(pt) France, Alternative Libertaire AL September 2017 - Filme: 120 batimentos por minuto (en, it, fr) [traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 1 de Outubro de 2017 - 09:55:17 CEST


Lançado nos cinemas na quarta-feira, 23 de agosto, o filme de Robin Campillo, 120 
batimentos por minuto, conta os primeiros anos de luta da associação de luta contra a 
AIDS, Act Up-Paris. Um filme intenso e mainstream, sobre uma história pouco conhecida. 
---- Aparecendo no final da década de 1970, o AIDS permaneceu até o final de 1980, 
considerado como "  câncer gay  ", doença trans, mulheres migrantes, prostitutas, 
prisioneiros e toxicodependentes. Act Up-Paris é criado em 1989, é desde seus inícios que 
trata do filme de Campillo. O fim dos anos Mitterrand, os assuntos do sangue contaminado, 
as autoridades públicas que não reagem apesar da hecatombia e dos laboratórios 
farmacêuticos que mantêm seus objetivos comerciais. O próprio diretor se juntou ao Act-up 
em 1992.

O filme ocorre em espaços e tempos restritos. As reuniões semanais em um pequeno amphi 
retratam bem uma atmosfera que todo militante e ativista reconhecerá com prazer. Ele 
também possui ação de soco que fez o Act Up forte e inspirou outras organizações na década 
de 1990: morrer, o laboratório farmacêutico invadindo ... sempre com a busca da cobertura 
de mídia mais importante possível.

trailer do filme

Após cada ação, o filme mostra uma passagem em uma caixa onde a dança aparece como a 
verdadeira saída. Campillo também filma cenas de amor e sexo particularmente bem tratadas, 
mas também a doença e seus danos, sem nunca cair em miserabilismo e pathos.

A mistura regular no filme dessas diferentes cenas mostra como a vida é então inseparável 
da luta por este pequeno grupo militante. A constante ameaça de ver seus camaradas, ou a 
si mesmo, morrer da doença cria uma atmosfera terrível de julgamento. Também existe uma 
incrível energia humana e militância.

Se a situação não for mais comparável com o início da década de 1990, quando a doença 
morreu por milhares, está longe de ser erradicada globalmente: 36,7 milhões de pessoas 
foram infectadas em 2016, de acordo com a E 1 milhão de pessoas morreram nesse mesmo ano. 
Os laboratórios farmacêuticos e a economia capitalista continuam a ser um freio no cuidado 
dessas pessoas.

120 batidas por minuto terão a vantagem de ser um filme poignant e mainstream que destaca 
a história da luta contra a AIDS e aqueles que se beneficiam. Se é difícil e inegavelmente 
colocar uma bofetada, é um filme que, no entanto, não tem destino, mas muita dignidade. 
Tanta razão para ir vê-lo e levar algumas pessoas !

encontro com o ator Nahuel Pérez Biscayart

Benjamin (AL Nantes)

120 batidas por minuto, de Robin Campillo, França, 2:22, nos cinemas desde 23 de agosto.

https://www.youtube.com/watch?v=Hlvkx_tjMKQ

http://www.alternativelibertaire.org/?Film-120-battements-par-minute


Mais informações acerca da lista A-infos-pt