(pt) [México] Ante a rapina e a especulação estatista e capitalista, a autogestão e a raiva By A.N.A. (ca, en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 4 de Outubro de 2017 - 08:30:31 CEST


Em uma data onde se comemorava o 32º aniversário do terremoto de 1985, novamente se 
mostrou a incapacidade e o lucro político da tragédia por parte do governo e também de 
toda classe política, onde o alarme não soou porque não se pode controlar a força da 
natureza e não se pode assegurar que a cidade está segura, onde a negligência dos governos 
e seus pronunciamentos como conhecedores absolutos da verdade faz com que se concedam 
centenas de contratos imobiliários na cidade do México, com a única finalidade do lucro 
privado e com o objetivo de que a cidade siga crescendo, ainda quando não tenha água, o 
transporte é insuficiente, as estradas estão colapsadas e a contaminação também nos coloca 
em risco faz alguns meses, como nos recorda Miguel Ángel Mancera ao declarar que "(...) 
incentivar o investimento que gera fontes de trabalho e entradas para uma melhor qualidade 
de vida... Crescer de maneira planificada e ordenada para que a sustentabilidade seja um 
eixo universal... O desenvolvimento da vida deve ir de encontro com as residências 
verticais, com o uso múltiplo ou misto do solo. Seguem construindo casas e edifícios com 
usos restringidos onde não existe a possibilidade de que as pessoas recebam serviços que 
são necessários, por exemplo, lojas, tinturarias, etc. Não se pode ilhar as pessoas em 
desenvolvimentos e cidades-dormitórios, onde não tem nada, como as colônias que está 
fazendo o Estado do México, que não tem nenhum serviço". Entrevista dada à revista Real 
Estate, n. 82, 2012.

O terremoto de 19 de setembro, mostra novamente como o governo não tem capacidade de 
governar nem de salvar, sendo a sociedade autônoma e solidária que ao se compadecer 
(padecer com o outro, sentir a dor do outro) se organiza. Milhares de pessoas puderam se 
ajudar entre iguais, levando a horizontalidade ao nível prático, deixando de lado o 
governo que só assassina, enquanto milhares de autônomos se entre-ajudam, dando o que tem: 
víveres, medicamentos postos em todos os lugares, pessoas esperando para serem chamadas 
nos pontos onde se retiram os escombros, centenas de arquitetos, engenheiros, colocando-se 
à disposição para avaliar como tirar os escombros, milhares de famílias, mulheres e 
crianças entregando alimentos para toda comunidade nas áreas de desastre; pedreiros, 
estudantes, carpinteiros, serralheiros, eletricistas, enfim, pessoas sem qualquer fim de 
lucro, sem pagamento algum, todo o dia e noite trabalhando em comum. Não existe caos, 
existem discussões, mas a autogestão de todos organizados em solidariedade é a mais alta 
expressão da anarquia do povo, com o punho erguido e em silêncio trabalhando, sem governo 
e sem mando, sem polícia e sem exército.

A autoridade diz "que se vão para suas casas!" e os anônimos seguem trabalhando, o que 
gera desconfiança e incapacidade, porque milhares de olhos observam tudo e o governo quer 
administrar e capitalizar a tragédia para fins políticos de campanha, e por isso nos pede 
que saiamos, para inventar histórias da maneira que querem e gerar telenovelas com a 
tragédia, para darem medalhas entre eles que mudam o rosto do governo assassino, manchados 
de milhares de desaparições e execuções, e como sabemos de suas provocações, anônimos 
estamos com os olhos bem abertos pois o tremor também sacudiu nossa consciência.

Não deixaremos de apoiar ou assistir as zonas, não deixaremos de ajudar os albergues; 
serão semanas e meses difíceis, e nos incorporaremos aos nossos centros de trabalho e 
escolas, mas não podemos deixar que o exército destrua os edifícios com pessoas dentro, 
vivas ou não, pois os corpos também são nossos, são de nossos familiares e não deixaremos 
que formem parte de uma lista de desaparecidos sabendo que podemos tirá-los; não 
deixaremos que administrem e controlem a nossa dor, retiremo-nos, pois, do poder.

Federação Anarquista do México

21 de setembro de 2017

Fonte: 
http://federacionanarquistademexico.org/index.php?option=com_content&view=article&id=93:ante-la-rapina-y-la-especulacion-estatista-y-capitalista-la-autogestion-y-la-rabia&catid=35&Itemid=160

Tradução > Liberto


Mais informações acerca da lista A-infos-pt