(pt) Media, Anarquistas preenchem vácuo do governo e assumem assistência social na Grécia By A.N.A. Por Niki Kitsantonis

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 31 de Maio de 2017 - 07:41:49 CEST


Pode parecer paradoxal, mas os anarquistas da Grécia estão se organizando como nunca 
antes. ---- Sete anos de políticas de austeridade e a mais recente crise de refugiados 
deixaram o governo com cada vez menos recursos, oferecendo cada vez menos aos cidadãos. 
Muitos perderam a fé. Alguns que nunca tiveram fé para começar estão resolvendo os 
problemas por conta própria, para irritação das autoridades. ---- Tasos Sagris, de 45 
anos, membro do grupo anarquista grego chamado Void Network e do grupo de teatro 
auto-organizado Embros, tem estado na frente do ressurgir do ativismo social que tem 
preenchido o vácuo deixado pela ausência do Estado. ---- "As pessoas confiam em nós porque 
não as usamos como clientes ou eleitores", disse Sagris. "Cada fracasso do sistema 
comprova que a ideia dos anarquistas é verdadeira."

Atualmente essa ideia não se resume a caos e demolir as instituições do Estado e da 
sociedade (a longa e dura crise econômica do país cuidou de grande parte disso), mas 
também a uma autoajuda não filtrada e ação do cidadão.

Mas o movimento permanece díspar, com algumas partes enfatizando a necessidade de ativismo 
social e outras priorizando a luta contra a autoridade, com atos de vandalismo e batalhas 
nas ruas com a polícia. Alguns estão buscando combinar ambos.

Nos últimos meses, grupos anarquistas e esquerdistas dedicaram energia especial a moradias 
aos refugiados que inundaram a Grécia em 2015 e que ficaram retidos no país desde que a 
União Europeia e os países dos Bálcãs reforçaram suas fronteiras. Cerca de 3.000 desses 
refugiados agora vivem em 15 prédios abandonados que foram tomados pelos anarquistas na 
capital.

O aumento de ação por parte dos cidadãos é apenas o mais recente capítulo na longa 
história do movimento anarquista na Grécia.

Os anarquistas exerceram um papel ativo nos levantes estudantis que ajudaram a derrubar a 
ditadura na Grécia em meados dos anos 70, incluindo uma rebelião na Politécnica de Atenas 
em novembro de 1973, que as autoridades esmagaram com policiais e tanques, resultando em 
várias mortes.

> Para continuar lendo a reportagem clique aqui:
https://noticias.uol.com.br/midiaglobal/nytimes/2017/05/24/anarquistas-preenchem-vacuo-do-governo-e-assumem-assitencia-social-na-grecia.htm


Mais informações acerca da lista A-infos-pt