poucas notas 
acerca de umas das atividades às quais assisti pessoalmente.

No primeiro dia (sexta-feira, 22), houve:

1. A cargo da revista "Cenerentola" uma conferência de Luciano Nicolini sobre "Demografia 
e Política".

2. Um espetáculo teatral: "Co.R.P.I." da Companhia Resistente Popular Internacional.

3. Um concerto em memória de Caterina Bueno (cantora e pesquisadora toscana do gênero etno 
folk, falecida no ano de 2007).

4. A apresentação do "Coro 16 de agosto com Bube e i Mazzacanidellasoffitta", um projeto 
musical onde se mescla o "canzoniere" anarquista coral e tradicional com propostas de 
arranjo em rock.

5. Um concerto de rock acústico dos "Deja Vu" (que tocam um Rock and Roll "clássico" muito 
agradável).

6. Apresentação de "Chidduchisentu-Quello che sento", livro de Giuseppe Canzoneri, 
apresentado pelo autor e por Pippo Gurrieri da Editora Sicilia Punto L.

7. Apresentação do livro: "Eretiche-il ‘900 di Maria Luisa Berneri e Giovanna Caleffi", 
por seu autor, o historiador do movimento, Giorgio Sacchetti.

8. Apresentação do livro "Storie di vita e di anarchia. Guelfo Guelfi e Erminia do Colombo 
tra Volterra e Bruxelles", editora "Collettivo le distillerie!", pelo mesmo autor Duccio 
Benvenuti.

9. Apresentação do livro "La banda dello zoppo", histórias de resistência armada contra o 
fascismo, ed. Coessenza, feita pelos autores e a cargo de Maurizio Rafanelli.

No segundo dia (sábado, 23):

1. Conferência e projeção do documentário "La Lotta delle ZAD -Zone a defendre", de 
Sebastien Bonetti, contra a descarga de resíduos nucleares enterrados em Bure, um pequeno 
município do noroeste da França.

2. CSSVP: Projeto e preparação de um painel artístico apresentado e promovido por Stefania 
Mori.

3. Apresentação do Nº 3 do livro ilustrado "La Rivoluzione Russa in Ucraina" a cargo da 
"Associação Arquivo Germinal", feita pelo autor Jeanne Pierre Ducret e seus editores.

4. Palestra sobre o livro "Brassens et autres enfants d'Italiens", acerca da origem 
italiana do grande cantautor francês e de muitos imigrados de sua época, com Isabelle 
Felici e Pippo Gurrieri; intervenções musicais de Alessio Lega.

5. Performance teatral "L'estasi della neve", de Duccio Scheggi, por Edizioni Collage de 
Pataphysique.

6. Conferência de Dimitrios Roussopoulos, pela Black Rose Books, "A crise climática, 
ecologia política e a nova agenda social".

7. Apresentação de "Il fondo Piazza Fontana", pelo Centro de Estudo Libertário/Arcquivo 
Pinelli, com a participação de Silvia Pinelli, Claudia Pinelli e Lorenzo Pizzica.

8. Debate organizado pelo Ateneu Libertário de Florença sobre: "Spagna '36-Rojava 2017: le 
donne protagoniste do cambiamento sociale".

9. Simpósio organizado pelo Instituto De Martino (importante centro de pesquisa cultural e 
musical, da área esquerdista, fundado por Gianni Bosio em 1966 "per la conoscenza critica 
e la presenza alternativa do mondo popolare e proletario", ou seja para "o estudo crítico 
e a presença alternativa do mundo popular e proletário". O tema do Simpósio foi "O Canto 
Anarquista como ferramenta de narração e propaganda", com a participação de muitos 
interventores, coordenados por Stefano Arrighetti, e com as "incursões musicais" de 
Alessio Lega.

10. Apresentação do último número da bonita Revista ApARTe dedicado a Woody Guthrie: "With 
Woody on our side: Veniamo com la polvere e andiamo com il vento".

11. Concerto de Tiziano Mazzocchi: "Ferro e Carbone".

12. Concerto, espetáculo musical, com Alessio Lega: "Fedeli a Pietro Gori: Storie cantate 
degli anarchici".

13. Apresentação do livro"Anarchici a Milano 1870-1926" de Fausto Buffá, a cargo de Franco 
Schirone, ed. Zero in Condotta.

14. Palestra sobre o livro de Francesco Codello (estudioso da pedagogia libertária) "Dalla 
natura umana alla condizione umana", entre o autor e Stefano Boni.

15. Apresentação do livro "Pioniere e rivoluzionarie: Donne anarchiche in Spagna", pela 
autora Eulalia Vega, ed. Zero in Condotta.

