(pt) [Grécia] Escola Politécnica, 1973-2017: A rebelião permanece viva contra os mitos da Democracia By A.N.A. (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 23 de Novembro de 2017 - 07:52:08 CET


Cartaz da coletividade anarquista de Tessalônica Negro e Vermelho. ---- Escola 
Politécnica, 1973-2017. Contra o mito da Democracia que segue: ---- - Formando as 
condições da imposição da ditadura moderna do Estado e do Capital, ou seja o sistema do 
totalitarismo moderno, chamando "inimigos" aos alter ego da Dominação. ---- - Armando, 
respaldando e apoiando ativamente a criminosos e fascistas de todo tipo. ---- - Ampliando 
o estado de exceção, legalizando o estado de emergência permanente. ---- - Aplicando a 
política da morte contra os imigrantes e os refugiados, reprimindo violentamente todas 
suas revoltas por uma vida melhor. ---- - Aumentando o custo de vida, esmagando os 
estratos sociais plebeus. ---- - Intensificando a exploração. Isto tem como resultado o 
aumento do número dos "acidentes laborais", ou seja dos assassinatos da patronal.

- Malbaratando as casas dos pobres em nome da proteção da propriedade privada.

- Reprimindo, encarcerando, perseguindo, deixando no cárcere a Irianna e Pericles, 
processando constantemente a anarquistas e antifascistas, respaldando as agressões dos 
fascistas fora dos tribunais, etc.

...A rebelião permanece viva:

- Desde as montanhas do México, as ruas dos EUA e da Europa, até as lutas no Oriente 
Médio, as resistências dos povos aguentam.

- Contra o canibalismo social promovido pelo Estado e o capitalismo com a criação de 
guetos de delinquentes próximo dos bairros (zonas) de caráter social que se quer reprimir 
(bairro de Exarchia, Universidade de Tessalônica).

- Em Moria e em outros centros de internamento, onde os imigrantes e os refugiados estão 
lutando contra a repressão da União Europeia, da Grécia, da Turquia, dos vários 
traficantes de seres humanos, dos juízes, dos policiais e das Organizações Não 
Governamentais, reprimindo violentamente todas suas revoltas por uma vida melhor

- Dentro das resistências sociais e de classe dos plebeus contra o Estado e a patronal, 
suas planificações de suprimir os direitos, a destruição dos recursos naturais, a redução 
dos ingressos dos obreiros e o aumento da taxa de desemprego. Também, dentro de todas as 
lutas pela vida e a dignidade.

- Na confrontação constante com o verdadeiro Poder executivo da Democracia: a Polícia e 
todo o sistema de imposição da repressão estatal.

Manifestação, 17 de novembro de 2017, 18 horas, Escola Politécnica.

Negro e Vermelho - membro da Organização Política Anarquista

O texto em grego:

https://athens.indymedia.org/post/1580019/

Tradução > Sol de Abril


Mais informações acerca da lista A-infos-pt