16. Apresentação de "Taoismo e Anarquia" feita pelo mesmo autor, Giuseppe (Peppe) Aiello, 
que desenvolve a interessante tese que nas obras atribuídas a Laotzi e Zhuangzi (IV e III 
século da era antiga) se podem encontrar ideias e conceitos afins à ideologia anarquista, 
e que não seria atrevido colocá-los entre um imaginário elenco de "precursores".

17. Apresentação, a cargo de Claudio Venza, do livro de Octavio Alberola, traduzido em 
italiano com o título de "Rivoluzione, Tra Caso e Necessitá". Claudio Venza, apesar de seu 
atual estado de saúde, quis dar sua colaboração extremamente nítida e cativante, começando 
a falar do pai de Octavio - professor racionalista das escolas da CNT - e logo elucidando 
a trajetória existencial e política, e as reflexões "heterodoxas" sobre "a revolução" do 
autor. Ed. La Fiaccola.

18. Apresentação da mesma autora do livro "É che ilPotere é maledetto e per questo io sono 
anarchica", de Anna Maria Falabbi. Ed. Il Ponte.

19. Apresentação feita pelo mesmo autor e editor do livro "Una vita proletaria", de 
Giuseppe Galzerano.

20. Apresentação do livro "Rivoluzionarie russe di Fine Ottocento: Lettere e memorie di 
Olimpia Kutuzova Cafiero", de Martina Guerrini, ed. BFS-Biblioteca Franco Serantini, por 
parte da autora e de Stefania Gennai.

21. Apresentação do livro "Livorno clandestina", Ed.BFS, de Marco Rossi, apresentado por 
Giorgio Sacchetti.

22. Apresentação do texto "L'irresistibile esercito di Barlandia, piccole storie 
antiautoritarie, Perche' gli anarchici non editano libri per l'infanzia?", ilustrado por 
Federico Zenoni, ed. Libera e Senza Impegni.

23. Apresentação do livro "L'Oasi, romanzo arabo", de Leda Rafanelli, Ed. Archivio 
Famiglia Berneri, pelos editores.

24. Apresentação do livro de Raul Vaneigem "Disumanitá della Religione", a cargo do 
tradutor Andrea Babini e do editor Massari.

25. Apresentação do livro "L'affare Camenish - un caso internazionale", a cargo do Norman 
Lipari; ed. La Baronata.

26. Apresentação a cargo do e editor Giuseppe Galzerano do livro: "Il tribunale speciale 
fascista".

No último dia (domingo, 24 de setembro):

1. Debate: "Autogestione per una economía alternativa al capitalismo", cargo do Ateneu 
Libertário de Florência, entre vários autoprodutores presentes. Coordenador: Vincenzo Mordini.

2. Reunião pública da REBAL, Rede de Bibliotecas e Arquivos Libertários.

3. Apresentação da Biblioteca L'Idea de Roma, presente na Vitrine desde a primeira edição, 
que está festejando os "20 Anos Viajantes" (uma série de festas e encontros na Europa), 
seus 20 anos (já mais 1) de vida. Esta biblioteca, autogestionada e autofinanciada, mantém 
um notável arquivo de documentos e textos dos movimentos (não somente ácratas) de luta e 
revolucionários desde os anos 80 até hoje. No projeto estão incluídos a "distro" de 
edições anarquistas e a publicação de textos.

4. "Carta desde el futuro", entrevista, música e leituras com Paolo Pasi, a cargo da "A 
Rivista".

5. Leitura cênica sobre Aldo Braibanti: "Ad esser Franca", com Kiki Franceschi, Massimo 
Tarducci, Sandra Garugheri.

6. Apresentação de "Costruire evasioni", do Coletivo Prison Break Project de Trento, e do 
"Manuale di difesa legale", da "Ascociacion Mutuo Soccorso per la Libertá di Espressione" 
de Bolonha, a cargo do Círculo Anarquista Camilo Berneri de Bolonha.

7. Conferência e debate sobre "El Poder Popular nel Venezuela del séc. XXI: Politici, 
Mediatori, Assemblee, Cittadini", com o autor Stefano Boni e Vincenzo Mordini

8. Espetáculo-Concerto "Spagna 36 de I Disertori".

9. Concerto de Francesco Gabrielli e do Quartet Jazz.

10. Concerto de Massimo Liberatori e La Societá dei Musici.

Tradução > Sol de abril

Conteúdo relacionado:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2017/09/22/italia-8a-vitrine-editorial-e-cultural-anarquista-e-libertaria-em-florenca/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt